O Dia Mundial dos Oceanos assinala-se hoje sob o lema “inovação para um oceano sustentável” e pretende lembrar a importância dos oceanos na vida dos cidadãos e na preservação do planeta.

Criado pela ONU e escolhido o 08 de junho para assinalar a conferência da ONU sobre ambiente que decorreu no Rio de Janeiro, Brasil, em 1992 (Conferência do Rio), a data é hoje assinalada com colóquios e conferências, um pouco por todo o mundo.

Em Portugal, divulgada pela internet, decorre uma palestra organizada pelo Centro de Comunicação dos Oceanos, com o apoio da UNESCO e da Comissão Oceanográfica Intergovernamental.

A propósito da efeméride a associação ambientalista ANP/WWF e a Fundação Oceano Azul emitiram uma declaração conjunta na qual defendem que os oceanos devem ser considerados na recuperação económica após a pandemia de covid-19, destacando que essa recuperação deve ter em conta a proteção e recuperação da vida marinha, a transição para uma economia circular e sustentável, e um reforço do papel de liderança de Portugal na agenda internacional dos oceanos.

As duas entidades, salientam na declaração conjunta que Portugal tem de olhar para o oceano além de documentos estratégicos e discursos, “incluindo-o nas suas opções político-económicas, nomeadamente no plano de relançamento da economia portuguesa”.