O estado em que a capela em honra de São Francisco de Assis, localizada no Paraimo (Sangalhos) se encontra, revolta alguns dos populares do lugar. A Junta de Freguesia vai requalificar o recinto, mas, em relação à capela, nada pode fazer.
Uma caleira partida, vegetação em redor da capela e a cruz, colocada no telhado, também partida, são os problemas mais visíveis que o exterior do edifício apresenta. Segundo António Floro, a reparação da capela é da responsabilidade da Comissão Fabriqueira.
O presidente da Junta de Freguesia de Sangalhos adianta apenas que “a Junta começou, há cerca de dois anos, a fazer arranjos no exterior”. Após a legalização do terreno, processo que está a decorrer, o espaço será arranjado. No entanto, “não vai ser tão depressa como desejaríamos”.

Manter a tradição. A capela de São Francisco de Assis é utilizada apenas em duas alturas do ano: no mês de Maio, quando é rezado o terço, e em Agosto, na altura dos festejos em honra do santo padroeiro. O desejo de alguns populares é que haja pelo menos uma pessoa para cuidar do espaço, semanalmente. É com tristeza que vêem o recinto e a capela a serem “desprezados” pela população. A esperança é de que a tradição não acabe e que o terço e as celebrações de cariz religioso se continuem a realizar.

Antigo adro. Quanto à zona, onde antigamente se situava a capela local, “há uns três anos, pensou-se em fazer alguns arranjos”, refere António Floro. A ideia continua viável, assegura. Mas o avanço do projecto está dependente de legalizações que têm ainda de ser realizadas.
No local foram já plantadas algumas árvores, agora a “ideia” é pôr baloiços para as crianças brincarem.
Os populares apelam ainda para que seja colocada iluminação na rua, recentemente aberta, que dá acesso directo ao recinto da capela.

Rita de Freitas Gomes
ana.rita@jb.pt