Um automóvel que “anda sozinho” e detecta um peão, parando a uma distância de segurança vai ser mostrado na Universidade de Aveiro(UA), dia 23, no âmbito da Semana Aberta da Ciência e Tecnologia.

Trata-se do ATLASCAR, o único automóvel em Portugal com actuação e percepção que permitem condução autónoma, concebido pela equipa do projecto «ATLAS», que está a ser desenvolvido há pouco mais de um ano no departamento de Engenharia Mecânica da Universidade Aveiro.

“O que distingue o nosso veículo de outros projectos como o da Google, além do orçamento, é ser um automóvel normal adaptado, com um conjunto de tecnologias que permitem que conduza sozinho em dadas circunstâncias, ou com intervenientes”, explicou à Lusa Vítor Santos, da Universidade de Aveiro.

O objectivo do projecto, de acordo com aquele académico, é “desenvolver ferramentas de apoio à condução e à segurança activa e passiva”, e o protótipo, que denomina como um “híbrido de condução, é uma súmula de tecnologias para condução assistida e condução autónoma”.

Uma das vertentes em estudo é a da condução em condições de visibilidade reduzida, nomeadamente à noite e com nevoeiro cerrado, em que se pretende ajudar as pessoas em situações perigosas e prevenir colisões e acidentes.

“Com nevoeiro a visibilidade das câmaras também desaparece, os sistemas a laser não funcionam bem, mas o recurso a sistemas térmicos com radiação especial que estamos a ensaiar permitem detectar os obstáculos”, adianta o investigador.

O ATLASCAR já foi a Lisboa, mas com condutor e “só para recolher dados de condução em ambiente urbano” e não é ensaiado na via pública “sem condutor” por razões legais, pelo que a demonstração vai ocorrer num parque da própria Universidade.

Segundo Vítor Santos, várias marcas contactadas têm tido “boa receptividade à colaboração” com o projecto, feito de raiz na Universidade de Aveiro, e que aposta na robustez do sistema através da integração sensorial.