Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Categoria | Desporto, Futebol

Árbitros bairradinos com sortes diferentes

Foi prematura a passagem de Rui Tiago Patrício pela primeira categoria nacional. O árbitro bairradino ficou, num universo de 25 árbitros do primeiro escalão, em 23.º lugar, com a pontuação final de 3,512, descendo à 2.ª categoria do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol. Rui Tiago Patrício foi penalizado em 0,014 pontos, ele que era o 4.º árbitro do Beira-Mar – Sporting, tendo-se mostrado solidário com a posição na altura assumida por João Ferreira (AF Setúbal), o árbitro que estava nomeado para o referido encontro em agosto último e que se recusou a fazê-lo, então apitado pelo árbitro Fernando Martins, do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Aveiro.
Melhor sorte teve Ricardo Silva (na foto). Também no seu ano de estreia, mas na terceira categoria nacional, o árbitro bairradino ocupou a 66.ª posição, o que lhe permite continuar na elite nacional da arbitragem portuguesa. Quem ficou fora deste mapa foi Carlos Taveira. O árbitro, natural do concelho de Anadia, ficou na 145.ª posição, acabando por descer aos distritais depois de três épocas nos nacionais.
Fábio Silva, também do concelho de Anadia, que ficou em 2.º lugar, na 1.ª categoria – Grupo A, do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Aveiro, passou no exame nacional e ascendeu à terceira categoria nacional.
A bairradina Ana Amorim ficou em 8.º lugar na arbitragem feminina.
Joaquim Soares, observador de 2.ª categoria, natural de Aguada de Cima, classificou-se em 23.º lugar, entre 55 observadores, mantendo o mesmo estatuto para a próxima época.

Pergunta da semana

Um estudo indica que mais de duas doses diárias de álcool por dia aceleram perda de memória. Qual o seu consumo habitual no dia a dia?

View Results

Loading ... Loading ...