Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | Anadia

Clínica do Cértoma realiza ação sobre saúde oral no Centro Social

A Clínica do Cértoma realizou uma Ação de Promoção da Saúde Oral no Idoso, no dia 26 de janeiro, no Centro Social Recreativo e Cultural da Pedralva.
Ana Carolina Santos (Médica Dentista) destacou o papel que a Saúde Oral assume num envelhecimento saudável. Começando por referir as alterações mais frequentes na boca, como a perda de dentes e a diminuição de saliva, entre outras, mencionou a periodontite, gengivite, cárie radicular e sensibilidade dentária como patologias que mais afetam a cavidade oral.
Os hábitos incutidos desde cedo quando ainda crianças, não devem ser descurados com o passar dos anos.
Ana Carolina Santos destacou a importância de uma correta higiene oral, relembrando as técnicas de higienização dos dentes e tecidos moles, complementadas com visitas regulares ao médico dentista.
Em caso de perda de dentes, a prótese removível, fixa e implantes dentários, opção que mais se aproxima da dentição natural, foram as três hipóteses apresentadas para reabilitação oral. Formas de colmatar uma mastigação deficitária e dificuldades de comunicação, duas situações que têm na base a perda de dentes.
Ana Carolina Santos alertou para a importância da observação frequente dos lábios, dentes, mucosas e língua, gesto relevante no combate ao cancro oral, em que um diagnóstico precoce é crucial.
Utentes do Centro Social Recreativo e Cultural da Pedralva, seus familiares, e colaboradores(as) da instituição estiveram presentes na palestra. Através desta Ação de Promoção da Saúde Oral no Idoso, a Clínica do Cértoma pretende sensibilizar a terceira idade e os seus cuidadores para a importância da higiene oral.
A boca sofre alterações com o passar dos anos, nunca sendo tarde para a adoção de estilos de vida impulsionadores de saúde.

Posted in Por Terras da Bairrada, S. Lourenço Bairro0 Comentários

Bicicletas contam história da freguesia e das profissões

Quem diz que a brincar não se aprende? No Centro Escolar de Sangalhos as crianças que frequentam, o Jardim de Infância e da Escola Básica têm aprendido (e muito) sobre as bicicletas, a sua ligação à freguesia e até sobre algumas profissões que, no passado, elegeram as duas rodas como meio de transporte dos seus profissionais.
Na véspera do desfile de carnaval, que juntou na tarde da última sexta-feira, crianças do Centro Escolar e utentes da Misericórdia de Sangalhos, estivemos no Centro Escolar onde Amílcar Costa, coordenador daquele estabelecimento de ensino, falou do sucesso do projeto que envolveu a comunidade educativa local. Em exposição, durante uma semana (que deveria ser alargada, dada a originalidade e beleza dos trabalhos elaborados), estiveram 33 bicicletas decoradas por alunos e pelos seus familiares.
Serviu de mote ao projeto “O uso da bicicleta, em Sangalhos, ao longo dos tempos”.  E porque o uso da bicicleta está, nos dias que correm, cada vez mais na moda, a partir daqui foi só dar asas à imaginação. O resultado esteve patente no átrio do Centro Escolar: 33 bicicletas decoradas com muita originalidade, a maioria retratando profissões que em tempos idos usavam este meio de transporte.
Integrando o Plano Anual de Atividades do Centro Escolar, esta iniciativa procurou dar a conhecer às crianças a importância que a bicicleta teve e ainda tem na freguesia.
Amílcar Costa revela que “boa parte da história da freguesia está intimamente ligada à indústria das duas rodas”, recordando a importância que teve na economia local as muitas dezenas de fábricas e armazéns que aqui existiram e que tiveram como tempos áureos as décadas de 40 a 70. Décadas em que o ciclismo era uma modalidade de grande peso projetando o clube da terra (que tinha pista) no panorama desportivo nacional e internacional, graças a ciclistas como Alves Barbosa, Antonino Baptista, Venceslau Fernandes, Joaquim Andrade, Herculano Oliveira e Celestino Oliveira.
O docente destaca ainda que muitas crianças ficaram a saber que a sede da Associação de Ciclismo de Aveiro (ACA) está instalada precisamente nesta freguesia; que o Centro Escolar se localiza junto ao Velódromo Nacional (único no país), não deixando de reconhecer que a intenção de construir uma ciclovia que ligue a Curia ao Velódromo, a Pista de BMX, a criação do Museu das Duas Rodas (a inaugurar no verão, no Velódromo), o aparecimento das b-AND – bicicletas públicas de Anadia e a entrada em funcionamento do projeto “O Ciclismo vai às Escolas” através de uma parceria entre a Câmara Municipal de Anadia e o Clube de Ciclismo da Bairrada, foram alguns dos assuntos e temas dados a conhecer aos alunos.
Depois de sabida a lição, em casa, com ajuda dos pais, os pequenos deram largas à imaginação. A originalidade e empenho na decoração das bicicletas superou as melhores expectativas. Usando materiais recicláveis, recriaram profissões que na freguesia (padeiro, amolador de tesouras, polícia, vendedor de jornais, carteiro, florista) elegeram a bicicleta como meio de transporte, numa época em que o era também para a maioria das pessoas da terra.
“Os trabalhos estão excelentes e têm recebido rasgados elogios. Todos eles mostram a envolvência da comunidade educativa no projeto”, diz o docente.

Catarina Cerca
catarina.i.cerca@jb.pt

Posted in Por Terras da Bairrada, Tamengos0 Comentários

Anadia: Pedido de prorrogação de prazo de empreitada incendeia reunião de executivo

O pedido de prorrogação do prazo de execução da empreitada designada por “Requalificação da via de acesso à ZI de Alféloas – ligação da EM 334 Avelãs de Caminho” gerou um aceso debate na última reunião de executivo da Câmara Municipal de Anadia, tanto mais que no final, este ponto só foi aprovado com quatro votos a favor (edil Teresa Cardoso, vereadores Jorge São José, Jorge Sampaio e Lino Pintado). Os vereadores do PSD, Lígia Seabra e José Manuel Ribeiro abstiveram-se e o vereador Litério Marques votou contra a prorrogação do prazo.
Na origem deste pedido por parte do empreiteiro estão dificuldades financeiras do empreiteiro em negociar trabalhos a subempreitar, alegando ainda as grandes oscilações no preço dos betumes “que desequilibrou a orçamentação definida”, entre outras.
A edil Teresa Cardoso explicou a moldura do caso, as reuniões e contactos estabelecidos com o empreiteiro, defendendo a prorrogação do prazo como uma forma de acabar a obra “para bem de todos”, sobretudo de quem diariamente tem que passar naquela via ou trabalha naquela zona industrial.
Depois de levantadas inúmeras questões relacionadas com a legalidade da prorrogação de prazo da empreitada, o vereador Litério Marques defendeu que, sendo o mesmo empreiteiro que não concluiu a requalificação da via junto ao parque desportivo da cidade, a Câmara deveria rescindir a adjudicação pelos mesmos motivos. “A Câmara está a administrar dinheiro público”, disse, defendendo ser “demasiado grave aprovar uma prorrogação de prazo nestas condições, com esta confissão”, acrescentou ainda.
Sensível às dificuldades alegadas pela empresa, o vereador José Manuel Ribeiro, do PSD, realçaria que “os trâmites e disposições legais têm que ser inequivocamente cumpridos”, admitindo ter algumas dúvidas sobre esta prorrogação: “tenho dívidas que com esta prorrogação a Câmara esteja a cumprir todas as disposições legais. Tenho dúvidas que a Câmara possa pagar diretamente a um subempreiteiro e temo que o segundo classificado no concurso de adjudicação possa vir a reclamar, na justiça, que as regras não foram cumpridas e pedir uma indemnização à Câmara.” Razões que o levam a pedir uma fiscalização por parte da Câmara “mais ativa, persistente e pedagógica”.
“A questão legal leva-me a votar contra, mas não fico indiferente ao apelo da presidente para concluir a obra. Voto pela abstenção”, disse.
O vereador Jorge São José, também do PSD, avançou não ter dúvidas que a prorrogação do prazo vai ao encontro do interesse da Câmara: “no pressuposto de que é possível, voto a favor. Não tenho qualquer motivo para não acreditar na legalidade do que vamos aprovar”, concluiu.

Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Anadia: Vereador apresenta voto de louvor “envenenado” a chefe de divisão

O vereador Litério Marques apresentou, na última reunião de executivo, uma insólita proposta de louvor a um chefe de divisão da autarquia anadiense. Uma proposta de louvor, no mínimo, irónica, no sentido em que visa obrigar a edil Teresa Cardoso a apurar responsabilidades em diversas situações que defende terem de ser esclarecidas “até às últimas consequências”.
O mal-estar durante a reunião de executivo foi por demais evidente, agravado pelo facto de também o vereador José Manuel Ribeiro, do PSD, ter, em certa medida, acompanhado o vereador Litério Marques pelo menos no que à necessidade de apurar responsabilidades e factos diz respeito.
O insólito aconteceu quando o vereador Litério Marques apresentou a proposta de louvor na sequência de uma notícia publicada pelo Jornal da Bairrada, em que numa entrevista, um presidente de Junta de Freguesia do concelho tece elogios a um chefe de divisão da autarquia anadiense.
De uma forma sarcástica, o ex-presidente do município anadiense, agora vereador eleito pelo MIAP, apresentou, por escrito, os fundamentos da dita proposta de louvor, não elogiando mas fazendo acusações a um chefe de divisão da autarquia com quem trabalha há vários anos. No entanto, a proposta de louvor visa ainda outros funcionários por alegados comportamentos menos corretos.
“Na notícia o presidente da Junta identifica de forma clara o técnico enumerando as suas virtudes, sabedoria, experiência e conhecimentos”, disse, argumentando que sendo responsável por essa divisão lhe ficaria mal “não propor um louvor e, ao mesmo tempo, registar ao senhor presidente da Junta o meu agradecimento por me ajudar a corrigir tão flagrante desatenção e quem sabe até injustiça”.
Mas, é nos fundamentos do louvor “envenenado” que Litério Marques enumera um conjunto de acusações, através de dois exemplos: o caso da obra de requalificação urbana da zona envolvente ao Complexo Escolar e Desportivo de Anadia. Uma obra onde terá sido gasto, numa faixa de rodagem, mais de 60 camionetas de betuminoso em pouco mais de duzentos metros, o que equivale a mais de 53 mil euros. Uma obra com falhas e em relação à qual diz que a fiscalização ainda não se pronunciou. Outro exemplo, será uma alegada reunião no parque das merendas de Mogofores, que terá sido feita com a presença do referido chefe de divisão.
Segundo Litério Marques, reuniões que acontecem “praticamente todas as sextas-feiras com a presença de empreiteiros, dirigentes desportivos, fornecedores, trabalhadores municipais e até presidentes de junta”, acusando ainda trabalhadores municipais de “entrarem muitas vezes pelas traseiras do edifício municipal, sem fazer qualquer controlo de presenças.”
Continuando o rol de acusações, disse “não ser rara a presença de viaturas municipais estacionadas, depois das 15h, no referido parque”, assim como deu conta da “existência de pessoal a trabalhar para o município sem qualquer tipo de contrato, com máquinas e até vestuário do município.”

Edil escusou-se a alimentar polémica. A Litério Marques, a edil Teresa Cardoso avançou não ter muito a dizer: “Recebemos a sua proposta. Toda a gente entende o que se está a passar”, constatou Teresa Cardoso, sublinhando que terá até ao final do mandato para avaliar a atuação dos técnicos e chefes de divisão. Evitou, desta forma, alimentar uma polémica que Litério Marques teimou em manter durante mais algum tempo, naquela sessão. O vereador deixaria claro que continuará a fazer o que acha ser sua obrigação: “Há coisas que descobri e que não fazem parte deste louvor. Ficam para a próxima”. A seu ver, sendo estas questões públicas, têm que ser investigadas até às últimas consequências, caso contrário “tenho o direito de pensar que a senhora sabe e que não se importa”.
Na ocasião, também o vereador do PSD, José Manuel Ribeiro, perante as acusações proferidas, alertou para a questão da fiscalização de algumas obras, nomeadamente as realizadas nas imediações do estádio e do complexo desportivo, referindo que a ser verdade o que o vereador Litério Marques disse, “a Câmara deve proceder rapidamente ao levantamento de um relatório exaustivo em relação ao que ali se passou”. Já em relação aos técnicos da autarquia, o vereador do PSD continuou: “presumindo que o que o professor Litério diz é verdadeiro, este executivo não pode ficar indiferente ao facto de, em horário de trabalho, técnicos da autarquia estarem a executar outras funções”. José Manuel Ribeiro defendeu mesmo que a ser verdade que o Professor Litério tem provas sobre alegadas irregularidades cometidas, “a presidente deve averiguar se são ou não verdade”.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada0 Comentários

S.L.Bairro: Fábrica da Igreja recebe apoio da câmara municipal

O executivo da Câmara Municipal de Anadia aprovou, na última reunião de executivo, conceder ao Conselho de Pastoral Paroquial de S.Lourenço do Bairro um subsídio de dez mil euros para que esta entidade possa fazer face aos gastos com a aquisição de terreno destinado à construção de uma infraestrutura de vulto que possa apoiar e servir a comunidade na oferta de um vasto leque de atividades/valências de âmbito religioso, civil, cultural e social, nomeadamente salas de catequese, apoio aos escuteiros, capela, salão paroquial, entre outros.
O prédio, adquirido por 30 mil euros, localiza-se na Rua das Flores, no lugar e freguesia de S.Lourenço do Bairro, confinante com a extensão de saúde.
Este subsídio seria aprovado por unanimidade, ainda que o vereador Litério Marques entenda que o subsídio “fica aquém do desejavel” face ao esforço da população para a aquisição do terreno em causa.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada0 Comentários

AMI promove Festa da Primavera

A AMI – Núcleo de Anadia vai realizar, no próximo dia 9 de abril, a 5.ª edição da Festa da Primavera, no Cineteatro de Anadia.
Adivinha-se uma noite com destaque para os artistas da terra, amadores. Uma noite de cultura, arte, beleza e alegria, mas também de angariação de fundos para esta associação.
Aqui fica o convite à população para que nã

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Oposição quer melhorias ao Cartão Anadia Sénior

Depois do sucesso do Cartão Anadia Jovem, a Câmara Municipal de Anadia prepara-se para lançar o Cartão Anadia Sénior.
O projeto de regulamento deste novo cartão esteve em discussão na última reunião de executivo, realizada a 27 de janeiro, e embora tenha sido aprovado por unanimidade, os vereadores do PSD, Lígia Seabra e José Manuel Ribeiro entendem que o regulamento inerente ao mesmo poderia ser melhorado, tornando este cartão “num cartão mais social”.

PSD quer cartão mais social. A este propósito, a vereadora Lígia Seabra lamentou que o regulamento proposto avance sem que tenha sido realizado um diagnóstico social da população sénior no concelho: “quantos são; com que tipo de problemas se debatem; que medidas podem ser propostas no sentido de minorar esses mesmos problemas.” No seu entender, o cartão deveria visar uma “maior justiça social”, e embora reconheça os benefícios e virtudes do modelo apresentado, destaca que o mesmo “não vai ao encontro de minimizar as vulnerabilidades da população sénior e os motivos de exclusão social.”
“Poderia ter ido mais longe nesta área ao criar um cartão mais social”, tendo em atenção o elevando número de pessoas com reformas e pensões muito baixas que continuam a ficar excluídas de muitas atividades promovidas no município. “Este cartão não promove maior igualdade ou justiça social como é referido no preâmbulo da proposta”, sublinhou.
Também José Manuel Ribeiro, vereador do PSD, reconhecendo ser esta uma “medida positiva”, sublinha que “há formas de a melhorar, tendo a vereadora Lígia Seabra enunciado algumas delas”.

“Boa medida”, diz Litério Marques. Já uma leitura diferente da proposta teve o vereador e ex-edil anadiense Litério Marques: “este cartão sénior é uma boa medida”. Ainda que concorde que o ideal seria este cartão possibilitar a gratuitidade no acesso, por exemplo às piscinas, museus, velódromo, cineteatro do concelho, admite que isso não é possível ou viável sem afetar a sustentabilidade das instituições. Por isso vê a proposta com bons olhos por ser “equilibrada”.
Para já, este cartão terá os mesmos moldes de funcionamento e de benefícios concedidos pelo Cartão Anadia Jovem. Quando estiver aprovado, poderá ser adquirido na Câmara Municipal de Anadia por todos aqueles com idade igual ou superior a 66 anos, com residência permanente no concelho de Anadia e aqui recenseados. Um cartão válido apenas no concelho e que pode ser usado em serviços, comércios e empresas que também adiram e proporcionem descontos/ vantagens aos utilizadores deste cartão.
Para já, podemos avançar que os beneficiários deste cartão poderão ter 50% de desconto nos ingressos da Feira da Vinha e do Vinho e no acesso às Termas Vale da Mó; 20% de desconto nas piscinas municipais e cineteatro e 10% de desconto na entrada no Museu do Vinho, na biblioteca municipal e no velódromo, em Sangalhos.
A proposta de Regulamento, aprovada por unanimidade, em sede de executivo, segue, agora, para inquérito público e para votação em Assembleia Municipal.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada0 Comentários

UF Tamengos, Aguim e Óis do Bairro: Pequenas obras, limpezas e manutenções

UF Tamengos, Aguim e Óis do Bairro: Pequenas obras, limpezas e manutenções

Óscar Ventura que, no primeiro mandato tivera à sua responsabilidade a Freguesia de Tamengos é, desde as últimas autárquicas, o presidente da União de Freguesias de Tamengos, Aguim e Óis do Bairro. Como em tantos outros locais, o início de vida desta União foi conturbado e polémico. Fez correr muita tinta, mas hoje, “tudo pertence ao passado”, como refere.
Embora reconheça que os primeiros meses “foram muito difíceis”, agora “trabalha-se em prol de todos os lugares da União.”
Sobre o orçamento para 2016, avança que vai dando para as despesas, reconhecendo que nos tempos difíceis que se atravessam, “os autarcas têm que aprender a viver com o que têm, sem projetar grandes obras.”
“A nossa política passa por fazer uma manutenção adequada ao que já existe. Não temos pretensões de fazer grandes obras, até porque os tempos não estão para esse tipo de investimentos”, sublinha. Todavia, reconhece que a limpeza (sobretudo da estância termal da Curia), manutenção de espaços verdes, cimentação de valetas e poda de árvores lhes levam boa parte do orçamento disponível.

Ano de 2015 foi muito positivo. Assim, de 2015 faz um balanço positivo do trabalho desenvolvido. “Foi um ano gratificante, pois conseguimos fazer algumas valetas, arranjar os passeios e fazer o acesso ao cemitério de Aguim. Arranjámos várias obras na Mata, colocando manilhas e cimentando valetas de grande porte, por forma a evitar possíveis acidentes; fizemos a limpeza nas fontes e tanques de Ribafornos e de Óis do Bairro; construímos valetas em Alpalhão, Aguim, Mata e Óis do Bairro, assim como tivemos a preocupação de fazer a manutenção dos jardins. Aliás, a limpeza é uma prioridade. Veja que andamos constantemente a limpar as sarjetas para evitar inundações.”
Trabalhos que vão sendo desenvolvidos por nove POC’s, que vão rodando pela área correspondente às três freguesias, pois como União, o trabalho como que triplicou, exigindo ainda a presença constante do executivo nas três ex-freguesias por forma a atender às solicitações de todos os fregueses.
“Desde o início de funções, tentamos que os trabalhos se façam de forma tripartida, ou seja percorrendo os lugares das três ex-freguesias. Por isso, começámos até por Alpalhão, a limpar caminhos, fontes e valetas. E foi gratificante ouvir o apoio das pessoas.”
Em Aguim, os passeios junto à sede da Junta de Freguesia e da Extensão de Saúde deram um outro aspeto e limpeza ao local que as pessoas reconheceram. Aliás, Óscar Ventura refere que esta forma de trabalhar já lhe valeu alguns votos de louvor por parte da própria oposição, o que evidencia que o executivo trabalha em prol de todos.
Por isso, fala ainda de outras obras realizadas: a requalificação do espaço envolvente à sede da Junta de Freguesia de Óis do Bairro, do melhoramento realizado no cemitério desta localidade, com a ligação da iluminação e ainda a construção de valetas em cimento em Óis do Bairro.

Obras em 2016 são sobretudo de manutenção. Para 2016, a grande aposta, à semelhança de outras freguesias, passa pela limpeza, manutenção e embelezamento de espaços e vias públicas. A limpeza e cimentação de valetas estão na linha da frente em matéria de prioridades, até porque esta é uma área que absorve boa fatia do orçamento anual.
Prioridade será ainda a construção de uma zona pedonal na Mata da Curia, para dar segurança aos peões devido à velocidade dos automobilistas estando ainda prevista igualmente a construção de algumas lombas ,no início das localidades. O executivo quer ainda fazer a construção de uma zona pedonal no largo da Igreja em Aguim, requalificando aquela área, obra que será feita também na Mata, enquanto que em Tamengos a aposta será feita na requalificação do cemitério. Uma obra que diz ser “urgente”.
O autarca avança ainda que a Curia precisa de um melhoramento, sobretudo na rotunda principal, junto aos hotéis, por ser uma zona à noite pouco iluminada. A ideia poderá passar pela “construção de uma fonte luminosa por forma a dar uma outra vida e alegria aquele espaço.”
Óscar Ventura quer ainda reabilitar a degradada escola de Tamengos. Um equipamento escolar que foi encerrado há vários anos e sem qualquer atividade. “Entendemos que se estiver arranjada e devidamente recuperada será mais fácil entregá-la para que possa ali ser desenvolvida alguma atividade a favor das populações”.
Em matéria de equipamentos escolares diz estar prevista a requalificação profunda das EB 1 de Aguim e Tamengos. Duas grandes escolas que serão algo de atenção por parte da Câmara Municipal de Anadia durante este ano, estando em curso a elaboração dos projetos para as mesmas.
A construção de uma ciclovia que ligue a Curia ao Velódromo de Sangalhos é uma das obras que aguarda com grande expectativa, não só por este ser um concelho onde a indústria das duas rodas tem grande tradição e o ciclismo é uma das modalidades desportivas mais queridas. “Será uma mais valia para o turismo e para a região que tem um grande carinho pelo ciclismo. Será uma infraestrutura muito útil e benéfica não só para a modalidade, mas para todos, facilitando a deslocação das pessoas, incentivando o uso da bicicleta e muito bom para o turismo.”
A terminar, o autarca gostaria ainda de conseguir que a Extensão de Saúde de Tamengos voltasse a abrir aos utentes. “Já lá gastámos na recuperação do edifício cerca de 70 mil euros e seria um grande benefício para as populações, sem prejudicar as outras Extensões de Saúde”. Óscar Ventura acredita que este encerramento pode ser revertido e tem estado a lutar por essa reabertura. “Se o governo der ou criar essa possibilidade, vamos estar atentos”.

 

Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Tamengos0 Comentários

ANADIA: Município vai ser entronizado pela Confraria dos Rojões

A Confraria dos Rojões da Bairrada, com Grelo e Batata à Racha vai entronizar Confrade de Honra o Município de Anadia, durante o 3.º Grande Capítulo que se realiza a 5 de março, em Aveiro.
Esta confraria, com sede em Oliveira do Bairro, integra fundadores de todos os oito concelhos da Bairrada e tem como missão, preservar, promover e divulgar os rojões da Bairrada, assim como outras iguarias, genuinamente locais e tradicionais que sejam produtos diferenciadores das demais regiões.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada0 Comentários

ANADIA: Orquestra Desigual celebra 1.º aniversário no Cineteatro

A Orquestra Desigual da Bairrada vai celebra, no próximo dia 20 de fevereiro, o 1.º aniversário.
A data será comemorada com um espetáculo no Cineteatro de Anadia, casa de espetáculos que serviu de palco à sua estreia, a 21 de fevereiro de 2015.
A Orquestra Desigual da Bairrada é presentemente constituída por 19 elementos de idades diferenciadas, residentes no concelho de Anadia e da Mealhada. Legitimando o nome “Desigual”, o seu reportório é muito diversificado, fazendo incursões na música tradicional portuguesa, passando por fados de Lisboa e Coimbra, baladas e canções de toada coimbrã, música açoriana, procurando a interpretação musical de canções atuais de cantores/compositores e, “desigualmente”, associando na sua interpretação, trechos de música erudita como Ponchielli, Franz List, Piazola, Verdi, Larionov, adaptados ao perfil da Orquestra.
O espetáculo de aniversário será variado, repartido por quatro partes distintas. A Orquestra Desigual terá dois momentos de apresentação com muita música. Haverá um momento de dança, a cargo do grupo convidado “Grupo de Dança Jazz da Poutena”, e um momento de fado de Lisboa, por Sara Helena. Será um espetáculo recheado de muita música, cor, alegria e alguma irreverência.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Pergunta da semana

Portugueses praticam cada vez mais exercício ao ar livre. É o seu caso?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com