Mais de 300 pessoas, muitas delas fora da freguesia, marcaram presença no jantar de aniversário da Associação Desportiva de Oiã, que apagou no passado sábado 38 velas.
A noite serviu para homenagear quatro pessoas que muito têm ajudado o clube, casos de Paulo Patrão, Fernando Açoriano, Fernando Vela e Fernanda Rabila, mas o grande centro das atenções esteve nos pedidos que o presidente, Adolfo Dias, mais conhecido por Mico, fez às entidades presentes, aos sócios e a toda a população de Oiã, para ajudarem o clube a crescer, e a começarem já a olhar para o futuro, pois em maio haverá eleições e os elementos da direção dizem-se cansados e com falta de apoios a todos os níveis.
Depois de agradecer aos pais que “têm sido incansáveis” no apoio aos seus filhos, ao plantel sénior, convicto que vai fazer um bom campeonato na 1.ª divisão distrital e aos patrocinadores, Mico centrou o seu discurso para a Câmara Municipal de Oliveira do Bairro e Junta de Freguesia de Oiã. “A AD Oiã passa por um momento não muito bom e com grandes dificuldades. Há inúmeras obras por acabar, precisamos de remodelar o campo de treinos (sintético), estamos necessitados deste tipo de obras, pois o clube precisa de crescer e as camadas jovens também.”
Segundo disse, financeiramente a AD Oiã “não vive dias bons. O Complexo Desportivo dá-nos grandes despesas mensalmente, e só falo na sua manutenção, que é muito dinheiro”.
Com grande mágoa pelo meio, Mico esclareceu que “desta direção ninguém nasceu em Oiã, não temos o carinho devido, estamos cansados e precisamos da ajuda de todos. Este é um clube grande, sinto que estamos isolados das gentes de Oiã. Há pessoas que até pagam as quotas e não assistem a um único jogo, nem das camadas jovens”, concluindo que em maio haverá eleições.
Antero Almeida, em representação da Associação de Futebol de Aveiro, referiu que, nestes 38 anos, “a AD Oiã conseguiu feitos de registo, tem história, mostra vitalidade e a presença de 300 pessoas fala por si”, apelando a um maior dinamismo dos sócios e amigos, pois “estes clubes alimentam-se da carolice das pessoas”.
Victor Oliveira deu os parabéns à AD Oiã, que “faça mais 38 anos e depois mais 38”, e também à direção, pela festa bonita de se lembrar das pessoas que muito fizeram pela AD Oiã. “É de louvar a vossa iniciativa de  homenagear as quatro pessoas. É com este espírito que têm vindo a trabalhar, acredito que vai aparecer alguém, e Mico, vais ficar na direção.”
O presidente da Junta de Freguesia de Oiã realçou o facto de a AD Oiã preparar o futuro com as camadas jovens, que é uma garantia que o clube continuará a ter seniores.
Sobre os apoios que Mico reivindicou, Victor Oliveira referiu que a “Junta de Freguesia também vive com dificuldades. Temos colaborado, a AD Oiã não tem tido razão de queixa e damos em função das nossas capacidades financeiras”.
Christian Simões, presidente da Assembleia de Freguesia, anotou que “é importante as pessoas estarem unidas, a população de Oiã também tem de estar em sintonia, pois o clube precisa de dar outro salto”.
Expectativa para saber o que Jorge Pato iria dizer aos presentes. O vice-presidente da Câmara Municipal de Oliveira começou por dizer que “ouvi com atenção os pedidos que foram feitos. Podia trazer um cheque, passava a ser um gajo porreiro, mas temos muitas associações no concelho para apoiar e outros investimentos de vária índole. O Mico sabe que as portas estão abertas, acredito que o futuro vai ser risonho e que a Câmara Municipal vai apoiar dentro das suas possibilidades financeiras”.
Sérgio Lopes encerrou os discursos. O presidente da mesa da Assembleia Geral relembrou que em maio a AD Oiã vai a eleições, apelando que “precisamos de gente nova. Esta é uma verdadeira assembleia geral, não uma reunião de direção. Precisamos que as pessoas apareçam em todas as nossas iniciativas, não só nos aniversários, pois precisamos do apoio de todas as pessoas”.