Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | Anadia

Dois dias de Festival Anadia Jovem com Mastiksoul e Jimmy P

mastiksoulEm Anadia, o final das férias e o regresso às aulas são sinónimo de festa, e esta vai acontecer com mais uma edição do “Festival Anadia Jovem”, hoje, dia 16 e amanhã, 17 de setembro (sexta-feira e sábado), a partir das 22h, no recinto da Feira da Vinha e do Vinho (Vale Santo), no centro da cidade.
Na sexta-feira, primeiro dia do festival, o palco do Vale Santo vai receber Mastiksoul, e ainda Rock in Soul. No sábado, será a vez de Jimmy P, da banda OnOff e do DJ Pedro Moniz. A grande novidade da edição deste ano é a gratuitidade dos ingressos. Assim, a entrada será livre para todos, o que, a par da qualidade do cartaz, constitui um motivo acrescido para que ninguém falte à festa.
O festival dá continuidade ao projeto iniciado em setembro de 2014, e enquadra-se no conjunto de ações de apoio à juventude desenvolvidas pela Câmara Municipal de Anadia e integradas no programa “Sentir Anadia”. Sempre em estreita relação com a promoção do “Cartão Anadia Jovem”, o festival conta com o apoio de diversas empresas do concelho, que também colaboram na atribuição de benefícios aos jovens mediante o uso do cartão.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Anadia recebe música e irreverência de Coimbra

fados_anadia_coimbraO Coral Quecofónico do Cifrão leva a sua irreverência até Anadia na noite da próxima sexta-feira, 16 de setembro, atuando na Praça da Juventude, a partir das 22h, no âmbito do projeto “Às Sextas na Praça”, promovido pela Câmara Municipal de Anadia.
Foi em 1993 que a Tesoural Tertúlia Irmandade das Sombras (TTIS), “que tinha por hábito fazer serenatas”, acabou por dar origem ao Coral Quecofónico do Cifrão. Com “um currículo preenchido com numerosas participações nos mais diversos eventos”, e premiada no país e no estrangeiro, esta tuna da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra lançou, em 2011, o seu primeiro CD de originais, “Irmandade das Sombras”, e, no ano seguinte, organizou “Lágrimas de Amores”, um festival de tunas que conta já com cinco edições.
É, pois, com o Coral Quecofónico do Cifrão que, em início de novo ano letivo, a Câmara Municipal de Anadia traz as tradições académicas à sua Praça da Juventude, dando assim continuidade a “Às Sextas na Praça”, um ciclo de espetáculos gratuitos, representativos dos mais diversos géneros artísticos, realizados na sede do concelho, ao ar livre, nas noites de sexta-feira. Desde maio, o público teve já oportunidade de ver e de ouvir o fado de Laços a Coimbra e de Sara Helena, a música popular de InCantus, os originais e as covers dos Ecos d’Adega, o hard rock da Hard Cover Band, o jazz do Essence Trio (do Jazz ao Centro Clube) e de Jurgen Bonsai Jazz, o teatro de O Baluarte, a música dos jovens que disputaram a final do concurso “Anadia’s Junior Talents”, o concerto “Recordar Carlos Paião”, pela Orquestra Filarmonia das Beiras, e, ainda, a música de Tríade, da Orquestra Desigual da Bairrada, dos Kurt&ceiros, The Youngsters & an Old Guy, Two Pirates and a Dead Ship, The Darwins, os Meninos da Sacristia (com a participação especial de José Cid e de Gonçalo Tavares), e ainda Fado ao Centro e a Real Fortuna Académica de Coimbra.
A edição 2016 de “Às Sextas na Praça” termina na noite de 23 de setembro com “prata da casa”: os Magicar.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Associação do Luxemburgo entrega donativo a Paula Martins

associacao_luxemburgo_donativo_paula_martins

A Associação Cultural e Humanitária da Bairrada no Luxemburgo (ACHBL) entregou, na penúltima quarta-feira, dia 7, um donativo de 6350 euros à família de Paula Martins, para que esta possa continuar a fazer a sua reabilitação numa clínica privada no Porto.
A oficialização da entrega do donativo foi feita nas Caves Aliança, com jantar oferecido pelo Restaurante Mugasa, cujo proprietário, Ricardo Nogueira, se tem mostrado muito sensibilizado com esta situação.
Têm sido, aliás, muitos os particulares, associações e empresas dedicados a esta causa, ajudando a recolher donativos ou participando em atividades para que Paula Martins tenha a melhor qualidade de vida possível.
Recorde-se que esta mulher de 39 anos viu a sua vida interrompida de forma abrupta quando, em janeiro de 2014, na preparação para uma intervenção cirúrgica, sofreu uma paragem cardiorrespiratória.
As sequelas deixaram-na num estado praticamente vegetativo: sem conseguir falar ou comunicar, tetraplégica, a usar fraldas, a ser alimentada por uma sonda e a ter de ser submetida a uma traqueostomia para respirar.
No último ano e meio, é a mãe que trata da Paula a tempo inteiro (Paula vive atualmente com os pais, em Recardães). Através de donativos e da recolha de bens recicláveis (muito fruto da dedicação das amigas Susana Santiago e Tânia Rato), Paula Martins tem realizado tratamentos na Clínica de Reabilitação Neurológica situada no Hospital da Ordem do Carmo, no Porto, cujos custos rondam os 6350 euros mensais.
Sensibilização. Presentes neste jantar, para além de elementos da direção da ACHBL, estavam membros do Rotary Clube de Oliveira do Bairro, cujo presidente, Fernando Castro, lembrou o envolvimento do clube neste caso. “Há um ano, Rotary foi alertado para esta situação e procuramos pelos nossos meios, em colaboração com os clubes de Águeda e Curia Bairrada, fazer uma campanha de angariação de fundos e sensibilizar a sociedade, que praticamente desconhecia este caso.”
Fernando Castro valorizou o papel interventivo de Susana Santiago e Tânia Rato: “Têm sido incansáveis. Elas têm sido as grandes mobilizadoras de tudo o que se tem feito e têm procurado fazer chegar a sua voz a muito lado e de muita forma.”
O anadiense Rogério Oliveira, que fundou e preside à ACHBL há mais de 20 anos, adiantou que a “pequenez” da associação não permite “ajudar muita gente todos os dias”. No entanto, “temos apoiado muitas causas”. Este caso sensibilizou a associação e, adiantou Rogério Oliveira, outros apoios estão já a ser analisados, informando que o próximo será para os Bombeiros de Portugal. “Não sabemos ainda qual a corporação, mas vamos ajudar os bombeiros, a nível nacional. Uma atribuição de cinco mil euros, que vamos discutir na próxima reunião de direção.”

Boa recetividade. Susana Santiago e Tânia Rato, também presentes neste jantar, sublinharam a JB que a recetividade e adesão da população às ações realizadas “têm sido muito boas”. Está já na forja uma iniciativa de grande impacto, nos dias 12 e 13 de novembro, no Espaço Inovação, em Oliveira do Bairro. “Será um evento com concertos e tasquinhas, em que as bandas/músicos e os DJ’s vão atuar gratuitamente, assim como o espaço foi cedido gratuitamente e a comida e as bebidas serão oferecidas”, destacaram as amigas de Paula Martins.

Oriana Pataco
oriana.b.pataco@jb.pt

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Jornada de convívio de antigos alunos da Escola Primária

antiga_escola_primaria_anadiaAs alunas e alunos que frequentaram a demolida Escola Primária de Anadia entre 1933 (ano da sua inauguração) e 1957 vão realizar no próximo dia 8 de outubro (sábado) o seu 3.º convívio.
Tem sido e espera-se que continue a ser uma jornada de convívio e confraternização, proporcionando o reencontro de pessoas que já não se veem há longos anos, o recordar de momentos mais ou menos pitorescos que já não voltam, a tentativa de remoçar, aliviar e esquecer, por algumas horas, as maleitas e agruras que nos afligem, enfim: conviver.
Contamos com a presença de todos aqueles que frequentaram a escola no referido período mas, para isso, será necessário que se recenseiem, o que deverá ser efetuado até ao próximo dia 15 de setembro, junto de um elemento da Comissão Promotora do Convívio.
Desde já se compromete a Comissão que para o próximo ano de 2017 serão integrados no Grupo os restantes ex-alunos que frequentaram a escola até ao seu encerramento (ano letivo de 1961/62).
Deste modo, o Grupo ficará constituído por todos aqueles e aquelas que surraram os fundilhos das calças e lhes amareleceu a sua branca bata naquele edifício “A Nossa Escola” de que sentimos alguma nostalgia.

A Comissão Promotora do convívio
(Maria Teresa de Matos Cruz Pereira, Maria Isabel Lourenço da Silva, Maria Helena Maçãs Lares, António Luís da Silva Pereira, Alexandre Manuel Pereira e Jorge Manuel Pereira Mamede

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Coimbra numa noite de música em Anadia

fado_coimbraAnadia vai dedicar a noite da próxima sexta-feira, 9 de setembro, à música de Coimbra, com a atuação do grupo Fado ao Centro e da Real Fortuna Académica de Coimbra, na Praça da Juventude, a partir das 22h, no âmbito do projeto “Às Sextas na Praça”, promovido pela Câmara Municipal de Anadia.
É a terceira vez que “Às Sextas na Praça” proporciona a Anadia uma serenata pelo prestigiado grupo Fado ao Centro, do Centro Cultural – Casa de Fado de Coimbra / Associação Cultural e Artística do Centro, cuja sede, no mítico Quebra Costas, em Coimbra, foi distinguida pelo jornal britânico “The Guardian” como um dos 15 locais de visita obrigatória em Portugal.
Com uma atividade intensa, o grupo mantém digressões no país e no estrangeiro: em 2016, dos muitos espetáculos realizados pelo país fora, destaque para o que teve lotação esgotada na Casa da Música, no Porto, e, além-fronteiras, para as atuações, sempre com casa cheia, em diversas cidades europeias (Bélgica, Holanda, Alemanha, Espanha, França, Suíça e Áustria) e em Moçambique.
A noite ficará completa com a atuação da Real Fortuna Académica de Coimbra, uma “tuna de Coimbra que se motiva e se move pela Academia de Coimbra… não tendo outra cor senão o preto das suas capas e outra música senão a canção Coimbrã dos seus corações”.

Leque de espetáculos gratuitos. Esta noite “de Coimbra” acontece no âmbito de “Às Sextas na Praça”, um ciclo de espetáculos gratuitos, representativos dos mais diversos géneros artísticos, concebido e organizado pela Câmara Municipal de Anadia, e que vem decorrendo na sede do concelho, na Praça da Juventude, ao ar livre, nas noites de sexta-feira.
Desde maio, já por ali passaram o fado de Laços a Coimbra e de Sara Helena, a música popular de InCantus, os originais e as covers dos Ecos d’Adega, o hard rock da Hard Cover Band, o jazz do Essence Trio (do Jazz ao Centro Clube) e de Jurgen Bonsai Jazz, o teatro de O Baluarte, a música dos jovens que disputaram a final do concurso “Anadia’s Junior Talents”, o concerto “Recordar Carlos Paião”, pela Orquestra Filarmonia das Beiras, e, ainda, a música de Tríade, da Orquestra Desigual da Bairrada, dos Kurt&ceiros, The Youngsters & an Old Guy, Two Pirates and a Dead Ship, The Darwins, e os “Meninos da Sacristia” com a participação especial de José Cid e de Gonçalo Tavares.
Na noite de 16 de setembro atuará o Coral Quecofónico do Cifrão, cabendo aos Magicar, na sexta-feira seguinte, encerrar a edição deste ano de “Às Sextas na Praça”.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Confraria do Leitão junta as “7 Maravilhas da Gastronomia” na Bairrada

Confraria do Leitão junta as “7 Maravilhas da Gastronomia” na Bairrada

Faz, no próximo dia 10 de setembro, 5 anos que o Leitão da Bairrada foi eleito (na categoria “Carne”) uma das 7 Maravilhas da Gastronomia Portuguesa. Como forma de celebrar a efeméride, a Confraria do Leitão da Bairrada organiza um jantar no próximo dia 10 de setembro (sábado), onde serão degustadas as 7 Maravilhas (Queijo Serra da Estrela; Alheira de Mirandela; Sardinha Assada; Caldo Verde; Arroz de Marisco; Leitão da Bairrada e Pastel de Belém) e que terá um caráter solidário: o resultado do evento será entregue a 5 IPSS’s da Bairrada – Paraíso Social de Aguada de Baixo (Águeda); Centro Social Cultural e Recreativo de Avelãs de Cima (Anadia); PRODECO – Progresso e Desenvolvimento de Covões (Cantanhede); CAPP – Centro de Assistência Paroquial da Pampilhosa (Mealhada) e Centro Social e Paroquial S. Pedro da Palhaça (Oliveira do Bairro).

O jantar realiza-se na Quinta de Santo António, na Fogueira (Sangalhos), a partir das 19h30 e tem um custo de 40 euros.

Inscrições e informações: 234 746 053 / c.g@leitaobairrada.com

Posted in Águeda, Anadia, Cantanhede, Destaque, Mealhada, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada, Região0 Comentários

Região: “Encontro com o Vinho e Sabores” de 30 de setembro a 2 de outubro

Região: “Encontro com o Vinho e Sabores” de 30 de setembro a 2 de outubro

Setembro e outubro são meses de eleição na nossa Bairrada. É tempo de vindimas e a azáfama e euforia tomam conta dos que se dedicam a esta atividade. É tempo de celebrar, reunindo o que de melhor há na região. Para dar corpo a esta máxima, realiza-se pelo quarto ano consecutivo o “Encontro com o Vinho e Sabores Bairrada” (EVSB), um evento que promove os néctares e a gastronomia, mas também a oferta turística.
O evento realiza-se de 30 de setembro a 2 de outubro no Velódromo Nacional – Centro de Alto Rendimento de Sangalhos, numa organização conjunta da Comissão Vitivinícola da Bairrada, do Município de Anadia e do Turismo do Centro de Portugal, com produção da Revista de Vinhos e apoio da Rota da Bairrada, Instituto da Vinha e do Vinho, ViniPortugal, entre outras entidades.

Mesmo formato. O sucesso das edições anteriores dita que o formato se mantenha: feira de vinhos e sabores ao longo dos três dias do evento, três provas de vinhos comentadas por críticos da Revista de Vinhos (uma por dia), dois jantares temáticos e a edição de 2016 do “Concurso de Vinhos e Espumantes Bairrada”.
“Bairrada – Três Vindimas de Excelência: 1991, 2001 e 2011” dá mote à tão entusiasta e marcante prova com que Luís Ramos Lopes, crítico de vinhos e director editorial da Revista de Vinhos, vai brindar aos enófilos que se inscreverem na prova que vai ter lugar no sábado, no Museu do Vinho Bairrada.
A primeira prova acontece na sexta-feira; com o nome “Bairrada Blend”, comporta vinhos brancos e tintos que misturam castas clássicas com outras menos tradicionais, mantendo o forte caráter da região. A de domingo é dedicada aos “Espumantes de Baga”, onde se incluem os novos Baga@Bairrada.
Tendo como palco o restaurante do espaço onde se realiza o EVSB, o leitão da Bairrada volta a ser rei à mesa do jantar temático “Sabores da Terra”, que este ano vai ser servido pela equipa da Nova Casa dos Leitões. No sábado, o bacalhau dá mote ao jantar “Sabores do Mar”, sendo confecionado com a mestria criativa da cozinha do Salpoente.
A entrada no evento é livre, sendo que, para as provas, é necessário adquirir um copo e bolsa, por 3 euros (2 euros a quem apresente convite devidamente preenchido). As Provas Comentadas ficam por 10 euros sexta-feira e domingo; e 20 euros para a de sábado.
O preço dos Jantares Temáticos é de 35 euros, com vinhos incluídos.
O Encontro com o Vinho e Sabores abre às 17h na sexta-feira e encerra às 22h; sábado, das 15h às 22h, e domingo, entre as 15h e as 20h.

PROGRAMA
Sexta-feira, 30 set.
17h – Inauguração
18h – Prova “Bairrada Blend”, por crítico de vinhos da Revista de Vinhos
19h30 – Entrega de Prémios do ‘Concurso de Vinhos e Espumantes Bairrada 2016’
20h – Jantar Temático “Sabores da Terra”, por Nova Casa dos Leitões (no restaurante do EVSB)
22h – Encerramento
Sábado, 1 out.
15h – Abertura
18h – Prova “Bairrada – Três Vindimas de Excelência: 1991, 2001 e 2011, por Luís Lopes (no Museu do Vinho Bairrada)
20h – Jantar Temático “Sabores do Mar”, por Salpoente (no restaurante do EVSB)
22h – Encerramento
Domingo, 2 out.
15h – Abertura da Feira
15h30 – Prova “Espumantes de Baga”, por crítico de vinhos da Revista de Vinhos
20h – Encerramento do EVSB

Encontro com o Vinho e Sabores: já vai na 4.ª edição

O “Encontro com o Vinho e Sabores Bairrada” teve a sua primeira edição em 2013.
A iniciativa surgiu de uma vontade conjunta de promover o que de melhor a região tem, capitalizando para (re)afirmar a identidade Bairrada através da promoção dos seus produtos mais emblemáticos, como sejam os vinhos e espumantes Bairrada – com certificação de Denominação de Origem –, mas também a sua gastronomia ímpar, com destaque para o leitão da Bairrada, o pão da Mealhada e a sua riquíssima doçaria regional: ovos moles de Aveiro, Amores da Curia, queijadas de Águeda, Folar de Vale de Ílhavo, entre outras iguarias.
Este é um evento capaz de atrair milhares de visitantes e que pretende valorizar a imagem da região numa oferta turística integrada onde as valências de enoturismo, do turismo termal, hotelaria e restauração constituem um fator dinamizador.

Posted in Águeda, Anadia, Cantanhede, Mealhada, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada, Vagos0 Comentários

Vagos: Peregrinação de Ancas sem acolhimento religioso

Vagos: Peregrinação de Ancas sem acolhimento religioso

Afinal, nem sempre a tradição é para cumprir. Que o digam as dezenas de peregrinos da paróquia de Ancas, que na última sexta-feira cumpriram, em Vagos, mais uma promessa ancestral.
Chegaram à hora aprazada, por volta das sete da tarde, depois de terem atravessado a pé terras bairradinas. Mas não tinham qualquer entidade religiosa a recebê-los. Nem padre, que à mesma hora rezava missa, nem diácono, este ausente por razões de saúde.
“Que me lembre, nunca tal aconteceu”, confessou-nos, desacorçoado, um antigo juiz da igreja de Ancas, devoto confesso da Senhora de Vagos, que não quis identificar-se. Apesar de não ter feito a totalidade do trajeto a pé (diz que foi forçado a parar, em Bustos, “por causa da perna”), acabou por reconhecer que “o povo não teve o devido acolhimento”.
Tal situação, que terá deixado igualmente perplexo o juiz da igreja e restante mordomia, acabaria resolvida com a intervenção de um leigo. Habituado às causas religiosas, Basílio Oliveira acompanhou a procissão, desde o monumento do Poder Local, até à igreja matriz, tendo presidido à recitação comunitária do terço.
Alguns peregrinos pernoitaram no quartel dos bombeiros, utilizando esteiras “como antigamente”, enquanto outros regressaram a casa. Segundo o juiz da igreja, que desvalorizou o que se passou no acolhimento, a adesão de peregrinos “está estabilizada, se bem que este ano até tenha aumentado”. Os jovens continuam a “gostar desta experiência de fé”, admitiu Vítor Rosa Simões, confirmando que os idosos aproveitam “boleia” dos familiares e “não costumam faltar à missa”.

Cânticos e ladainhas. No sábado, a alvorada foi às sete, com os peregrinos na estrada, em procissão, rumo ao santuário da Senhora de Vagos. Foram agradecer, com cânticos e ladainhas, o “dom da chuva” que nos séculos XVII ou XVIII veio pôr ponto final na prolongada seca, de sete anos, na região da Bairrada.
Para além do juiz da igreja e respetiva mordomia, marcaram presença na procissão as mordomas de S. Martinho, que haviam transportado, à cabeça, o pesado tabuleiro com as lanternas e a cruz de prata da paróquia de Nossa Senhora da Assunção. Antes da missa, celebrada pelo pároco de Ancas, Pe. João Carlos Carvalho, o cortejo deu três voltas à capela. No final da celebração, o juiz Vítor Simões prestou contas, tendo deixado, no santuário, a contribuição monetária recolhida na freguesia.
Organizado pela “juíza”, Maria Manuela Seabra, o almoço de receção aos peregrinos não se realizou este ano em Amoreira da Gândara, devido a obras no local, tendo decorrido em Ancas, no parque da Lagoa do Paul.
Eduardo Jaques
Colaborado

Posted in Anadia, Ancas, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Incêndios/Anadia: “Há muito que não se via tamanha união e solidariedade no concelho”

Incêndios/Anadia: “Há muito que não se via tamanha união e solidariedade no concelho”

 

Já lá vão três semanas mas o violento incêndio que, durante vários dias, não deu descanso aos bombeiros e às populações da nossa região, em particular de Águeda, Anadia e Mealhada, continua bem vivo na memória de todos. Apesar de os números não serem ainda exatos, terão ardido, entre Anadia e Mealhada, 5 a 6 mil hectares (mais de metade em Anadia) e, pese embora as muitas ameaças e casas em risco, arderam “apenas” duas habitações (uma em VN Monsarros, outra em Vale da Mó, esta uma segunda habitação). Pior mesmo foram os sete bombeiros da corporação de Anadia feridos, um deles em estado grave. Trata-se de Liliana Bastos, de 32 anos, que, no mesmo dia (25 de agosto) em que recebeu, no hospital, a visita do Secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, teve alta, após uma cirurgia ao joelho, que a obrigará a uma recuperação de cerca de um ano.

Meios insuficientes para chegar a todo o lado. “Foram dias muito difíceis”, afiança a presidente da Câmara Municipal de Anadia, Teresa Cardoso, cuja casa também chegou a estar em risco. “Quando vemos o fogo a chegar a nossas casas é uma angústia muito grande. Eu assisti a isso, vi a aflição das pessoas e até a minha casa esteve em risco e eu nem sequer estava lá…”. A autarca recorda a dificuldade para controlar os focos de incêndio, face também às condições meteorológicas adversas. “Quando parecia que a situação estava a ficar controlada, tudo se alterava, o vento começava a soprar noutra direção e a aflição recomeçava, colocando várias populações em risco – Parada, Vila Nova de Monsarros, Monsarros, Vale da Mó, Ferreiros, até Póvoa do Pereiro, próximo da minha casa…”.
Teresa Cardoso assegura que “não havia meios para chegar a todo o lado”. “Eram tantas as frentes!” Por isso, ressalva o apoio de todas as entidades, dos bombeiros – “que vimos a ficarem exaustos, dia após dia” – e também dos populares. “Todas as entidades envolvidas deram o seu melhor, há muito que não se via tamanha união e solidariedade no concelho.”
Mesmo por parte da administração central, a autarca afirma que recebeu todo o apoio. “O Sr. Presidente da República contactou-me de imediato para fazer o ponto de situação, e a ministra da Administração Interna e o secretário de Estado estiveram em permanente contacto comigo e, em momentos de grande aflição, eu própria os contactava”, registando ainda o apoio solidário recebido por parte do presidente da Associação Nacional de Municípios e da Liga de Bombeiros.

Leia a reportagem completa na edição impressa do Jornal da Bairrada

Posted in Anadia, Destaque, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Mais uma noite de música, esta sexta, em Anadia

Mais uma noite de música, esta sexta, em Anadia

Two Pirates and a Dead Ship e The Darwins são as próximas bandas a atuar em Anadia, na Praça da Juventude, em mais uma sessão de “Às Sextas na Praça”, que terá lugar esta sexta-feira, 26 de agosto, a partir das 22h.

Cabe aos Two Pirates and a Dead Ship abrir as “hostilidades”, com a sua sonoridade psychedelic / stoner / instrumental. Criado em 2105, este grupo de Anadia integra João Canas (guitarra), Pedro Santiago (baixo) e João Amorim (bateria). Na segunda parte, sobem ao palco The Darwins, que se apresentam como “um grupo de estilo alternativo”, que busca inspiração em “todo o conceito “Grunge” dos anos 90”. Com “um reportório baseado em originais e alguns covers”, esta banda, também de Anadia, surgiu em 2010, e conta com Vasco Nascimento (bateria), Beto Melo (baixo), Gonçalo Maia (guitarra /voz), e Henrique Nascimento (guitarra).

A atuação das duas bandas decorre no âmbito de “Às Sextas na Praça”, um programa de dinamização e de divulgação cultural, organizado pela Câmara Municipal de Anadia com o objetivo de animar o centro da capital da Bairrada.

Na noite de 2 de setembro, a Praça da Juventude recebe os Meninos da Sacristia, cuja presença estava inicialmente agendada para dia 23. Nesta sexta-feira, atuarão então os Magicar, que preencherão a quarta e última sessão do mês de setembro, a qual encerrará a edição 2016 de “Às Sextas na Praça”.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada0 Comentários

SFImobiliaria

Pergunta da semana

É assinante do Jornal da Bairrada?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com