A União Desportiva de Bustos celebrou no passado sábado, com um jantar que reuniu à mesa 220 pessoas, desde sócios, amigos, atletas e outras entidades, 71 anos de existência.
Com tão grande calor humano, o clube bairradino continua a demonstrar a sua vitalidade ao nível do futebol sénior e de formação, mas nem tudo navega em águas cristalinas.
Há vários anos que as direções se têm debatido com falta de espaço para treinar, principalmente no que toda à formação, daí que o momento tenha sido aproveitado para fazer um apelo à Câmara Municipal de Oliveira do Bairro para que consiga resolver o problema, mas a resposta não foi totalmente clara, pois há mais clubes e associações no concelho.
Louvar o esforço
Alberto Roque, em representação da Associação de Futebol de Aveiro, foi o primeiro orador da noite. “Para mim é uma honra estar neste jantar de aniversário da União Desportiva de Bustos, pois sou natural deste concelho.” O dirigente associativo diria que “os clubes são os sócios, é importante que tenham uma participação ativa no clube. A União Desportiva de Bustos tem feito um excelente trabalho na formação, como também é de louvar todo o esforço e sacrifício desta direção”.
Gerido por uma Comissão Administrativa, desta vez não foi o seu líder, Noé Santos, a usar da palavra, dando essa missão a outro dirigente, José Eduardo.
Depois de agradecer a presença das entidades oficiais e de diversas associações e clubes (o Mamarrosa foi um dos clubes presentes) convidados e de explicar que por vários motivos não foi possível comemorar os 71 anos no dia 4 de outubro, data da sua fundação, o dirigente bustoense abriu o livro: “Esta Comissão Administrativa está no quarto ano a assegurar o funcionamento do clube. Em cada ano temos conseguido aumentar o número de atletas que representam a União Desportiva de Bustos, mas também a cada ano as dificuldades têm sido maiores.”
Sem se deter, José Eduardo acrescentou que “queremos aumentar ainda mais, pois ainda não conseguimos ter todos os escalões de formação. Falta-nos os juvenis. Isto deve-se principalmente à falta de espaço físico, dado que, como todos sabem, partilhamos o campo Dr. Santos Pato com o Mamarrosa Futebol Clube. Se no futebol de 7 conseguimos enquadrar todos os escalões a treinar, no futebol de 11 é impossível”.
E José Eduardo foi ao cerne da questão sem qualquer tipo de rodeios: “Aproveito para fazer um apelo à Câmara Municipal de Oliveira do Bairro para que consiga solucionar esta situação.”
O membro da Comissão Administrativa aproveitou também a ocasião para fazer um apelo aos pais dos atletas e a todos os sócios “para que se disponibilizem em nos ajudar, pois somos poucos, e assim corremos o risco de nos desmotivarmos e nos saturarmos mais rápido do que contávamos”.
José Eduardo agradeceu a todos aqueles que têm ajudado e dizem presente quando a Comissão Administrativa precisa, aos patrocinadores em equipamentos e publicidade, dando claro destaque à Artser, que ao longo destes quatro anos tem oferecido os cartazes, bilhetes e rifas para todos os jogos, bem como à Larinox e à Argex pelo apoio dado.
A finalizar, José Eduardo agradeceu ainda à Junta de Freguesia e às associações que têm ajudado em alguns eventos e à Câmara Municipal de Oliveira do Bairro “pelo seu incondicional apoio que, apesar de acharmos pouco, seria impossível chegar onde chegámos e nos propomos a chegar”.
Mais filhos
O vice-presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, Jorge Pato, começou por dar os parabéns à União Desportiva de Bustos pelos seus 71 anos. “São muitos anos de glórias, de vitórias em representação do povo de Bustos. A Câmara Municipal de Oliveira do Bairro tem noção das dificuldades da falta de espaço, mas temos mais filhos e fazemos os possíveis para dar as melhores condições aos clubes. A Câmara tem que rentabilizar aquilo que temos e a União Desportiva de Bustos tem tido a noção que temos acompanhado a par e passo a vida do clube”, concluindo que “contem com a Câmara Municipal na medida do que for possível”.