Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Categoria | Bairradinos no Mundo

Diferenças entre Portugal e Inglaterra são “imensas”

A qualidade de vida de que hoje Clara Gomes desfruta tem um valor inestimável. A falta de apoio à deficiência foi a alavanca para sair de Portugal, acompanhada pelo marido e quatro filhos, dois deles deficientes. Natural da Fogueira, Sangalhos, viveu oito anos em Oliveira do Bairro antes de se mudar para uma pequena cidade, a 20 quilómetros do centro de Londres, Inglaterra.
Durante 11 anos, Clara Gomes (hoje com 40) esteve ligada à informação médica. Mas é em 2010/2011 que dá asas a um sonho. O sonho do cake design. Fez nessa altura formação com conceituadas cake designers ; tornou-se sócia da Associação Nacional de Cake Designers. O objetivo, esse, está traçado desde então: “quero um dia criar uma empresa na qual possam trabalhar os meus dois filhos deficientes e outras pessoas com deficiência”.
Em Inglaterra, Clara Gomes encontrou uma perspetiva de futuro profissional e até social para os seus filhos deficientes que em Portugal diz nunca ter sentido. “Em Inglaterra há de facto um forte investimento do governo e de instituições de caridade no cidadão deficiente.” No caso específico dos seus filhos, beneficiam de acompanhamento permanente de professores especializados, terapia ocupacional e motora, frequentarão em breve uma escola de equitação em exclusivo para pessoas com deficiência. E muitas outras atividades, presentes no currículo escolar e fora dele, sempre visando a sua independência e uma eficaz inserção social e profissional.
Mas as diferenças entre Portugal e Inglaterra não se esgotam aqui. Pelo contrário, “são imensas”, frisa a bairradina. Para além das óbvias – língua e gastronomia – também e principalmente o método de ensino, o sistema nacional de saúde, o acesso à cultura e outra, que salta à vista: a base da pirâmide etária. “Enquanto em Portugal a natalidade foi estrangulada pela falta de apoio do governo, aqui nascem imensas crianças, aliás deu-se um verdadeiro babyboom desde que o então primeiro-ministro Tony Blair implementou as políticas de apoio à natalidade.” Em Inglaterra, acrescenta Clara Gomes, não há infantários nem escolas primárias a fechar, pelo contrário, “as escolas estão cheias de crianças e para entrar no infantário há lista de espera”.

Tempo de qualidade para os filhos

No novo destino, Clara, neste momento mãe a tempo inteiro, admite ter tempo de qualidade para os filhos. “Em cada canto há um parque onde podemos fazer um piquenique, levar as crianças aos baloiços e conviver com outros casais e crianças.”
Na cidade onde moram, não vivem portugueses. A quem pretende emigrar, aconselha uma forte aposta na certificação do nível de cada língua estrangeira em escolas devidamente reconhecidas. E nada de partir “à toa, sem quaisquer perspetivas de emprego”. Clara está agora a reunir material para um livro que pretende editar dentro de dois anos.
Portugal, diz, é atualmente “um país triste e acomodado, sem qualidade de vida, onde as famílias têm cada vez menos tempo para estarem juntas e perdem a cada dia, poder de compra”. Ainda assim, Clara Gomes não esquece o seu cantinho. “As nossas raízes são sempre as nossas raízes. Sinto saudades da família, dos amigos e da comida, sobretudo do leitão à Bairrada e do bacalhau. Saudades dos dias e noites quentes de verão. Do sol. Da praia e do cheiro a mar.”
Gostava de ficar dez anos em Inglaterra e depois voltar. Mas o futuro é uma incógnita. “Se tivermos condições para manter uma qualidade de vida aceitável, regressamos. Caso contrário teremos que aguardar pela nossas reformas.”
Oriana Pataco

Deixe um comentário

Ad Code

Blogues recomendados


Cagido

ACIB – ENCONTROS COM COMERCIANTES
ACIB e Juntas de Freguesias promovem encontros com comerciantes dos concelh …


Notícias de Bustos

BRASIL E SUAS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS – Opinião eleições/2014, Aristides Arrais
*Acredito que a maioria de meus amigos de além- mar esteja acompanhando o m …


Portal de Nariz

Nota da Administração
Depois de algum tempo de ponderação e reflexão, o Portal de Nariz informa q …

Pergunta da semana

Um estudo indica que mais de duas doses diárias de álcool por dia aceleram perda de memória. Qual o seu consumo habitual no dia a dia?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com