O deputado do PS na Assembleia Municipal de Aveiro Raúl Martins desafiou os deputados municipais a destruir os pórticos instalados na A25 (Aveiro – Vilar Formoso) para controlar a cobrança de portagens.

Durante a Assembleia Municipal, na quarta feira à noite, o deputado socialista chegou a apelar a um “levantamento popular” para “destruir aqueles monumentos medievais que querem impor aos aveirenses”.

“Temos de tomar uma posição firme. O senhor presidente devia propor que todos os membros da Assembleia se levantassem e fossem lá e arrancassem os pórticos”, sugeriu Raúl Martins, ironizando: “eu até tenho a moto serra no carro, e aquilo é um instante”.

Em declarações hoje à Lusa, o ex-líder da concelhia do PS voltou a defender a mesma ideia, afirmando que, “face àquilo que está a acontecer e face aos ouvidos moucos que estão a ser feitos pelo Governo, a única solução é a Assembleia Municipal fazer com que se destruam essas aberrações, que são as portagens na A25”.

“O Governo sempre disse que não ia portajar a A25”, lembrou o vogal do PS, sublinhando que se trata de “uma estrada que está feita há mais de 25 anos e que agora está a ser portajada por virtude das SCUT que têm meia dúzia de anos”.

Raúl Martins disse ainda estar convencido de que esta situação fica a dever-se a “uma distração do primeiro ministro”.

“Se ele [José Sócrates] tivesse conhecimento profundo desta situação, imediatamente tinha intercedido no sentido de ser desmontado esses pórticos e de ser retirada essa portagem que é perfeitamente irracional”, concluiu.

No passado mês de maio, a Assembleia Municipal já tinha aprovado por maioria uma moção contra a introdução de portagens nas vias rápidas envolventes a Aveiro, nomeadamente na A17 (Marinha Grande – Aveiro), A29 (Albergaria – Vila Nova de Gaia) e A25.

Aveiro não consta da lista de 46 municípios a isentar da cobrança de portagens, proposta pelo Governo, tendo em conta que o concelho tem um poder de compra superior à média nacional (134,0).