O Sindicato dos Professores da Zona Centro (SPZC) alertou hoje para o atraso na colocação de professores nas escolas em Territórios Educativos de Intervenção Prioritária (TEIP) do distrito de Aveiro, considerando que isso vai afetar o início do ano lectivo.

O caso mais grave é, para o sindicato, o que se passa na escola TEIP de Pardilhó, Murtosa, que, segundo Rosário Oliveira coordenadora do SPZC, está neste momento sem cerca de metade dos professores do 2.º e 3.º ciclo.

“Esta situação acontece porque a Direcção Geral dos Recursos Humanos ainda não validou os critérios de selecção e só após esta validação é que estará disponível a aplicação informática na Internet para que os professores possam concorrer ao lugar”, adiantou a responsável.

Segundo o sindicato, na escola TEIP de Valongo do Vouga, Águeda, “também sucede a mesma situação ainda que o número de professores por colocar seja em número menos significativo”.

Rosário Oliveira afirmou ainda que “o distrito de Aveiro está a ser prejudicado em relação a outros distritos, tendo em conta que as escolas TEIP do Porto, Braga e Lisboa têm os professores colocados ou em processo de seleção”.

A coordenadora do SPZC reforça ainda que a selecção de um professor para uma escola TEIP ainda durará no mínimo seis dias, concluindo que “o mais provável é que o ano lectivo não comece nestas escolas de forma normal e atempada”.