A Câmara de Águeda criou uma aplicação (APP) para smartphones que permite visualizar a imagem icónica dos guarda-chuvas da cidade, percorrendo as ruas da baixa da cidade que este ano não vão ter os chapéus. A ideia é relembrar as edições anteriores neste ano de constrangimentos ligados à pandemia.

“O AgitÁgueda art festival é uma marca importante de Águeda. O evento, tal como é (re)conhecido internacionalmente e que atrai todos os anos milhares de visitantes às ruas dos guarda-chuvas coloridos, foi reagendado para 3 a 25 de julho de 2021. Apesar da expetativa quanto à sua realização nos moldes habituais, a decisão de rever o formato do evento foi sustentada pela determinação governamental de não ser autorizada a realização de festivais até final de setembro deste ano, bem como de eventos que promovam aglomerados de pessoas”, refere nota da autarquia.

A Câmara de Águeda, consciente de que este é um dos principais eventos que dinamiza tanto o comércio local, como a vivência urbana e turística da região, diz ter aguardado até ao limite do possível para decidir os moldes em que o AgitÁgueda – art festival se realizaria.

Neste enquadramento, a Câmara decidiu, também, não colocar a instalação artística dos guarda-chuvas coloridos nas ruas da baixa da cidade. “Sabemos que esta decisão não agrada a todos os que estão habituados a esta imagem de marca em que se tornaram as ruas dos chapéus, mas está em causa o bem comum”, referiu Edson Santos, vice-presidente da Câmara de Águeda, sublinhando que garantir a segurança e saúde pública seria muito complexo, atendendo aos milhares de pessoas que diariamente visitariam estas ruas.

Não obstante, a Câmara Municipal decidiu criar uma APP que tornasse os chapéus visíveis de uma forma virtual – “APP AgitÁgueda 360º”. “Esta aplicação permite que quem nos visita ao longo de todo o ano possa visualizar a instalação urbana dos guarda-chuvas coloridos”, sublinhou ainda Edson Santos.

A captura de imagem em 360º das ruas da cidade conta com diferentes pontos de visualização e a possibilidade de ver as imagens em modo diurno e noturno, desde a instalação de 2017 até à mais recente, em 2019. “Com a APP, que surge numa altura em que não é possível visualizar os guarda-chuvas ao vivo, esta instalação artística poderá ser apreciada de uma forma inovadora, divertida e intuitiva e à distância de um simples clic”, termina a mesma nota.

A APP será disponibilizada para os sistemas operativos Android e iOS.