Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Tag Archive | "psd"

Álvaro Ferreira recandidato à JSD de Oliveira do Bairro


Álvaro Ferreira, de 29 anos, natural de Bustos, é recandidato à presidência da Comissão Política da Concelhia da JSD de Oliveira do Bairro, numas eleições marcadas para o dia 27 de fevereiro. Vítor Hernâni, de 28 anos e natural da Palhaça, será o candidato à presidência da Mesa do Plenário.
“A recandidatura surge de uma forma natural e é espelho da vontade unânime dos militantes da Concelhia da JSD de Oliveira do Bairro, onde o principal ponto de ordem será a preparação de um programa político forte para o novo ciclo autárquico que se avizinha, reforçando, ao mesmo tempo, a renovação dos quadros da JSD”, assim como “incrementando um calendário amplo de iniciativas de cariz social e humanista de forma a ir ao encontro das expectativas da juventude de Oliveira do Bairro”, refere o candidato.
Reconhece, na pessoa de Renato Almeida (atual presidente da Mesa do Plenário), o contributo deixado pelos membros que já não poderão fazer parte dos órgãos concelhios, “pois foram determinantes na estratégia adotada pela equipa no último mandato e elevaram ao mais alto nível o nome da estrutura e da própria Secção do Partido”.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da BairradaComments (0)

Amílcar Simões Pereira demite-se da presidência da concelhia do PSD


O presidente da Concelhia do PSD de Oliveira do Bairro, Amílcar Simões Pereira e um dos seus vice-presidentes, João Paulo Sol, demitiram-se da Concelhia do PSD de Oliveira do Bairro. António Mota, o outro vice-presidente da Concelhia, vai assegurar a presidência até ao ato eleitoral, que se deverá realizar no final do ano.
Amílcar Simões Pereira explicou ao Jornal da Bairrada que o seu pedido de demissão está relacionado com o facto de ter comunicado ao seu vice-presidente António Mota que pretendia realizar eleições em março e que seria candidato à presidência da concelhia com o objetivo de preparar de forma atempada as eleições autárquicas de 2017. Contudo, António Mota prontificou-se a dizer que não apoiava a continuidade de Amílcar Pereira na presidência da concelhia. Perante este facto, Amílcar Pereira disse ao JB que “não tinha outra alternativa, se não a demissão. Era a minha dignidade que estava em causa”.
Amílcar Pereira explicou ainda que “pretendia preparar com bastante tempo as autárquicas e não deixar para a última hora, como já aconteceu noutras alturas do ano”, sublinhando que a Comissão Política será, agora, liderada pelo vice-presidente, António Mota, até ao final do mandato, a quem competirá marcar as eleições.
Instado a pronunciar-se se, no próximo ato eleitoral, será candidato à presidência da Concelhia, Amílcar Pereira diz que é, mas que apenas avançará com a candidatura “se for para unir o partido e não para dividir”.
JB sabe que no seio do partido, António Mota já anunciou a alguns militantes que vai concorrer à presidência da estrutura da concelhia do PSD no ato eleitoral que, entretanto, irá marcar no final do ano.
Leia mais na versão digital do seu JB.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da BairradaComments (0)

PSD e Fernando Julião conquistam vitória histórica


Eternos rivais a nível autárquico, PSD e CDS voltaram a esgrimir forças nas eleições intercalares para a assembleia da União de Freguesias Vagos/Santo António. Fernando Julião, candidato laranja, que tinha perdido o mandato na sequência de uma decisão judicial, venceu com maioria absoluta. Conquistou 9 dos 13 mandatos, quando há dois anos tinha obtido apenas seis, obrigando a coligar-se com o PS para formar o executivo da Junta.
Com a abstenção a cifrar-se nos 57%, as eleições, para as quais estavam recenseados 6949 eleitores, confirmaram a vitória histórica do PSD. Conquistou 1544 votos (1392 em 2013), e manteve a supremacia nas seis mesas de voto, com destaque para Santo António, onde Fernando Julião haveria de obter o resultado mais expressivo, com 704 votos contra 136 do CDS. Já na sede do concelho a diferença de votos seria menor, com o PSD a arrecadar 538 votos e os centristas 390.
António Bodas voltou a dar a cara pelo CDS. Apesar de, como referiu em declarações à comunicação social, estava “confiante” de que iria ganhar porque fez uma campanha “muito boa”, obteve apenas 586 votos quando em 2013 garantiu 1062. Vai continuar a ser oposição “saudável e séria”, e como tal compromete-se a “estar lá a vigiar”.
Para além dos centristas, o PS foi outro dos derrotados. Depois de obter 434 votos nas últimas autárquicas, a candidatura socialista, liderada por Cláudia Moreira, baixou de forma significativa a sua base de apoio, ficando pelos 237 votos. Um resultado que o presidente da Concelhia do PS, Bruno Julião, admitiu poder estar relacionado com o facto de “este ser o único partido que apresentou uma nova cabeça de lista”.
Quanto à CDU, cuja aposta em Alexandre Loff tinha por objetivo ser “a voz alternativa” na assembleia de freguesia, a votação foi alegadamente residual. Obteve apenas 48 votos (90 em 2013), sendo de registar que ficou em branco na mesa que funcionou no lugar de Lombomeão.

Reações vitoriosas

Uma “vitória histórica”, é a leitura da Concelhia do PSD/Vagos, que espera agora que os seus adversários políticos “saibam tirar daqui as ilações devidas, e que em nome de Vagos e dos seus cidadãos optem por uma postura mais séria e digna”.
Rotulando de “muito difícil” o período que foi vivido, a estrutura laranja reconheceu que a vitória do PSD nas urnas “veio demonstrar que, na verdade, em política não vale tudo”.
Na noite da vitória, Fernando Julião reconheceu e agradeceu a “solidariedade” do povo da freguesia, na confiança que lhe foi conferida para exercer mais um mandato. “Viram que de facto merecíamos, tanto eu como a minha equipa”, especificou, deixando claro que passou por “maus momentos, muito tristes”.
Convicto de que “não havia necessidade de se ter feito o que fez”, Julião admitiu que, afinal, tal sofrimento “deu resultado”.
Eduardo Jaques/Colaborador

Posted in Destaque, Por Terras da Bairrada, VagosComments (0)

ANADIA: Delimitação territorial deve ser retificada, diz vereadora do PSD


Lígia Seabra, vereadora do PSD, defendeu, na última reunião de câmara do executivo anadiense, que a delimitação territorial do concelho de Anadia deve ser revista. Isto porque, segundo avançou, em recente decisão, o executivo da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro decidiu avançar com processo de delimitação administrativa do concelho, procurando também fazer retificações nas confrontações que mantém com o concelho de Anadia.
Uma situação que , a seu ver, deveria ser aproveitada por Anadia. “Como os membros deste executivo bem sabem, o concelho de Oliveira do Bairro tem, neste momento, cerca de 150 hectares a mais na sua área cartográfica e que correspondem, na realidade, ao concelho de Anadia, mais propriamente à freguesia de Sangalhos, nomeadamente terrenos situados no sítio de Monte Verde, lugar da Murta”. A vereadora não compreende como é que estando na posse da Câmara Municipal de Anadia um dossiê completo sobre esta situação, até ao momento nada foi feito.
“Começando no executivo presidido, na década de 90, pelo senhor Armando Castro e por todos os outros presidentes de Junta que se seguiram, fizeram chegar à Câmara um trabalho exaustivo e minucioso de junção de provas, com vista à aprovação dos limites desta freguesia e do próprio concelho. Nunca a Câmara deu andamento, ou finalizou este processo”.
Uma situação tanto mais grave por que estará, segundo avançou, “o município de Oliveira do Bairro a receber valores de receita correspondentes a IMI’s de terrenos que não entram na área do município, estando a freguesia de Sangalhos, há muitos anos, a ser prejudicada, anualmente, no valor das tranferências de verbas que lhe são afetas em função de uma área que não corresponde à realidade”.
“Para quando a resolução deste assunto?”, perguntou, defendendo que Anadia deve aproveitar a iniciativa da Câmara de Oliveira do Bairro para resolver esta questão. “Os presidentes de Junta de Oliveira do Bairro sempre estiveram de boa fé neste processo, não havendo qualquer conflito que obste à resolução amigável”, acrescentou.
A presidente de Câmara, Teresa Cardoso, reconheceu que a situação de Monte Verde, na Murta, não é uma situação nova e que mesmo com a construção da Alameda, a rotunda veio até ao limite com o concelho de Anadia, estando a própria ESOB implantada em terrenos do concelho de Anadia.
A edil explicou que já têm sido feitas várias diligências mas quando se vai buscar o registo e o histórico, os terrenos estão registados em Oliveira do Bairro. “Surge aqui logo a primeira dificuldade de prova. Não é um processo fácil e por alguma razão as provas e documentos recolhidos ainda não clarificaram estas situações”, avançou.
A edil acredita que o consenso e o entendimento entre as câmaras é possível.

CC

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia recebeu 1.º Conselho Distrital da JSD Aveiro


No passado dia 18 de abril, realizou-se, em Anadia, o 1.º Conselho Distrital da JSD Aveiro. Na parte da manhã, os jovens do distrito realizaram duas visitas, ao Pharmacy Hostel na Curia e ao Museu do Vinho Bairrada, como forma de conhecerem a realidade do setor turístico em Anadia. O Conselho Distrital teve lugar no Hotel das Termas da Curia, com a presença de várias dezenas de jovens.
No início dos trabalhos, o presidente da Mesa do Conselho, Rui Gomes, agradeceu o acolhimento dado pela JSD Anadia, na realização de “tão importante atividade distrital”. Já o presidente da JSD Anadia, Fábio Almeida, afirmou que ”pela primeira vez, nos últimos anos, a JSD Anadia tem representatividade na comissão política distrital e também pela primeira vez em alguns anos, Anadia, recebe uma atividade da distrital. É um orgulho para nós ver que a Distrital esteja a mudar e que Anadia dê o seu contributo para essa mudança. Juntos estamos a levar a nossa distrital ao patamar que a caracteriza, o patamar da excelência”.
Fez parte da agenda do Conselho Distrital a questão da Educação, e mais propriamente a realidade da Escola Secundária de Anadia. Para Fábio Almeida, “a escola que temos não possui o mínimo de condições, destacando que “esta matéria foi, desde a primeira hora, uma bandeira do PSD/Anadia”.
O vereador do PSD/Anadia, José Manuel Ribeiro, foi um dos convidados que sublinhou a urgência de termos uma escola nova. José Manuel Ribeiro deixou ainda alguns conselhos para o futuro político da JSD, afirmando que “o ideal é não dependermos da política. As carreiras na política são efémeras, e não devem ser resultado de ambições desmedidas para quem quer resolver a sua vida profissional”.
Já o presidente do PSD/Anadia, Henrique Fidalgo destacou o facto da JSD/Anadia ser “a concelhia mais forte dos últimos anos, tendo conseguido alcançar uma representatividade única, resultado de um trabalho responsável e credível.” O deputado Bruno Coimbra responsabilizou o Partido Socialista pela “forma como criaram estas obras (escola) megalómanas, completamente desajustadas da realidade, e que comprometeram em muito a sustentabilidade do país”.
Nesta mesma tarde foram apresentadas e aprovadas duas moções: uma apresentada pelo gabinete de estudos da Comissão Política Distrital “Moção Igualdade de Género – Por uma cidadania plena!” e outra, designada “Emprego jovem – A chave para a emancipação!”
No decorrer do Conselho Distrital, ocorreu a votação para a lista da JSD à Assembleia Distrital do PSD com a eleição de Fábio Almeida e Filipe Sério em representação da JSD Anadia. Foram eleitos também os membros honorários da JSD Distrital, tendo sido distinguidos por Anadia, o atual presidente do PSD, Henrique Fidalgo e a Joana Ribeiro, Vice-Presidente da JSD.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Desperdício de água questionado pela vereadora do PSD


As fugas e ruturas na rede de abastecimento de água pública no concelho de Anadia regressou a uma reunião de câmara, desta feita pela voz da vereadora do PSD, Lígia Seabra.
A propósito do Dia Mundial da Água, celebrado no dia 22 de março, a vereadora recordou que, em Portugal, dois terços dos concelhos têm perdas elevadas de água.
“Num concelho (Anadia), com o elevado número de ruturas na rede verificadas diariamente”, a vereadora questionou “qual a evolução verificada no município no ano de 2014 relativamente a 2013”, mas também “o que foi feito nesta área para reduzir as perdas verificadas no sistema de abastecimento de água” e se “está a ser equacionado, nomeadamente o aproveitamento do novo Quadro Comunitário que tem apoios específicos para a melhoria das redes existentes”.
Antes da edil responder, o vereador Litério Marques, do MIAP, não só destacou que as perdas de água em Anadia são mínimas, como Anadia é dona da sua água, ao contrário de muitos municípios vizinhos e outros que, por esse país fora, venderam este bem a grupos empresariais do setor, como “Águas de Portugal”. O vereador criticou o facto do PSD tentar fazer aproveitamento e alimentar uma discussão fútil nesta questão quando “todos sabem que quem desperdiça muita água são as Águas de Portugal e outros, que, tal como esse, têm grandes ruturas” e “não criam qualidade nas redes”.
A edil Teresa Cardoso, a este respeito, reconheceu que as ruturas acontecem nas redes mais antigas e que o município vai fazendo um enorme esforço nas intervenções e agindo no sentido de minimizar estas situações, sublinhando que as intervenções nas redes são graduais e têm vindo a ser substituídas não só condutas principais como também ramais. E lembrou que “neste sentido, também nos edifícios públicos do concelho estão a ser monotorizados os consumos de água”.
Quanto ao novo Quadro de Fundos Comunitários – Portugal 2020, sucessor do QREN, Teresa Cardoso lamenta que “deixe muito a desejar aos municípios que estão limitados, não podendo recorrer a muitos desses fundos”, deixando a indicação de que nos “próximos anos não haverá acesso a fundos para determinadas áreas”. Por isso, explicou que a opção do seu executivo recai sobre a substituição das redes mais antigas, de uma forma gradual.
CC

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Autarca de Avelãs de Cima presente na Academia do Poder Local do PSD


Realizou-se, entre 21 e 23 de novembro, na cidade da Guarda, a Academia do Poder Local, da responsabilidade do Instituto Sá Carneiro e dos ASD (Autarcas Sociais Democratas), onde estiveram presentes o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, outros ministros e alguns membros do PSD nacional.
As temáticas abordadas foram: Ser Autarca, Agente de desenvolvimento económico e social; As leis que nos regem; O futuro do Poder Local em Portugal; Comunicar bem; Sustentabilidade do território; Políticas sociais; Orçamento: Finanças e Setor Empresarial Local e Descentralizar e as Novas Funções do Poder Local.
O concelho de Anadia fez-se representar por um único elemento, o presidente da Junta de Freguesia de Avelãs de Cima, Manuel Veiga, que destacou a importância de ter estado presente neste evento, pois considerou ser mais uma forma de receber contributos e aprender, para, no futuro, poder articular ainda melhor as políticas locais, sem esquecer a grande prioridade destas, que são a melhoria das condições de vida das populações.
O autarca Manuel Veiga realçou ainda a pertinência dos temas abordados, os oradores e a clareza com que os assuntos foram explanados. Avança que “todos os presentes ficaram a ganhar, e muito, com esta participação.”
No final, foram entregues diplomas de participação pela mão do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.
Foi proposto que este evento possa denominar-se de Universidade de Inverno, em analogia à Universidade de Verão, e que teria como anfitriã a cidade da Guarda.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

PSD Anadia: Colóquio discute Desenvolvimento Rural


No passado dia 28 de novembro, o Gabinete de Estudos Distrital do PSD/Aveiro, promoveu, em parceria com a Comissão Política do PSD/Anadia, uma palestra subordinada ao tema “Desenvolvimento Rural e Agrícola – Distrito de Aveiro e Programas de Apoio”, que ocorreu no auditório do Museu do Vinho, em Anadia.
Este colóquio abordou, entre outros aspetos, o Programa de Desenvolvimento Rural 2020, e respetivas linhas orientadoras, estratégias e medidas de apoio, a importância do setor vitivinícola para a região e para o país, e o futuro do Baixo Vouga Lagunar.
A iniciativa contou com a presença do Secretário de Estado da Agricultura, José Diogo Albuquerque, Pedro do Ó Ramos, Ulisses Pereira, para além de diversos dirigentes nacionais e distritais do Partido, de dirigentes do Ministério da Agricultura, de vários autarcas e deputados do distrito.
Numa sessão aberta pelo presidente da Concelhia do PSD de Anadia, Henrique Fidalgo, que se mostrou bastante satisfeito pela escolha de Anadia para a realização desta iniciativa, foram as palavras do Secretário de Estado que marcaram o encontro que deu a conhecer a estratégia na implementação dos diferentes programas de apoio ao mundo rural.
A implementação do Programa Portugal 2020 (novo quadro comunitário de apoio) assim o exige. O quadro de programação Portugal 2020 está assente em quatro eixos temáticos essenciais: competitividade e internacionalização, capital humano, inclusão social e emprego, e sustentabilidade e eficiência no uso dos recursos. O Programa Portugal 2020 adota os princípios de programação estabelecidos para a implementação da Estratégia Europa 2020 e consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial necessária para apoiar, estimular e assegurar um novo ciclo nacional de crescimento, tendo como prioridade as exportações e o emprego.
Na opinião do Secretário de Estado, Portugal necessita, com urgência, de se tornar autossuficiente em termos agroalimentares. Os défices produtivos terão que findar. O advento recente de jovens agricultores é uma boa notícia. No entanto, a produção terá que se diversificar. Referiu ainda que, neste momento, Portugal é o primeiro país da União com candidaturas abertas ao programa LEADER (ligações entre ações de desenvolvimento da economia rural). Concluiu, afirmando que as políticas agrícolas europeias terão que passar por um modificação de paradigma – a aposta na agricultura amiga do ambiente.
Mário Sérgio Nuno, da Quinta das Bágeiras (recentemente distinguido pelo Presidente da República com a medalha da Ordem do Mérito Empresarial – Classe do Mérito Agrícola), num périplo pelos seus já 25 anos de história na vinha, realçou que o setor agrícola nacional e, particularmente o vitivinícola, padecem de um problema, que se objetiva na falta de uma imagem forte, que alavanque uma conveniente promoção internacional. Atualmente, cada região produtora pensa apenas na sua “capelinha”. Na sua opinião, deveria ser o Governo a investir na tarefa de dar a conhecer a riqueza e diversidade enológica do País. Salientou também, que a majoração dada a associações de produtores no apoio à produção e/ou investimento, não deve ser reservada apenas a este segmento e deve também, no mesmo sentido ser direcionado para produtores individuais, porque ambos, potenciam o setor nacional, e têm objetivos diferentes.
Sobre o Baixo Vouga, Magalhães Crespo, da DRAP (Direção Regional de Agricultura e Pescas) Centro, deu a conhecer os mais de 40 anos de história, de avanços e de recuos para potenciar uma área tendencionalmente agrícola – o Baixo Vouga Lagunar, uma área que graças à coragem e persistência dos agricultores é hoje uma área, capaz de um contributo importante para o PIB nacional no setor. É necessário e imperativo para que tal aconteça, um último investimento forte e estratégico para dotar o Baixo Vouga, de competências agrícolas definitivas, o que só se vai conseguir quando vencermos de vez o avanço da água salgada por terras com apetência agrícola pura.

Posted in Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Vereador do PSD critica falta de planeamento no apoio às Juntas


José Manuel Ribeiro, vereador do PSD, criticou, na última reunião de executivo, os acordos de execução de delegação das competências estabelecidos, já este ano, entre a Câmara Municipal e as Juntas de Freguesia. Os acordos estão repartidos em pacote financeiro e recursos patrimoniais (respeitante a máquinas, viaturas e pessoal da Câmara afeto às mesmas, para trabalhos das Juntas).
O vereador criticou a “inexistência de um verdadeiro diálogo” com os autarcas, mas antes “uma lógica imposta pela Câmara Municipal”. Seis meses após a assinatura destes acordos, José Ribeiro defende que o tempo decorrido dá para fazer uma avaliação que evidencia que nem tudo correu bem, devido “à falta de planeamento por parte da Câmara”, mas porque é necessário também existir “uma maior flexibilidade, respeito e diálogo com as Juntas”.
A edil rejeitou completamente esta posição, destacando que o diálogo com as Juntas sempre existiu. “Já analisámos as dificuldades. Hoje, verifica-se que nem todas as Juntas conseguiram justificar as despesas mas, no final do ano, haverá um encontro de valores, assim como nem todas as Juntas utilizaram os equipamentos e máquinas propostos dentro da calendarização estabelecida”. Teresa Cardoso realçou ainda que, no futuro, poderão surgir acertos no planeamento, já que existe uma total disponibilidade e flexibilidade por parte da Câmara, realçando que “na avaliação feita, nenhum presidente de Junta se mostrou desagradado, sendo certo que, no próximo ano, o acordo será para desenvolver nos 12 meses, avaliando as necessidades de cada um”, explicou.
As competências das Juntas prendem-se com a gestão e manutenção de espaços verdes; limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros; manutenção, reparação e substituição do mobiliário urbano instalado no espaço público; gestão e manutenção corrente de feiras e mercados, entre outras.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Núcleo da JSD da União de Freguesias toma posse


O Núcleo da JSD da União de Freguesias de Bustos, Troviscal e da Mamarrosa, tomou posse, no passado sábado, dia 29 de novembro, na sede do PSD, em Bustos.
A equipa, liderada por Susana Nunes (na foto), na Comissão Política, e por Mónica Santos, na Mesa do Plenário, é composta por Nilson Martins, Raquel Caetano, Jennifer Cruz e António Soares (Mesa do Plenário) e João Ferreira, Íris Neves, Bruno Ferreira, Nuno Gonçalves, Miguel Santos, Gonçalo Espadilha, Karina Pinho, Daniel Pereira, Tiago Martins, Liliana Tribuna, Fernando Espadilha, Ricardo Regalado, Luís Barreiro, Liliana Santos e Pedro Santos (Comissão Política).
O ato de tomada de posse desenrolou-se num ambiente intimista e cultural, onde se assistiu a momentos de dança, música e declamação de poesia por parte de vários jovens da União de Freguesias.
O evento contou com a presença de várias pessoas, destacando-se os órgãos autárquicos locais e concelhios, bem como da concelhia da JSD e do PSD de Oliveira do Bairro e de outras concelhias da JSD do distrito de Aveiro.
Todos deram uma palavra de força e de enorme sucesso ao Núcleo liderado por Susana Nunes.
Na ocasião, a presidente da Comissão Política salientou que “a maneira como foi organizada esta tomada de posse diz muito de como vai ser a nossa postura ao longo do mandato, criando uma nova forma de estar e de apresentar a política aos jovens, aproximando-os assim à causa pública”.
Para além do evento da tomada de posse, o Núcleo iniciou uma campanha de recolha de brinquedos, pijamas, roupas e lençóis de inverno para entregar à Loja Social de Bustos. Esta campanha vai durar até ao próximo dia 18 de dezembro, estando a sede do PSD de Bustos disponível para receber as contribuições da população.

Posted in Bustos, Mamarrosa, Por Terras da Bairrada, TroviscalComments (0)

Blogues recomendados


Cagido

FEIRA DO QUEIJO DA SERRA DA ESTRELA – SEIA 2016
   Está a decorrer em Seia até amanhã a 38.ª edição da Feira do Queijo Serr …


Notícias de Bustos

18 DE FEVEREIRO, DIA DE BUSTOS
PROGRAMA  Dia 18 de Fevereiro            – 9.30h – Hastear de bandeiras    …


Portal de Nariz

União de Freguesias ajuda no preenchimento do IRS

Pergunta da semana

Portugueses praticam cada vez mais exercício ao ar livre. É o seu caso?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com