O projeto arrancou no início deste ano letivo (setembro de 2015) e está a revelar-se um sucesso. Designado por “O ciclismo vai à escola”, o projeto que está a ser desenvolvido pelo Clube de Ciclismo da Bairrada (CCB) termina no próximo mês de maio, com uma ação que vai envolver cerca de 770 alunos do 1.º CEB, no Velódromo.
“O ciclismo vai à escola” está a poucos dias da passagem pela última escola do 1.º CEB do concelho de Anadia, mas ainda que termine em maio próximo, tem tudo para continuar no próximo ano letivo, ainda que com alguns ajustes, tal a adesão e empenho registados.
O projeto, inédito no país, foi apresentado pelo CCB à Câmara Municipal que, de imediato, se mostrou recetiva ao seu desenvolvimento. Tendo como parceiros o Agrupamento de Escolas de Anadia e a Federação Portuguesa de Ciclismo, esta iniciativa tem-se revelado merecedora dos maiores aplausos.
O projeto visa sensibilizar os mais pequenos para o hábito de andar de bicicleta, uso do capacete, posicionamento correto das mãos no guiador, estimulando ainda os hábitos da prática desportiva, do ponto de vista do recreio e lazer.
Henrique Queiroz, treinador do CCB, que é presidido pelo ciclista Nelson Oliveira, foi um dos mentores desta iniciativa. Juntamente com André Nunes, diretor desportivo, tem conseguido motivar os mais pequenos para o uso da bicicleta. Por isso, mostra-se muito satisfeito com a forma como tem decorrido o projeto.
“Se estamos numa região que ama o ciclismo, que respira ciclismo e onde o setor das duas rodas tem tanta importância, acho que a todas as nossas crianças deve ser proporcionada esta experiência, de aprenderem a andar de bicicleta”, não numa vertente competitiva ou de captação de novos ciclistas, mas na vertente do recreio e lazer, ao mesmo tempo que alerta os mais pequenos para aspetos fundamentais da segurança, do uso do capacete e para algumas regras para andar em segurança na estrada.
“O nosso objetivo nunca foi cativar jovens ciclistas para o clube. Nem sequer é exequível. O clube jamais poderia ter cem miúdos, por uma questão de logística e na estrutura da equipa”, explica Henrique Queiroz que admite ser esta uma “experiência piloto” que o CCB gostaria de alargar aos restantes concelhos da Bairrada.
Sobre o desenvolvimento desta iniciativa em Anadia relembra que “todas as segundas-feiras vamos da parte da manhã a uma escola e à tarde a outra. Foi assim durante os últimos meses, por forma a conseguir ir uma vez a cada escola”, explica, lamentando não ter sido possível visitar as escolas mais vezes: “os alunos e professores gostariam que esta iniciativa decorresse mais vezes, durante o ano.” Por isso, fala numa receção fantástica e que todos adoram: “até os pais chegam a ir tirar fotografias”.
As três dezenas de bicicletas (seis das quais com rodinhas de apoio) fazem um sucesso enorme nos recreios das escolas: “dá-nos um enorme gozo ver a alegria e satisfação das crianças quando pegam numa bicicleta”, sublinha.

Segue-se “A Escola vai ao Velódromo”. O projeto termina no final de maio com uma iniciativa também inédita. “A Escola vai ao Velódromo”. Será um dia inteiro em que 385 crianças da parte da manhã e outras tantas à tarde vão conhecer o Velódromo, podendo os alunos do 4.º ano experimentar a pista olímpica. Neste dia, vão decorrer iniciativas várias em torno do Velódromo: gincanas, palestras, visita guiadas.

Reações positivas. Jorge Humberto Pereira, diretor do Agrupamento de Escolas de Anadia, mostrou-se muito satisfeito com o projeto que fomenta o uso da bicicleta, sensibilizando todos os alunos para a segurança rodoviária, mas também para a manutenção e conservação das bicicletas. Por outro lado, reconhece o longo caminho ainda a percorrer nesta área, seja ao nível da segurança rodoviária, seja na disponibilização de mais ciclovias. Um projeto que, a seu ver, deve continuar pela grande adesão e recetividade, mas que pode ser melhorado.
Também a edil anadiense Teresa Cardoso se refere ao projeto como “uma aposta na promoção, junto dos mais novos, da modalidade e da atividade física e, ao mesmo tempo, da utilização da bicicleta enquanto meio de transporte amigo do ambiente”. Por isso, defende que a parceria com o CCB, com o Agrupamento de Escolas e Federação Portuguesa de Ciclismo, irá contribuir para fortalecer a tradição do ciclismo no concelho e na região, bem como ensinar as crianças a pedalar com maior segurança e destreza, e criar novos entusiastas da modalidade.
“Das escolas e dos participantes, temos recebido um retorno muito positivo, sabendo que as crianças têm participado, com grande alegria e empenho, nas atividades propostas no âmbito do projeto”, conclui.
Catarina Cerca