Trabalhar muito para viver ou labutar, são os significados que o dicionário nos dá à palavra “TRABUCA” que, neste caso, significa também a “alcunha” pela qual o produtor Pedro Guilherme Andrade e seu pai, António Guilherme Andrade, são conhecidos.

E foi precisamente com esta peculiar palavra que Pedro Andrade decidiu batizar os seus três vinhos topo de gama que agora deu a conhecer num almoço restrito, que teve lugar no passado dia 27 de julho, na adega berço dos vinhos PGA e agora também dos TRABUCA.

Três vinhos memoráveis, que dignificam o trabalho deste jovem produtor e de toda uma região. Daí que durante a prova e almoço muitos tenham sido os elogios. E se as expetativas dos presentes eram elevadas, pois todos conhecem o produtor, os seus vinhos, a sua forma de estar e de trabalhar, a verdade é que todos – durante a prova e degustação – foram surpreendidos para um despertar de sentidos e sensações que só grandes vinhos conseguem provocar.

Conheça o projeto e os novos vinhos TRABUCA na edição impressa desta semana. Pode ler já aqui