A União Desportiva de Bustos (UDB) comemorou, no passado dia 1 de dezembro, o seu 70.º aniversário, com a realização de um jantar/convívio onde estiveram presentes cerca de 220 pessoas, entre dirigentes, sócios, atletas, simpatizantes e entidades locais.
A UDB é gerida por uma Comissão Administrativa (CA) e conta, atualmente com 140 atletas nos escalões de formação e mais 24 na equipa sénior que milita na 2.ª divisão da Associação de Futebol de Aveiro. É a única coletividade do concelho que tem Futebol Feminino, sendo a segunda com mais atletas a praticar a modalidade.
Noé Santos, líder da CA, deu conta de algumas das carências da coletividade, deixando também um agradecimento público à Câmara Municipal de Oliveira do Bairro e outras entidades públicas pelo apoio que têm dado, assim como aos patrocinadores que têm colaborado com o Clube.
Anunciou ainda a intenção da CA em prestar uma homenagem a Joaquim Anacleto e Mário Caneca, duas das pessoas, ainda vivas, que deram origem à atual UDB, que não aconteceu no jantar, pois não puderam estar presentes. 
Noé Santos aproveitou a presença do presidente da Câmara de Oliveira do Bairro, Duarte Novo, para deixar algumas reivindicações, nomeadamente que “o subsídio que o Município atribui não é condizente com a atual realidade do Clube”. “Estamos a fazer um bom trabalho na área da formação e precisamos de mais apoios da Câmara Municipal para que possamos continuar a crescer”, explicou.
Diria ainda que o Campo Santos Pato estar a ser dividido com o Mamarrosa o que traz algumas “limitações” e “desconforto” ao trabalho que se pretende realizar, concretamente ao nível da formação, daí que tenha defendido a necessidade de o Bustos ter um campo de Futebol 7. A fim de colmatar um pouco esta carência, adiantou que a UDB está a utilizar o campo de Futebol 5 existente atrás do edifício da Junta de Freguesia.
Outro dos problemas que está a criar alguma apreensão, junto da CA e que, no seu entender, poderá afastar sócios e “amantes” do futebol é o facto de a GNR estar a multar os carros que se encontram estacionados na EN 335, em dias de jogos. Apelou ao edil oliveirense para que se encontre uma solução para esta situação, tendo sugerido uma alteração no lado nascente do campo, através do corte parcial do muro.
Realçou ainda “o desgaste” do relvado sintético, bem como da respetiva marcação das linhas de jogo, assim como a vedação que “se encontra danificada”, existindo ainda várias “fugas de água”.
Noé Santos afirmou que a UDB “é um clube humilde, com boas pessoas que precisam de ser mais apoiadas”.
O presidente da Câmara de Oliveira do Bairro, Duarte Novo, deixou um bem-haja às pessoas que constituíram o Clube há 70 anos, realçando que a UDB “tem sido uma coletividade marcante ao longo de todos estes anos”.
O autarca sublinhou o facto de “existir vontade, por parte do Clube, em querer fazer mais e melhor”, considerando que “isso é salutar”. Elogiou a atitude e o trabalho que a atual CA tem tido em realizar atividades para conseguir angariar fundos, e a formação, em dois anos, ter duplicado o seu número de atletas.
Quanto às reivindicações apresentadas, Duarte Novo afirmou que foram registadas e que a Autarquia irá fazer o que está ao seu alcance para que sejam concretizadas. “Não vão ficar esquecidas”, afirmou, acrescentando que “o Clube nunca estará sozinho. A Câmara Municipal vai acompanhar os passos que vocês quiserem dar”.
Quanto às multas, referiu que “não posso mandar na GNR”, realçando que há soluções que “devemos trabalhar para que não haja mais multas”.