Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Tag Archive | "Anadia"

Feira de Livro na Biblioteca Municipal de Anadia


 A Câmara Municipal de Anadia inaugura no próximo dia 1 de dezembro mais uma edição da Feira Municipal do Livro, que decorrerá até 27 deste mês, na Biblioteca Municipal de Anadia.
Nesta quinta edição do certame, e ao longo de quatro semanas, os leitores terão ao seu dispor milhares de livros das mais prestigiadas e conhecidas editoras nacionais, disponíveis a preços convidativos. Graças à participação de editoras, de distribuidores e de uma livraria de Anadia, os leitores poderão, ainda, usufruir de promoções especiais em novidades editoriais e adquirir publicações a preço de saldo.
Com esta iniciativa, a Câmara Municipal volta a proporcionar aos munícipes, a possibilidade de adquirirem e de oferecerem livros durante a época natalícia, contribuindo, desta forma, para a promoção do livro e da leitura no Município.
A Feira Municipal do Livro de Anadia poderá ser visitada de segunda-feira a sábado, das 10h às 13h e das 14h às 19h, na Biblioteca Municipal de Anadia.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Câmara promove concurso para fotografar Anadia, capital do espumante


Decorre até ao próximo dia 28 de março, o 3.º Concurso Municipal de Fotografia “Olhar Anadia”, uma iniciativa da Câmara Municipal de Anadia que culminará numa exposição dos 50 melhores trabalhos, a inaugurar em maio de 2015.
A Câmara Municipal de Anadia lança mais uma edição deste certame que tem desempenhado um papel preponderante na promoção e valorização do património cultural, social, paisagístico e económico do concelho de Anadia.
E, dado que, em 2015, se assinalam os 125 anos da Produção do Espumante em Anadia, o 3.º Concurso Municipal de Fotografia “Olhar Anadia” será subordinado ao tema ”Anadia, Capital do Espumante”, tendo sido eleito como mote principal dos trabalhos a apresentar o registo fotográfico de caves e produtores do concelho de Anadia ligados à produção de Vinho Espumante.
Destinado a estimular novos olhares e novas perspetivas sobre o concelho, e também a ampliar o repositório fotográfico do município, o concurso está aberto à participação de todos os fotógrafos (amadores e profissionais), abrangendo duas secções – a cores e a preto e branco e podendo, cada participante, concorrer com um máximo de três fotografias em cada secção.
Os trabalhos deverão ser entregues até ao dia 28 de março e, após a seleção feita pelo júri, as 50 melhores fotografias serão expostas numa mostra a inaugurar no mês de maio, na Biblioteca Municipal de Anadia, no âmbito da celebração do feriado municipal. A ficha de inscrição e as normas de participação estão disponíveis nas páginas web da autarquia (www.cm-anadia.pt) e da biblioteca (www.bm-anadia.pt), e os interessados poderão obter mais informações junto do secretariado do concurso, através do 231 519 090 ou geral@bm-anadia.pt.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia:“Reforço da economia local e competitividade são prioritários para o concelho”


Apostar no reforço da economia local e da competitividade, nomeadamente em infraestruturas rodoviárias, fundamentais para garantir o fácil e rápido acesso às zonas industriais, são dois dos vários investimentos integrados na estratégia de desenvolvimento territorial para o período do próximo Quadro Comunitário 2014-2020, dos quais a edil anadiense, Teresa Cardoso, não abre mão.
Foi durante a apresentação do QCIRA – Quadro Comum de Investimentos da Região de Aveiro 2014-2020 – Estratégia de Desenvolvimento Territorial, que decorreu no auditório da Biblioteca Municipal de Anadia, no passado dia 11 de novembro, que a autarca de Anadia destacou como prioritárias a construção de uma via estruturante que permita melhorar as acessibilidades rodoviárias dos concelhos de Albergaria-a-Velha, Águeda, Oliveira do Bairro e Anadia, com a construção de um nó rodoviário no IP1/A1, no acesso à A1, evitando a utilização do IC2, hoje sem alternativa. Uma via que “deverá ser entendida como crucial para o reforço da competitividade da região”, garantindo ligações rápidas às zonas industriais de Sul de Águeda, Vila Verde, Paraimo e Amoreira da Gândara, sublinhou a autarca.
A expansão de redes de ciclovias e vias pedonais, a promoção e utilização da mobilidade suave, a requalificação urbana e a integração de uma rede intermunicipal de transportes públicos foram também elencados por Teresa Cardoso como áreas a privilegiar.
Na presença de Ribau Esteves e de José Eduardo Matos, da CIRA e de Filipe Teles, da Universidade de Aveiro, a edil sublinhou que o novo quadro Portugal 2020 “orienta-se para novas políticas assentes em novas estratégias de investimento, voltadas para a competitividade e internacionalização, para o capital humano, para a inclusão social e emprego e ainda para a sustentabilidade e eficiência no uso dos recursos”.
“Muda o paradigma dos investimentos outrora preconizados e lançam-se novos desafios e metas prioritárias na estratégia de desenvolvimento e de investimento para os municípios e para a região”, acrescentou.
Ciente de que para trás ficam anos de grandes investimentos no que se refere à construção de infraestruturas e equipamentos públicos, Teresa Cardoso quer ainda, sob a alçada do próximo Quadro Comunitário, apostar no setor turístico (setor termal, da saúde e bem estar, dos vinhos e da gastronomia), mas também no social. E porque o concelho tem uma importante rede de IPSS’s, defende uma aposta na resposta a valências que vão ao encontro da realidade demográfica do concelho.
“Sendo a promoção de respostas sociais, com base na inovação social, um dos desafios lançados no Plano Estratégico de Desenvolvimento Territorial para a região, acreditamos que as nossas instituições serão capazes de preconizar iniciativas e projetos, tendo como desígnios a coesão social do concelho e da região”, diria.

Anadia em números. E em dia de balanço, a presidente de Câmara anadiense aproveitou para dar a conhecer o peso de alguns investimentos realizados pelo município no âmbito do MAIS CENTRO, que representam um investimento de 660,30 euros/habitante, ligeiramente superior ao alcançado ao nível da região, que ronda os 622,60 euros/habitante.
E reportando-se também ao investimento total realizado no âmbito do POVT, disse representar mais 714,30 euros, neste período de sete anos, tivemos, até esta data, um investimento público realizado pela autarquia de 1.374,60 euros/habitante, com a comparticipação respetiva de 1.023,30 euros/habitante apenas no que se refere às obras realizadas e comparticipadas pelos fundos comunitários.
Números que lhe permitem concluir ter alcançado o município, através destes programas, investimentos que de outra forma não seria possível realizar.

QCIRA “mais e melhor região”. Em Anadia, a comunidade intermunicipal da região de Aveiro, constituída por 11 municípios, apresentou o Balanço do Plano Territorial e Desenvolvimento e dos investimentos que foram realizados no âmbito do QREN, que se iniciou em 2007 e cujo encerramento se estenderá até 2015.
Paralelamente foi dado a conhecer o “Quadro Comum de Investimentos da Região de Aveiro, QCIRA 2014-2020 – Estratégia de Desenvolvimento Territorial” que contou com a colaboração da Universidade de Aveiro.
A apresentação da estratégia regional coube ao Pró-Reitor da Universidade de Aveiro, Filipe Teles que deu a conhecer as principais áreas de especialização do quadro de investimentos definidos para a Região de Aveiro. São eles: Mar e Ria; Setores Agroalimentar e Florestal; Materiais e Tecnologias de Informação, Comunicação e Eletrónica, mas também o Uso Eficiente de Recursos, ou seja, estas são as áreas de maior potencial para contribuir para o desenvolvimento da região para um crescimento inteligente, sustentável e incluso.
Por isso, será necessário reconhecer como prioritárias questões como a criação de um contexto favorável ao empreendedorismo e à inovação, proteger e valorizar os recursos naturais da região, reforçar e capacitar as comunidades de formas inclusiva, promover a qualidade de vida e a aposta em regiões inteligentes, apostar no território como identidade, recurso e marca diferenciadora, mas também qualificar a governação e a prestação de serviços públicos.
Na ocasião, o presidente da CIRA, Ribau Esteves apontou, entre outras metas, a Fase 2 do Polis Litoral da Ria de Aveiro – operação de qualificação e valorização; a qualificação e valorização agrícola e ambiental do Baixo Vouga Lagunar “eternamente prometida e nunca cumprida”; a política intermunicipal de empreendedorismo e inovação e as acessibilidades para a inovação e competitividade, onde se incluem troços rodoviários e ferroviários, tais como a requalificação da Linha do Vouga (ligação Aveiro/Águeda), e as vias estruturantes de acesso a plataformas logisticas industriais, indispensáveis para a competitividade empresarial.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Hospital passa a ser gerido pela Santa Casa da Misericórdia em janeiro


A devolução do Hospital José Luciano de Castro (HJLC) à Santa Casa da Misericórdia (SCMA) de Anadia foi na última sexta-feira concretizada com a celebração de um acordo de cooperação entre a Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC), a Santa Casa de Misericórdia de Anadia e a União das Misericórdias Portuguesas (UMP).
Assim, no âmbito do acordo assinado, em Lisboa, a partir de 1 de janeiro de 2015, o Hospital de Anadia passa a ser totalmente gerido pela Misericórdia de Anadia, respeitando-se, até essa data, um período de transição.
Neste primeiro pacote, para além do Hospital de Anadia, foram também assinados os acordos relativos aos Hospitais de Fafe e de Serpa.
Estes acordos, assinados ao abrigo do decreto-lei 138/2013, estabelecem que os hospitais das Misericórdias, nacionalizados após o 25 de Abril e atualmente geridos pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS), serão devolvidos gradualmente às Misericórdias, mediante a celebração de um acordo de cooperação que tem um prazo de 10 anos.
Embora essa entrega estivesse calendarizada para janeiro de 2014, atrasou-se devido à necessidade de criar legislação específica que possibilitasse a transferência da gestão destas unidades hospitarales.

Melhorar serviços. Em comunicado, a ARS Centro avança que o protocolo visa “melhorar a qualidade e o acesso à prestação de cuidados de saúde, nomeadamente a nível de consultas e de cirurgias, reforçar a articulação com outras unidades e serviços do SNS e desenvolver a prestação de cuidados continuados integrados”.
Ao JB, também a União das Misericórdias Portuguesas avançou ter privilegiado três aspetos ao longo das negociações com o governo: “assegurar que não haveria diminuição de serviços prestados à população, podendo mesmo preferencialmente aumentar essa oferta; não pôr em causa a sustentabilidade das Misericórdias que aceitem de volta os seus hospitais e nunca colocar em causa os direitos dos trabalhadores”.
Segundo a ARS Centro, será dada uma atenção às especialidades de consulta externa (cardiologia, dermatologia, medicina interna, oftalmologia, ortopedia, pediatria e urologia) e cirurgia (oftalmologia, ortopedia, otorrinolaringologia, urologia e cirurgia geral), que apresentam maior necessidade na região, assim como o hospital irá continuar a trabalhar nos meios complementares de diagnóstico e terapêutica e de medicina física e reabilitação, mantendo o nível assistencial à população abrangida.

Presidente do Conselho de Administração fica. Em declarações ao JB, Maria João Passão, que preside ao conselho de administração do Hospital de Anadia há três anos, aceitou falar apenas enquanto atual administradora. Parca em palavras, diz não ter muito para revelar não só porque desconhece o protocolo, mas porque a sua função é por hora “fechar este ciclo”, sendo certo que continuará em funções no hospital, no âmbito de um convite que lhe foi efetuado pela UMP, o qual aceitou.
Acrescente-se ainda que, dos cerca de 120 funcionários, seis dezenas aceitaram sair no final deste ano, no âmbito do processo de mobilidade interna e voluntária para outro organismo do Sistema Nacional de Saúde (SNS).
Com o pessoal reduzido a metade, Maria João Passão admite a existência de falta de recursos humanos, sobretudo ao nível de assistentes técnicos, assistentes operacionais e médicos. De igual forma, também a UMP admitiu já a necessidade de contratar mais recursos para fazer face ao normal funcionamento do hospital.
Com um orçamento anual que ultrapassa os 3 milhões de euros, sabemos que embora não esteja a ser equacionada a reabertura do serviço de urgências 24h, encerrado pelo então Ministro da Saúde, Correia de Campos, há um compromisso em assegurar a consulta aberta 24 horas por dia, assim como em manter a Unidade de Convalescença, com 20 camas.
Carlos Matos, provedor da Santa Casa de Anadia, mostra-se confiante em relação ao futuro do Hospital, cujos serviços à população, acredita, irão aumentar. “Estamos num período de transição, com muita coisa a fazer em termos administrativos, assim como ao nível da contratação de pessoal”, disse, destacando que, com esta alteração, a população sairá beneficiada.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: PS satisfeito com a “coligação” e governação da autarca Teresa Cardoso


A Comissão Política Concelhia do Partido Socialista de Anadia está satisfeita com a qualidade do trabalho realizado, um ano após eleições autárquicas, que deram a vitória, em Anadia, ao Movimento Independente Anadia Primeiro (MIAP), liderado por Teresa Cardoso.
Em comunicado enviado à redação, Nuno Portovedo, presidente da Concelhia do PS Anadia, diz que, “volvido um ano após a tomada de posse deste executivo camarário e da assinatura do acordo de governação entre o Movimento Independente Anadia Primeiro, vencedor das eleições autárquicas, representado pela presidente da Câmara, Teresa Belém Cardoso e o Partido Socialista, representado pelo vereador Lino Pintado, a Comissão Política do PS Anadia vem manifestar a sua satisfação pela qualidade do trabalho em tão pouco tempo demonstrado”.
Para os socialistas de Anadia, a edil “tem mostrado estar à altura dos desafios que a atualidade lhe coloca, definindo bem as prioridades do concelho, projetando e executando com firmeza as medidas necessárias ao cumprimento das mesmas”, assim como “tem mostrado perceção do nosso contexto e da nossa realidade, lembrando as marcas que nos distinguem e inscrevendo-as como os temas ideais à afirmação do concelho.”
Nuno Portovedo aplaude “os investimentos previstos em sede de orçamento; o fomento da coesão social; a dinamização cultural e desportiva, a economia e emprego e os projetos ligados à juventude”, os quais considera serem uma marca deste executivo MIAP/PS. Por isso, avança ainda que “a política gizada por esta maioria, mais humanista e focada nos problemas concretos das pessoas, está a iniciar o caminho correto”, realçando a aposta na otimização e rentabilidade social dos equipamentos culturais e desportivos, no ambiente e em melhores infraestruturas nas zonas industriais”, numa ótica de atrair mais investimento criador de emprego.
No comunicado à imprensa, uma nota positiva também para o Projeto Sentir Anadia e para o apoio e incentivo às associações culturais e desportivas, destacando o contributo prestado pelo PS à constituição duma maioria que permite a governação estável do concelho. Nuno Portovedo realça ainda a postura dos deputados municipais do MIAP e do PS: “intérpretes do acordo de governação celebrado entre ambos, pela união, lealdade, qualidade e espírito de missão demonstrado nas suas intervenções.”
CC

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

PSD Anadia: “Um ano intenso e dedicado a defender questões com afinco e energia”


“Um ano intenso e dedicado a defender questões públicas com afinco e energia”, este é o balanço feito pelo presidente da Concelhia do PSD Anadia, Henrique Fidalgo, em conferência de imprensa, realizada no último sábado, no âmbito de um ano de oposição autárquica. Subordinada ao tema: “PSD/Anadia avalia um ano de oposição autárquica”, Henrique Fidalgo começou por lembrar que as últimas eleições autárquicas atribuíram ao PSD/Anadia a função de liderar a oposição “num projeto válido de igual sensibilidade, valor e respeito democrático”. Uma oposição que se tem pautado por “uma ambiência de construção e alerta, para que o superior interesse dos munícipes esteja sempre salvaguardado.”
Ciente de que a conjuntura nacional, protagonizadas por um programa de ajustamento financeiro, retiraram alguma visibilidade ao programa eleitoral do PSD/Anadia, não deixa de lamentar que os anadienses tenham optado “por um projeto tradicional, sem grandes mudanças e com os mesmos protagonistas de sempre”.
Henrique Fidalgo defendeu ainda que o PSD é “uma voz ativa nas reuniões de Câmara”, onde já apresentou, desde fevereiro, cerca de 80 propostas ao executivo municipal.
Na ocasião, recordou que as obras da Secundária foram retomadas “porque o PSD/Anadia não deixou de fazer aquilo que devia, exercendo sempre pressão em diversas reuniões que manteve com os órgãos nacionais”, assim como na área da educação fez “chegar as nossas preocupações aos órgãos centrais, mostrando o nosso desagrado” nomeadamente no que toca ao encerramento de algumas escolas básicas. Outra preocupação elencada por este responsável é a manutenção/substituição da rede de abastecimento de água. “Ainda hoje continuam as fugas de água, e a obra está adiada”. Já ao nível do desenvolvimento económico defendeu que o município, precisa desta estratégia: “preocupa-nos ver zonas industriais abandonadas, sobre as quais hoje ainda não é visível nem o seu enquadramento, nem a sua utilidade.”
“Somos uma voz crítica pela construção ativa de uma alternativa política assente num trabalho de oposição sistemática a várias medidas, menos esclarecidas, que o executivo decide colocar em prática”, disse ainda.
Na Assembleia Municipal, Henrique Fidalgo diz que a bancada tem tido uma “postura pró-ativa; muito alinhada com uma estratégia do partido na defesa intransigente dos anadienses”.
Debruçando-se, no final, sobre a vida interna da Concelhia, diz que esta “sempre funcionou bem”, lamentando que uma minoria “tenha resolvido questionar a legitimidade dos órgãos e das pessoas, e assumir posições individuais que na sua maioria não defendem a posição do PSD em Anadia.”
Catarina Cerca
catarina@jb.pt

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Manifesto do Vinho termina no dia 15


O período de realização da Declaração de Colheita e Produção (Manifesto do Vinho) termina no próximo dia 15 de novembro. O alerta é emitido pela Cooperativa Agrícola de Anadia, onde o mesmo pode ser entregue, das 9h às 12h30 e das 14h às 18h.
Esta declaração é obrigatória, pelo que, a sua não entrega, ou entrega fora do prazo, pode acarretar pesadas penalizações.
Após a vindima, os viticultores e produtores que tenham colhido ou produzido uvas devem dirigir-se a um balcão de apoio. Este ano, campanha 2014/2015, teve início a 1 de outubro e termina no dia 15 de novembro.
Documentos necessários: Cadastro das vinhas ou Cartão de Contribuinte; Talões com as castas e quantidades das uvas vendidas; quanto ao vinho produzido em casa, basta dizer os litros.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Dois dias para concorrer às bolsas de estudo


Termina no próximo dia 15 de novembro, o prazo de candidatura às dez bolsas de estudo, no valor de mil euros cada, instituídas pelo Município de Anadia com vista ao apoio de jovens estudantes do ensino superior residentes no concelho.
Trata-se de medida que o município implementou no âmbito do sistema de apoios sociais, e destina-se a comparticipar a frequência de cursos que confiram os graus académicos de licenciatura ou mestrado, ministrados em universidades, institutos politécnicos, institutos superiores e escolas superiores, públicos ou privados, nos termos do “Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo”, recentemente aprovado.
Consciente das dificuldades económicas que afetam alguns agregados familiares do concelho, a Câmara Municipal decidiu aprofundar o papel que tem vindo a desempenhar enquanto promotora da coesão social e da igualdade de oportunidades, e, em consequência, incentivar e proporcionar o acesso e a frequência do ensino superior a jovens cidadãos, residentes no concelho, cujas possibilidades financeiras sejam insuficientes.
Para efeitos da sua atribuição, considera-se elegível o estudante que esteja matriculado ou seja candidato à matrícula no ensino superior, em Portugal, e que, cumulativamente, resida no concelho há mais de dois anos, tenha até 30 anos de idade (inclusive), faça prova de insuficiência económica do seu agregado familiar (nos termos do regulamento), não possua qualquer grau académico do ensino superior, esteja matriculado e inscrito no mínimo em 60% do número total de ECTS que formam o ano do curso que vai frequentar, e tenha apresentado previamente o requerimento de bolsa de estudo junto dos serviços de ação social da instituição onde se encontra matriculado.
As candidaturas, sob a forma de requerimento dirigido à Presidente da Câmara Municipal de Anadia, deverão ser entregues na Secção de Expediente da Câmara Municipal de Anadia, e devem incluir a ficha de candidatura devidamente preenchida e assinada, acompanhada dos documentos requeridos.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

PDM de Anadia de novo em discussão pública


A Câmara Municipal de Anadia pode avançar novamente com o período de discussão pública do seu Plano Diretor Municipal (PDM).
Depois da Quercus ter interposto contra o Município de Anadia uma Providência Cautelar, com vista à suspensão da consulta pública do PDM, providência essa aceite em julho pelo Tribunal Administrativo e Fiscal de Aveiro, suspendendo a consulta pública que já estava a decorrer, veio agora o mesmo Tribunal decidir, na passada semana, a favor do Município, ou seja julgar improcedente o presente Processo Cautelar, indeferindo o pedido formulado pela Quercus.
Por isso, o PDM vai voltar a estar, dentro de dias, novamente em consulta pública, já que o Tribunal recusou a Providência Cautelar interposta pela Quercus.
No despacho do Tribunal Administrativo e Fiscal de Aveiro é referido não constituir perigo ou risco o facto do PDM ir de novo para consulta pública antes da decisão final da ação principal que ainda está a decorrer, e na qual a Quercus defende que o PDM de Anadia só será definitivo depois do parecer final da CNREN (Comissão Nacional da Reserva Ecológica Nacional).

Autarquia congratula-se com decisão do Tribunal. A JB, a presidente de Câmara Municipal de Anadia, Teresa Cardoso, parca em palavras, lamenta que Anadia tenha estado três meses com o período de discussão pública do PDM suspenso, congratulando-se com a decisão do Tribunal que vem dar razão à contestação apresentada pelo Município.
Uma vez mais, reafirma que este revés pretendeu apenas atrasar o processo, até porque afirma que estavam reunidos todos os pressupostos para avançar com a discussão pública da 1.ª revisão do PDM.
A edil, que deu conhecimento da decisão do Tribunal ao executivo, propôs na reunião de câmara (realizada ontem, dia 5) para que este delibere no sentido de prorrogar, em mais trinta dias, o período de discussão pública da proposta da Primeira Revisão do Plano Diretor Municipal de Anadia, com o objetivo de dar a conhecer publicamente o teor do parecer da CNREN.
JB sabe que a Quercus vai recorrer da decisão relativa à Providência Cautelar.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Turma de Artes da Secundária vence concurso nacional


Não são uma ilha, mas vão conhecer uma. Os alunos da turma do 11.º ano de Artes (2013/2014), agora no 12.º ano, da Escola Secundária de Anadia vão viajar, de 9 a 12 de dezembro, até à cidade de Londres. A viagem é o prémio conquistado pelos 13 alunos daquela turma, por arrecadarem o 1.º lugar no concurso promovido pela Texto Editores “My school is no island” (A minha escola não é uma ilha).
O vídeo, da autoria da turma do então 11.ºD (atual 12.ºC) do Agrupamento de Escolas de Anadia, foi o grande vencedor a nível nacional e a cerimónia de entrega do prémio decorreu na quarta-feira, dia 29 de outubro, no Anfiteatro da Escola Secundária de Anadia.

Mostrar o bom e o positivo. Com a ajuda e orientação da professora de Inglês Alexandra Alvim e do professor de Artes Artur Costa, a turma elaborou um vídeo de dois minutos sobre a Escola, optando por mostrar as virtudes desta escola pública onde, apesar das instalações degradadas, é possível ser feliz, fazer amigos e ser um aluno de sucesso.
Para Elói Gomes, diretor do Agrupamento de Escolas de Anadia, este prémio significa “uma grande alegria”, não só por ser um prémio de âmbito nacional, mas porque “é mais uma janela que se abre e que permite ver que aqui se fazem coisas muito boas, do melhor a nível nacional, ou seja, que a escola pública tem muito mérito”, não deixando de salientar serem realizados na escola muitos outros trabalhos, de grande qualidade, mas que ficam por mostrar, por divulgar.
O diretor realça ainda o dinamismo dos docentes envolvidos no projeto, mas, sobretudo o bom relacionamento e interligação que criaram com os alunos. “Por outro lado, prova que podemos ser os melhores e somos tão bons como os outros”, disse na ocasião.

Trabalho respeita, na íntegra, as regras. Cátia Andrade, responsável da Texto Editores, falou do desafio lançado no ano passado às escolas, para que apresentassem um vídeo “My school is not a island” e a grande qualidade trabalho apresentado por esta turma. “Apesar dos trabalhos terem superado em muito as nossas expectativas, pois apareceram trabalhos muito bons, de grande qualidade, ao nível do Secundário não tivemos tantas dúvidas, nem tanto trabalho em escolher o vosso, já que respeitou, na íntegra, as regras propostas. Foram capazes de construir uma mensagem positiva, sem erros, com grande criatividade”, disse.
Esta responsável avançou ainda que a Texto Editores, ao lançar este concurso, quis também aumentar nos alunos o gosto pela língua inglesa, para que eles praticassem a língua de uma forma lúdica, sem darem conta e, ao mesmo tempo, que criassem laços entre alunos, professores, estreitando o relacionamento entre todos.

Turma coesa. Em dia de festa, os docentes Artur Costa e Alexandra Alvim explicaram que o objetivo foi dar uma imagem positiva da escola que, embora todos reconheçam ter graves problemas ao nível de instalações, tem uma parte que é fantástica – a humana e que aqui neste espaço é possível ser feliz, construir grandes amizades e ter um futuro.
Os docentes sublinham ainda o envolvimento de todos os alunos da turma, que vestiram a camisola para vencer este concurso. O envolvimento e participação foram contagiantes e a turma acabou por se tornar um grupo mais unido e coeso.
No final, Alexandra Alvim, docente de Inglês, disse acreditar que, durante os quatro dias em Londres, os 13 alunos vão desenvolver bastante o Inglês falado, assim como vivenciar o que é o dia-a-dia naquela grande cidade.
Na ocasião, a aluna Inês Santos realçou a aproximação e a união que se estabeleceu entre os alunos da turma, gerados à volta deste projeto. “Quando soubemos que éramos os vencedores foi no último dia de aulas. Foi a melhor forma de entrar em férias”, diria.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Ad Code

Pergunta da semana

Um estudo indica que mais de duas doses diárias de álcool por dia aceleram perda de memória. Qual o seu consumo habitual no dia a dia?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com