A requalificação da Rua António Feliciano Castilho e adjacentes, em Anadia, sofreu um revés, uma vez que  todas as cinco propostas apresentadas foram excluídas, pelo facto de apresentarem um preço anormalmente baixo e de não se encontrarem instruídas com todos os documentos previstos no programa de procedimento.
Tal situação levou a que na última reunião de executivo, realizada a 18 de julho, tenha sido aprovada, por maioria, com abstenção dos vereadores do PSD, a revogação da decisão de contratar, no âmbito do Concurso Público, uma vez que todas as propostas apresentadas a concurso foram excluídas, assim como foram aprovados os procedimentos para um novo concurso para esta empreitada, que terá um prazo de execução de quatro meses, e um valor base de 175 mil euros.
A situação não é inédita e já aconteceu noutros concursos públicos da autarquia anadiense, nomeadamente no que diz respeito à construção do Centro de Controlo e Avaliação de Treino junto à Pista de BMX e ao Centro de Alto Rendimento – Velódromo Nacional, em Sangalhos.
Assim, como o anterior concurso ficou deserto, na proposta agora apresentada pela edil anadiense, Teresa Cardoso e de acordo com informação da Divisão de Equipamentos, Mobilidade, Águas e Saneamento, é explicado que “na altura do procedimento destinado a esta requalificação, os valores que serviram de base à estimativa eram os normalmente praticados no mercado, e serviram igualmente de base a outras empreitadas levadas a concurso para trabalhos similares.” Todavia, “atualmente verifica-se uma nova realidade, observando-se um aumento da oferta para a realização de obras públicas a concurso, circunstância que, conjugada com a oscilação dos valores de mercado, contribuiu para que o preço base inicialmente previsto se revelasse insuficiente para executar os trabalhos previstos”.
Assim, será aberto um novo concurso público para esta empreitada, mas já com um valor base superior (mais 26 mil euros).

 

Ler mais na edição impressa ou digital