Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | Oliveira do Bairro

João Paulo Santos no Quartel das Artes

O Quartel das Artes recebe no próximo dia 29 de agosto, às 21h30, a primeira apresentação de “Abril”, a mais recente criação da Companhia Ultimo Momento, de e com João Paulo dos Santos e Elsa Caillat. Um espetáculo de novo circo, que surge da encomenda da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro, no âmbito do projeto Cultura em Rede. Uma oportunidade para conhecer o trabalho de João Paulo Santos, artista português circense no mastro chinês, radicado em França há vários anos, surge pela primeira vez em palco ao lado da sua companheira Elsa Caillat, acrobata na corda vertical.

Abril é um projeto de expressão plástica, com recurso a diversos materiais, com destaque para os aparelhos de circo (um mastro chinês, uma corda de escalada e um mastro suspenso). Tendo o circo como ferramenta e linguagem artística, João e Elsa decidem fundir os seus universos para criar algo novo e singular. Trata-se de encontrar um ponto comum para transcrever a evidência de um encontro. O desafio será de explorar juntos o espaço cénico. É agora que se vão despir sem tirarem a roupa, deixar dançar a alma mais que o corpo só. O resultado é uma criação em torno das misturas do encontro humano e artístico, para dar à luz uma criação sensível, íntima e poderosa. Uma dança ritual, embriagante que esquece as condições (mastro ou corda) para o reencontro franco e sem artefactos, corpo a corpo.

Os bilhetes custam 5€ e podem ser adquiridos na bilheteira do QA, de 11 a 14 de agosto, a partir de dia 26 de agosto e no próprio dia do espetáculo, mas também online em http://www.bilheteiraonline.pt/Comprar/Bilhetes/20941-abril-quartel_artes_dr_alipio/. Para reservas os contactos são: quarteldasartes@cm-olb.pt | 939030166.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada Comentários

Juntos vamos celebrar a alegria e a tenacidade dos sonhadores

A população da Palhaça recorda e comemora esta semana (dias 14 e 15 de agosto) meio século de aniversário sobre a sagração da sua igreja matriz. Segundo o Padre João Gonçalves, administrador paroquial da Palhaça, esta é uma oportunidade de congregar as pessoas: “Comemorar 50 anos da Sagração de uma Igreja é comemorar um ato de fé e de festa. De festa porque recordamos historicamente pessoas que foram extraordinárias, que levaram por diante um sonho, que concretizaram nesta igreja, com tantas dificuldades que haviam na altura mas também com uma luta tremenda fora de série. E de fé porque um templo é um ato de fé, as pessoas que vêm ao templo, veem a expressão da fé de uma comunidade. As pessoas que acreditam oferecem a Deus espaços e oferecem a si mesmas espaços para que possam, no silêncio e em comunidade, louvar e bem dizer a deus. Estão todos convidados a juntarem-se a nós nesta alegria de estarmos juntos.”

14 de agosto – Uma noite para recordar nos próximos 50 anos. Do programa destas comemorações destaca-se na quinta-feira, 14 de agosto, o momento 14.08.14, marcado para as 22h, no adro da igreja paroquial, onde irá desaguar a “Estrada de Luz – procissão das velas” que vai da Igreja de Vila Nova, passando pela Praça de S. Pedro, até à Igreja Matriz. “Com esta Estrada de Luz, queremos sair à rua com muito mais do que uma procissão, queremos ser uma manifestação da luz que o cristão é, e que Cristo tem de significar para o mundo”, explica o Padre João.
Logo de seguida, o momento comemorativo – 14.08.14 – será uma ocasião única e especial para relembrar, de forma inédita, a história e os protagonistas que tornaram possível a construção da igreja matriz há meio século. “Esta será, com certeza, a maior surpresa desta celebração, um momento que estamos a preparar para que seja extraordinário e marcante, que ajude a aprofundar o nosso conhecimento sobre a história do templo. Vamos fazê-lo recorrendo às novas tecnologias e tirando partido do nosso espaço, da nossa igreja. Queremos que este momento possa ficar na memória de todos, mas sobretudo das novas gerações, para os próximos 50 anos.”

15 de agosto – Uma Igreja de portas abertas para rezar e visitar. Já na sexta-feira, feriado de dia 15 de agosto, as portas da igreja abrem-se para a celebração da eucaristia às 10h30, com a participação do Coro 50, como refere o administrador paroquial: “um momento para a paróquia dar graças a Deus e rezar por todos aqueles que já partiram e que foram pedras fundamentais na construção deste templo, de uma forma muito especial recordarmos o P. Manuel Oliveira, pároco de então.”
Para encerrar esta comemoração, a partir das 15h, a abertura da exposição “Igreja de Portas Abertas, uma mostra que documenta alguns dos aspetos mais relevantes relacionados com o templo palhacense e a sua história. “Um espaço para que cada um, reviva e revisite alguns dos momentos dessa alegria pelo que realizamos, pela história que somos e alegria pelas pessoas que nos doaram este templo, um sonho dos nossos antepassados que se tornou uma realidade e para o qual convido todos: que juntos possamos recordar e reviver essa alegria.”

Posted in Palhaça, Por Terras da Bairrada Comentários

Concelho de Oliveira do Bairro no Verão Total da RTP durante três horas

Concelho de Oliveira do Bairro no Verão Total da RTP durante três horas

Oliveira do Bairro recebeu, no passado dia 5, a partida da 6.ª etapa da 76.ª edição da Volta a Portugal em Bicicleta.
Mais uma vez, a cidade foi palco, durante três horas, do programa da RTP Verão Total, apresentado pelo entertainer Herman José e Catarina Camacho. Pelo programa, além do presidente da Câmara Municipal, Mário João Oliveira, passaram vários convidados do concelho que foram apresentando alguns dos aspetos que caraterizam o município- da gastronomia ao folclore, passando pela música tradicional – e outros que vão surgindo e criando referências, nomeadamente na área do empreendedorismo e da educação.
Participaram neste programa Verão Total: Grupo de Cantares dos Moinhos; grupo de estudantes da Escola Secundária de Oliveira do Bairro, mentores do Projeto T Box; dois casais seniores que habitualmente frequentam o Chá Dançante, iniciativa da autarquia que todos os meses promove uma matiné de baile e convívio dedicada ao público com mais de 65 anos; Rancho Folclórico “As Vindimadeiras da Mamarrosa”; bordadeira Benilde Nogueira que, aos 90 anos, é uma das mais antigas na arte dos bordados e da costura, continuando a dar aulas às novas gerações; Júlio Teixeira, diretor da Recer, um dos maiores grupos empresariais do concelho, herdeiro da secular tradição de trabalhar o grés e um dos maiores empregadores do concelho; Fernando Martins da Quinta do Cavaleiro, empresa vitivinícola que produz vinhos maduros tintos e várias qualidades de espumantes a partir da Mamarrosa; Pastelaria Maria Bonita, uma referência na doçaria e pastelaria local, com a produção de bolas com massa de pão d’avó, massa folhada e de brioche, com leitão e rojão, certificados pelas respetivas confrarias, bem como criadora das já famosas “Oliveirinhas”, um doce que esta pastelaria concebeu inspirado no pastel da Bairrada, com um toque especial à Oliveira do Bairro; e o chef Gonçalo Soares do restaurante Magnuns’s & Company, instalado no Espaço Inovação, local onde se podem experimentar alguns dos melhores pratos de peixe da nossa costa que se comem na região.

Posted in Destaque, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada Comentários

Produtores da batata voltam a protestar e pedem apoio à Câmara Municipal de Oliveira do Bairro

Produtores da batata voltam a protestar e pedem apoio à Câmara Municipal de Oliveira do Bairro

Depois de há oito dias se terem juntado, na freguesia de Vilarinho do Bairro, em protesto pelo escoamento e melhores preços da batata e pelo silêncio do Governo, a Comissão dos Produtores de Batata e a ALDA – Associação da Lavoura do Distrito de Aveiro reuniu, de novo, com os produtores e agricultores de batata, desta vez junto à Câmara Municipal de Oliveira do Bairro.
Uma comissão de oito agricultores acabaria por ser recebida por Cristóvão Batista, vice-presidente da autarquia oliveirense, que prometeu contactar as câmaras de Anadia e Vagos, com o intuito de promover, o mais rápido possível, uma reunião com Assunção Cristas, Ministra da Agricultura.
Na base do problema estão os cinco cêntimos por quilo (branca ou vermelha) oferecidos aos agricultores por este tubérculo, o que dizem “nem dar para as arrancar da terra”.
“Em causa está a defesa dos interesses dos produtores de batata da região. A batata parecida com a nossa, nas grandes superfícies, continua a preços mais altos no consumidor, acima dos 30 ou 40 cêntimos o quilo”, adiantou Albino Silva, presidente da ALDA.
“Continuamos a aguardar por uma resposta às nossas reivindicações por parte do Governo. A situação é lamentável e a tutela já devia ter intervindo. Com os Bancos resolveram o problema com urgência”, disse Albino Silva, que questionou “se a Ministra da Agricultura e o Governo não têm um minuto para nos responder”. Aquele dirigente foi mais longe e avançou estarem os produtores “a ser roubados”, reinando “a especulação, com grandes prejuízos para os produtores e também para os consumidores que pagam muito mais por batata que não tem a qualidade da nossa. A batata que aparece nos grandes mercados não nos merece confiança, mas a nossa, de boa qualidade, vai ficar a apodrecer na terra sem escoamento e sem preço à produção.”
Albino Silva pede ainda que o Governo intervenha, o mais rápido possível, para resolver este problema, que controle e fiscalize e, que dessa forma, limite as importações de batata e de outros produtos e bens alimentares, assim como a atividade especulativa dos hipermercados.
Por seu turno, João Dinis, da Confederação Nacional da Agricultura, afirmou que “estamos perante um problema grave e que é necessário resolver os cinco cêntimos por quilo. É um roubo”, referindo-se ainda aos preços praticados nas grandes superfícies, mas também à qualidade da batata. “Especula-se que a batata pode vir do Egito ou da França, por isso temos que fiscalizar estas anomalias do comércio e importação da batata.”
“Há oito dias, o CNA esteve reunido com a Ministra da Agricultura, para que fizesse uma reunião com elementos das câmaras, direção da CALCOB e com a distribuição. Na altura, a ministra delegou no Secretário de Estado da Agricultura essa reunião, mas ainda não fomos convocados”.
O representante do CNA diria também que “os donos da Cooperativa são os sócios. Quem está à frente das direções tem que ouvir os sócios, temos que lutar pelos nossos problemas, é importante que todas as partes se reúnam e informem do que se está a passar.”
Por último, Tiago Vieira, do grupo parlamentar do PCP – Aveiro, que também veio dar apoio aos produtores de batata, diria: “Vocês são a força para alterar isto.”

Manuel Zappa
zappa@jb.pt

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada Comentários

Autarquia aposta na requalificação e limpeza da floresta

A Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, através do pelouro das Florestas, em estreita parceria com as Juntas de Freguesia, iniciou em agosto um plano de requalificação, regularização e limpeza dos caminhos florestais em todo o concelho no âmbito do Plano Municipal de Defesa da Floresta.
Segundo o vereador do Pelouro, António Mota, a autarquia pretende com esta ação reforçar a aposta na preservação do ambiente, melhorar as condições de acesso às áreas florestais e prevenir o flagelo dos incêndios. “Entendemos que esta aposta permite uma melhor requalificação da floresta, bem como a sua vigilância preventiva.Trata-se de um investimento num bem inestimável, para o qual nem sempre a população está consciente. Há demasiados caminhos intransitáveis e suscetíveis de colocarem em risco a vida dos bombeiros numa situação de emergência e isso pode vir em prejuízo de todos nós e do concelho que representamos, em caso de fogo”, disse.
No âmbito desta ação serão tratadas várias dezenas de quilómetros de caminhos para criar melhores acessos às zonas florestais, sobretudo nas áreas onde a mancha florestal é mais densa.
Esta operação, que começou pela União de Freguesias de Bustos, Troviscal e Mamarrosa, vai continuar pelas restantes freguesias, durante os meses de agosto e setembro, com a afetação diária de pessoal e equipamento da autarquia.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada Comentários

Cultura: Fernanda Vagueiro lança novo livro e presenteia Bombeiros de Ol. do Bairro

Cultura: Fernanda Vagueiro lança novo livro e presenteia Bombeiros de Ol. do Bairro

Foi com pompa e circunstância que Fernanda Vagueiro, natural do lugar do Montouro, freguesia de Covões, concelho de Cantanhede e a residir atualmente no Luxemburgo, apresentou, no passado sábado, no Quartel das Artes, em Oliveira do Bairro, o seu sexto livro, com o título “O Livro dos meus Sonhos inspirado por um grande amor”.
Trata-se de um livro de poemas inspirado por um grande amor e onde as crianças são a razão do seu viver. Nos últimos dez anos, escreveu e editou seis livros e, no cumprimento de uma promessa ao abrigo da sua fé, pelo sucesso alcançado aquando de várias intervenções cirúrgicas a que foi submetida, o produto da venda dos seus livros tem revertido sempre a favor das crianças desprotegidas.
Desta vez, resolveu entregar um cheque no valor de 1400 euros à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Oliveira do Bairro para a compra de quatro monitores de sinais vitais. Trata-se de um equipamento portátil, que serve para avaliar as vítimas no local, medindo a tensão arterial, a frequência cardíaca e o oxigénio.
Depois da atuação do Grupo de Cantares “As Raízes da Nossa Terra”, da ADREP, Palhaça, seguiu-se a apresentação do livro.
Na ocasião, Fernanda Vagueiro, bastante emocionada, agradeceu à família, que esteve em peso, com particular destaque para as suas filhas, Cristina e Jaqueline, referindo que “a vida pode ser melhor se nós quisermos que ela o seja”, acrescentando serem as crianças a razão do seu viver.
A escritora bairradina diria ser esta “mais uma vitória. Agradeço a Deus o mérito de ser feliz de poder ajudar alguém. É isso que me faz feliz e por isso é que luto com todas as minhas forças”.
A filha, Cristina tem acompanhado o percurso da mãe. “É uma mulher que eu admiro e da qual me orgulho. Já sofreu muito, soube erguer-se e há dez anos a esta parte tem ajudado as crianças. É uma mulher de armas, sonhadora e que ainda não perdeu a esperança de amar. Os versos falam de amor, sonhos e esperanças. A minha mãe adora escrever e, antes de pensar nela, pensa na família.”
Da mesma forma, Jaqueline, a outra filha, diria, na ocasião, que “a mãe é única, é uma mulher lutadora. Pensa sempre em primeiro lugar na família, depois nela”.
Acácio Oliveira, fez a apresentação da autora. O dirigente da Shalom de Águeda conheceu Fernanda Vagueiro há dez anos e estabeleceram uma grande amizade. “As crianças são algo de muito especial, de mágico para ela. Neste período de tempo já ajudou com equipamentos ou donativos o Hospital Pediátrico de Coimbra, Instituto Português de Oncologia de Coimbra, Hospital de Aveiro, Rotary Clube de Oliveira do Bairro e Águeda, Bombeiros Voluntários de Oliveira do Bairro, Associação Baptista Shalom de Águeda, da qual faço parte, entre outros.”
Aquele interlocutor deu a conhecer que Fernanda Vagueiro desenvolve um trabalho com um grupo de 260 mulheres no Luxemburgo, vendendo produtos à porta da igreja.
A terminar, Alberto Nunes Cardoso, presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Oliveira do Bairro, afirmou ter conhecido a escritora “há três dias e deu logo para perceber que era uma pessoa boa, com um grande sentido humanitário. O equipamento que nos oferece pode salvar vidas e é um grande valor que está a dar aos bombeiros”.

Manuel Zappa

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada Comentários

Oliveira do Bairro: Câmara entrega subsídios às associações que cumprem

A Câmara Municipal de Oliveira do Bairro decidiu entregar os subsídios associativos apenas às associações que cumpram, escrupulosamente, o estipulado, há muito, pela autarquia, nomeadamente a entrega do Plano de Atividades, Orçamento, e o relatório do conselho fiscal.
“Os serviços estiveram a conferir todas as associações que entregaram estes elementos”, afirmou Mário João Oliveira, presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro. “A vontade da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro era atribuir o subsídio a todas as associações.” “Trata-se do cumprimento de um ato de exigência, pois não basta chegar as contas, é necessário o comprovativo da realização de uma Assembleia Geral”, explicou Mário João Oliveira, acrescentando que “as associações de solidariedade social são as mais cumpridoras no concelho e que as outras, conforme entreguem a documentação, receberá os subsídios”.

Subsídios. Centro Ambiente Para Todos do Troviscal, 4 mil euros; Centro Social São Pedro da Palhaça, 4 mil euros; AMPER, 4 mil euros, mais 12 mil euros protocolados para remodelação da cozinha; Solsil, 4 mil euros; Santa Casa da Misericórdia de Oliveira do Bairro, 4 mil euros, mais mil euros para apoio a um projeto da área família; Sóbustos, 4 mil euros; ABC Bustos, 4 mil euros, acrescido de mil euros para o projeto da área da família e ainda protocolados 12 mil euros para apoio à aquisição de uma viatura; Recanto da Natureza, 4 mil euros; Infantário Frei Gil, 4 mil euros; ADASMA, 5 mil euros; Rancho Folclórico São Simão da Mamarrosa, 1500 euros; ABC Mamarrosa, mil euros, mais a manutenção dos 20 mil euros; Escuteiros do Troviscal, 3500 euros (contempla do trabalho que é desenvolvido nas bilheteiras da FIACOBA); Orfeão de Bustos,4500 euros; União Desportiva Recreativa e Cultural do Silveiro, 15 mil euros, mais um protocolo de 25 euros para os encargos da construção da sede; Confraria dos Rojões da Bairrada, 500 euros; OBSC,4 mil euros (apoio para um torneio infantil já levado a efeito); ADREP, 20 mil euros, mais um protocolo de apoio plurianual, 150 mil euros dividido entre 2014 e 2017.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada Comentários

Oliveira do Bairro: CDS/PP quer unir VIVA As Associações à FIACOBA

O vereador do CDS/PP, Jorge Pato, sugeriu, na penúltima quinta-feira, durante a reunião da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, que o evento VIVA As Associações seja unificado com a FIACOBA e Feira do Cavalo.
Jorge Pato defendeu que “a presença das associações na feira daria outra massa crítica, diminuindo mesmo os encargos”.
O centrista deu a conhecer ainda que, na sua opinião, “a feira correu melhor do que a edição do ano anterior”.
António Mota, vereador responsável pela organização da FIACOBA e da Feira do Cavalo, também disse não ter dúvidas que “foi uma feira um pouco diferente, envolvendo muitas mais entidades, entre as quais a CALCOB, Kiwicoop, a Comissão Vinícola e muitas outras que se associaram à feira”. “O sucesso também se deve a estas associações”, explicou António Mota, reforçando que “os expositores, quer em número quer em qualidade, deram origem a um crescimento em termos de quantidade quer em qualidade”.
O autarca referiu ainda que “a Feira do Cavalo teve um aumento do número de concursos nacionais, alguns dos quais contaram com a presença de campeões nacionais, que deixaram boas referências. A feira nunca teve tantos animais, o que se traduziu num aumento significativo destes dois eventos”.
António Mota defendeu ainda que “numa próxima iniciativa, será necessário reforçar a iluminação”, anunciando que a próxima edição começará a ser tratada em setembro e que “já temos garantida a presença de muitos expositores que decidiram manter a sua presença”.
Por seu lado, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, Mário João Oliveira, explicou que a junção dos dois eventos não traria mais gente à FIACOBA, poderia sim “responder de uma forma diferente à gastronomia”.
Deu a conhecer que “a corrida de touros, desde que é levada a efeito, registou a maior afluência de público”. “A praça estava cheia”, reforçou o edil oliveirense, finalizando por afirma que “tudo é dinâmico e merece análise”.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada Comentários

Mostra de Gastronomia da Mamarrosa

A 10.ª edição da Mostra de Gastronomia da Mamarrosa realiza-se de 1 a 4 de agosto, na Mamarrosa, no recinto de festas de S. Sebastião, junto ao Instituto de Educação e Cidadania da Mamarrosa (IEC). A Mostra é organizada pela União de Freguesias de Bustos, Troviscal e Mamarrosa, e pretende promover e preservar a cozinha local.
A iniciativa decorre em simultâneo com os Festejos de S. Sebastião, já que ambos os eventos se complementam e estão interligados. Nesta Mostra de Gastronomia participam sete associações da Mamarrosa a que, neste trabalho, damos visibilidade, com especial destaque para o Rancho Folclórico “As Vindimadeiras” da Mamarrosa, que completa a passagem dos seus 40 anos de atividade.

O presidente da União de Freguesias de Bustos, Troviscal e Mamarrosa, Duarte Novo, diz não ter dúvidas de que “a mostra de gastronomia de Mamarrosa, para além de ser já um marco de referência da vila, também o é do concelho”. “É uma tradição que a Junta de Freguesia entende de extrema relevância e um excelente exemplo do pulsar das forças vivas locais”, afirma, justificando que aquando da mudança da Mamarrosa para a União de Freguesias, “as premissas iniciais mantiveram-se, contudo foram lançados novos desafios às Associações para esta edição e que foram muitos bem aceites”.
O autarca afirma que “esta Mostra de Gastronomia, criada em 2004, tinha como objetivo mostrar o genuíno pulsar da terra, sendo que envolver as forças vivas da freguesia seria o melhor meio para o fazer – estas foram, desde a primeira hora, convidadas a ser parceiras. As associações confecionam pratos genuínos e, paralelamente, vão mostrando as suas atividades”.
Relativamente a investimentos, Duarte Novo refere que, “tal como em outras iniciativas que decorrem na União de Freguesias e que envolvem as Associações locais, a Junta de Freguesia assegura os meios físicos e logísticos, como a electricidade, tendas, sanitários, apoio na animação, entre outros. Trata-se de um investimento na cultura, que é uma das áreas em que a Freguesia aposta”.
Duarte Novo relembra, no entanto, que o apoio da Comissão de Festas de S. Sebastião é importante, já que “o facto das festas de S. Sebastião decorrerem em simultâneo e em espaço contíguo à Mostra de Gastronomia permite que a animação da própria festa traga mais pessoas à Mostra e fixe as mesmas por mais tempo. Também é verdade que a Mostra de Gastronomia traz mais pessoas para a festa de S. Sebastião”.
Instado a pronunciar-se se faz sentido que este evento, futuramente, seja descentralizado e alargado às freguesias que agora compõem a União, o autarca defende que “todas as iniciativas que promovam a nossa freguesia são de explorar e de impulsionar”. “Neste momento as Associações que irão participar são de Mamarrosa, tendo sempre a Junta de Freguesia presente que com todas as forças vivas da freguesia irá promover esta como outras iniciativas sempre e de acordo com as Associações.”
O presidente da União relembra que “a Câmara Municipal sempre apoiou a Mostra de Gastronomia da Mamarrosa, não só com meios financeiros, mas também com meios logísticos”. “É com esses apoios que contamos e que têm ajudado a que esta Mostra já vá na sua décima edição”, finaliza.

“O sucesso depende do programa das Festas”. A Comissão de Festas de S. Sebastião assume um papel preponderante na Mostra da Gastronomia da Mamarrosa. Partilham o mesmo espaço, a mesma animação e conseguem desta forma juntar mais público.
Artur Pato é o juiz da Comissão de Festas de S. Sebastião e explica que, como agora a freguesia tem outras dimensões, ainda não sabe ao certo quantas associações irão participar, mas “pessoalmente, penso que irá ter o mesmo objetivo e pouco ou nada vai mudar”.
Artur Pato recorda que “esta Mostra de Gastronomia foi realizada, a primeira vez em 2004, era eu juiz da festa de S. Sebastião”.
Acrescenta que “o grande responsável pela realização da Mostra de Gastronomia foi o então secretário da Junta de Freguesia, Artur Bem Haja, que a idealizou e tornou realidade. Trabalhámos ambos em sintonia para o sucesso do primeiro ano. Esta Mostra de Gastronomia é vocacionada apenas para as associações da então freguesia de Mamarrosa e foi fundada para que cada associação possa obter alguns lucros”.
Este responsável diz ainda que, “como é só exclusivamente para as associações, nem sempre é fácil as mesmas disponibilizarem-se, até porque algumas vivem com dificuldades em arranjar pessoas para trabalhar”. Por isso, “o sucesso da Mostra de Gastronomia depende muito do programa da festa e das pessoas que consegue cativar”. Daí que diga que “o importante aqui não é o crescimento, porque as associações são sempre as mesmas, mas manter o evento, porque dá grande prestígio, tanto para a festa como para a terra”.
Artur Pato sublinha ainda que a Comissão de Festas que lidera vai contar com o apoio da população da União de Freguesias e com certeza, com a Junta da União de freguesias.

Posted in Mamarrosa, Por Terras da Bairrada Comentários

Armas apreendidas na Mealhada

A GNR da Mealhada deteve, na penúltima quinta-feira, em Silvã, Casal de Comba, um homem de 33 anos de idade, por posse de arma proibida.
Os militares, durante uma fiscalização de trânsito, ao abordarem um veículo, verificaram que debaixo do banco do condutor se encontrava uma arma branca (faca) tendo, ainda sido verificado que atrás do mesmo banco se encontrava uma moca em madeira com cerca de 50 cm, revestida em plástico com metal numa das extremidades, procedendo à sua apreensão.
O indivíduo foi presente ao Tribunal Judicial da Mealhada, em 24 de julho, tendo o processo baixado a inquérito.

Posted in Destaque, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada Comentários

Pergunta da semana

Vai a algum festival de verão este ano?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com