Uma ação de sensibilização sobre a criação de faixas de gestão de combustível associada à rede viária florestal do Município de Cantanhede vai ter lugar no edifício da antiga Junta de Freguesia da Camarneira, amanhã, 22 de janeiro, a partir das 20h. Trata-se da segunda ação desta natureza na União de Freguesias de Covões e Camarneira depois da realizada na sede da freguesia. O objetivo é esclarecer os proprietários sobre a lei que obriga as autarquias a proceder a operações de desflorestação, desmatação e limpeza em 10 m de ambos os lados dos terrenos contíguos às estradas municipais. Para isso, vão estar na sessão técnicos do Gabinete Técnico Florestal da autarquia.
Além do enquadramento do disposto no decreto-lei n.º 124/2006, de 28 de junho, que estabelece a responsabilidade dos municípios pela criação de uma faixa lateral confinante à rede viária, será feito o ponto da situação sobre os trabalhos entretanto realizados no concelho de Cantanhede.  A desflorestação, desmatação e limpeza das áreas de gestão de combustível está a ser executada por uma empresa especializada, no âmbito de uma empreitada adjudicada pela Câmara Municipal por 252.506 euros e cuja execução se estende até ao final de 2021.
Além disso, recorde-se, a autarquia cantanhedense está a realizar, por administração direta, operações a esse nível, nomeadamente desde que passou a dispor de um trator equipado para esse fim, cuja aquisição foi financiada pelo Fundo Recomeçar – Ambiente, da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, no âmbito de uma candidatura submetida pela Câmara Municipal para esse efeito. Concretizando o preconizado no Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Cantanhede, a execução de faixas de gestão de combustíveis prossegue na União de Freguesias de Covões e Camarneira depois das intervenções realizadas nas freguesias de Ançã e Murtede.
O início dos trabalhos é sempre precedido de ações de informação, tal como já aconteceu em Ançã, Murtede, Enxofães e Covões, mantendo a Câmara Municipal a aposta em esclarecer a população sobre as matérias inerentes ao processo, fomentando também por essa via a adoção de práticas e comportamentos colaborativos, de forma a dar cumprimento à legislação em vigor sobre a matéria.
Outro dos objetivos que se pretende alcançar com as sessões de carácter técnico e pedagógico é reforçar a consciencialização coletiva relativamente aos fatores de risco dos incêndios florestais, de forma a consolidar uma cultura de prevenção.