A Escola Secundária de Oliveira do Bairro (ESOB) está a tornar-se um caso sério na questão da alimentação à base de insetos. A experiência, que começou exatamente há um ano, está a fazer da escola oliveirense uma verdadeira referência neste âmbito, ao ponto de ser convidada para testemunhos em outros estabelecimentos de ensino sobre o seu projeto “insetos e a alimentação humana”, que a partir do Laboratório EMA – Estímulo à Melhoria das Aprendizagens, vai produzindo, divulgando e familiarizando os alunos com este “alimento do futuro” à base de larvas, ou seja, o já famoso Tenebrio Molitor (vulgarmente chamado bicho-da-farinha).
Foi no arranque de 2019 que o professor e coordenador do projeto, Álvaro Barbosa, e os seus alunos, aproveitando a Flexibilidade e Autonomia Curricular, puseram a mão nos bichos e fizeram crescer o BUG.IN.SEcT.BOX, destinado à criação e transformação destes insetos para fins alimentares (snacks, farinha, etc.).
Um ano volvido, no passado dia 9 de janeiro, a escola fez o balanço do projeto, convidou produtores nacionais e até uma associação do setor para uma nova abordagem na divulgação do assunto e para uma degustação de vários produtos, numa altura em que parece haver abertura para que seja permitida a venda de proteína de insetos para alimentação humana, aponta o setor, estimando que 2020 pode ser mesmo o ano de viragem nesta questão.

Leia a reportagem completa na edição de 16 janeiro 2020