O arquitecto Eduardo Souto Moura será entronizado Confrade de Honra da Confraria dos Enófilos da Bairrada, no próximo dia 26 (sábado), durante o Grande Capítulo da Confraria que, à semelhança de anos anteriores, terá como palco o Palace Hotel do Bussaco.
Um evento que irá ainda admitir como novos confrades um total de 25 personalidades, cujos nomes foram aprovados em Assembleia-geral da Confraria.
O arquitecto Eduardo Souto de Moura, destacada figura da arquitectura portuguesa, autor de inúmeras obras emblemáticas que têm justificado a atribuição de um extenso rol de prémios, será assim a figura de destaque nesta cerimónia que junta anualmente, no Palace do Bussaco, a “família” enófila da Bairrada.
Segundo a Confraria dos Enófilos, a nomeação de Souto Moura prende-se ainda com o facto de, no corrente ano, ter sido distinguido por um júri internacional com o Prémio Pritzker 2011, galardão máximo da arquitectura a nível mundial.
Esta decisão foi tomada durante a última sexta-feira, dia 4 de Novembro, dia em que se realizou a Assembleia-geral da Confraria dos Enófilos da Bairrada destinada a preparar o próximo Grande Capítulo.
Mas esta Assembleia-geral destinou-se também a eleger os novos membros dos Órgãos Sociais para o triénio de 2012 a 2014, os quais tomarão posse na Assembleia-geral, a realizar em Março do próximo ano. Fernando Castro, presidente da direcção, foi reconduzido no cargo, assim como a Assembleia-geral passa a ser liderada por António Dias Cardoso e o Conselho Fiscal por Adriano Aires.
“A entrada de novos elementos, tanto para a Confraria como para os Órgãos Sociais, são sinais evidentes do seu desejo de renovação, para que possa continuar a defender os seus pergaminhos de Confraria Báquica em actividade há mais tempo em Portugal e a pugnar pela defesa e promoção dos vinhos da Região da Bairrada e pela união dos seus produtores”, diz a Confraria em comunicado.

Órgãos sociais
Assembleia-geral: António Dias Cardoso (presidente), José Pedro Côrte-Real (1.º secretário), José António Carvalheira (2.º secretário).
Direcção: Fernando Castro (presidente), Mário Augusto Briosa Neves e Carlos Manuel Campolargo (vice-presidentes), Alexandrino Manuel Amorim (1.º secretário), José Miguel Almeida (2.º secretário), Mário Sérgio Nuno (tesoureiro), Manuel Augusto Álvaro, Pedro Guilherme Andrade, João Póvoa (vogais).
Conselho Fiscal: Adriano Aires (presidente), João Pedro Matos (relator), Manuel José Costa (secretário).

CC