A Polícia Judiciária (PJ), através do Departamento de Investigação Criminal de Aveiro, identificou e deteve um programador informático, com 28 anos de idade, residente no sul do concelho de Águeda, fortemente indiciado pela prática do crime de pornografia de menores agravado, consubstanciado na obtenção e divulgação, através de redes de partilha na Internet, de ficheiros multimédia (vídeo e imagem) retratando, ou em que são intervenientes ativos, crianças em práticas sexuais explícitas com adultos.

A investigação surgiu no âmbito do combate internacional à pornografia infantil em articulação com autoridades estrangeiras.

Segundo a PJ, na sequência de busca domiciliária realizada na residência do suspeito, situada numa das freguesias da periferia sul da cidade de Águeda, “foram apreendidos milhares de ficheiros daquela natureza, muitos deles de conteúdo violento, considerando quer os atos reproduzidos, quer a tenra idade das vítimas, bem como os equipamentos informáticos usados na prática criminosa descrita”.

As autoridades acreditam que “os indícios até ao momento recolhidos pela investigação permitem concluir que o suspeito se tem dedicado ativamente à importação e distribuição de vídeos e de imagens de cariz pornográfico, através de redes de partilha de pornografia infantil”.

“O modus operandi do suspeito denota evidente grau de sofisticação, fruto dos conhecimentos avançados de informática, adquiridos no âmbito da sua formação académica de investigação, nomeadamente realizando com regularidade a formatação dos equipamentos, por forma a apagar o rasto digital da sua atividade delituosa”, pode ler-se no comunicado da PJ recebido esta quinta-feira, dia 12.

O detido foi presente às Autoridades Judiciárias competentes para interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicadas as medidas de coação de apresentações diárias no posto policial da área de residência, proibição de usar equipamentos informáticos ou com acesso à Internet e obrigação de se sujeitar a tratamento psiquiátrico, em instituição adequada.