A luta começa a ser tremenda e, pelo andamento da carruagem, confinada a cinco equipas. Numa deslocação (Canedo) que se previa complicada, não só pelo excelente desempenho do adversário, mas também pelo obstáculo pelado, o Oliveira do Bairro empatou a cinco golos (não é engano), quando tinha o jogo na mão. Teve uma desvantagem de dois golos, empatou, voltou a sofrer, e virou o resultado, mas, no último segundo, um penalti escusado, deu no empate. Diga-se, em abono da verdade, que o Canedo não merecia perder, num jogo de grande intensidade.
E com o empate, os Falcões, pelo segundo jogo, não conseguiram roubar a liderança ao Gafanha, que empatou em casa com o Paivense.
A Sanjoanense, 3.ª classificada, empatou em Fiães, sendo a jornada produtiva para Esmoriz e Alba, com o primeiro a vencer em casa o Valonguense.
O Famalicão, em casa, sofreu a terceira derrota consecutiva perante o Avanca. A equipa justificou outro resultado na segunda parte.
O Mealhada perdeu em Cucujães e desceu três lugares na classificação.
Destaque para a primeira vitória do Mourisquense, em casa, frente ao complicado Carregosense, enquanto o Águeda não foi além de um empate no terreno do Soutense.
2-O Oliveira do Bairro não terá pera-doce na receção ao Esmoriz, adversário que se afirma como um dos candidatos à subida de divisão. A formação vareira já não perde há cinco jogos, está a quatro pontos da liderança e, das quatro vitórias fora de casa, três delas foram na Bairrada: Águeda, Mourisca e Mealhada, sem esquecer o triunfo no Luso para a Taça do Distrito.
Por todas estas razões, adivinha-se um jogo complicado e para tripla. O líder Gafanha joga na casa do Valonguense. Pela amostra dos canarinhos, os gafanhotos são claramente favoritos.
O Águeda recebe o Alba. Perspetiva-se um jogo de grau elevado para os Galos, onde o equilíbrio poderá ser a nota dominante.
O Famalicão joga no reduto do Soutense. O menor desempenho das duas equipas poderá dar em empate.
Em casa, o Mealhada terá que fazer pela vida frente ao Milheiroense, que vem de três jogos sem ganhar. O fator casa será determinante nas contas finais.
O Mourisquense joga na casa do Paivense. A equipa de Castelo de Paiva, à partida, terá outros argumentos para chamar a si o triunfo.

II DIVISÃO

SÉRIE C.1-Ninguém desarma na frente. De novo em casa, o Fermentelos não teve a mínima dificuldade em bater o Sosense. O mesmo não se aplica ao Oiã, que sentiu inúmeras dificuldades para vencer na Azenha o Paredes do Bairro.
O Calvão também venceu, no terreno do Aguinense, e mantém-se na peugada dos dois líderes com menos dois pontos.
Segue-se a LAAC, que brindou os seus adeptos com nove golos contra um do Mamarrosa.
O Águas Boas, em casa, não teve problemas para golear o Antes. Três jogos depois, o Ribeira/Azenha regressou às vitórias e logo fora de casa, no terreno do CRAC.
O VN Monsarros continua sem acertar o passo em casa e foi goleado pelo Carqueijo.
Couvelha e Luso dividiram os pontos.
2-Promete e muito a próxima ronda, logo com um Oiã – Fermentelos, os dois primeiros da classificação. Pelo valor das duas equipas (apenas supremacia dos Pimpões nos golos marcados e sofridos), prevê-se um jogo de parada e resposta, sem vencedores antecipados.
Em casa, o Calvão ficará à espreita onde poderá ganhar pontos. Para isso terá que se desenvencilhar do Águas Boas, o que não será tarefa fácil. A LAAC joga no Carqueijo. A equipa da casa ainda não ganhou no seu reduto e poderá continuar com esse jejum.
Dérbi na Azenha, com o Ribeira a receber o Aguinense. Os guinatos estão melhores, mas neste tipo de jogos isso nada significa.
No Mamarrosa – Couvelha prevê-se um jogo equilibrado, tal como no Sosense – VN Monsarros. O Paredes do Bairro tem boas hipóteses de ganhar em Antes. O Luso é favorito na receção ao CRAC.