Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Tag Archive | "Igreja"

Vagos: Décadas para benzer a Igreja Matriz


Aberta ao culto no final da década de 70 [do século passado], a igreja de Vagos esperou quase 40 anos para ser benzida e obter a sagração do altar. A cerimónia já tem data marcada, 26 de julho, dia do padroeiro, S. Tiago, e conta com a presença do bispo da diocese, D. António Moiteiro.
A cerimónia esteve agendada para 1976, por altura da solenidade do Espírito Santo (Festas da Vila), mas os trabalhos de reconstrução do novo templo, que se arrastavam desde os primeiros meses de 1972, estavam atrasados. Alegadamente devido a “arreliadoras e numerosas paralisações”, atribuídas a “numerosas circunstâncias e ainda a dificuldades de mão-de-obra”, referia, então, o Pe. Manuel Carvalho e Silva, que pretendia uma inauguração “simples, como simples e silencioso foi o processo de construção”.
Anos mais tarde, já em 1985, face à existência de mais obras, seria o próprio Conselho Económico, alegadamente à revelia do pároco, a preconizar a necessidade da nova igreja ser inaugurada. Em comunicado (não assinado), a referida estrutura considerava que o templo deveria ser acabado, “principalmente no que toca à comodidade, acolhimento e embelezamento interno”.
Por decreto do bispo de Aveiro, o Pe. Carvalho e Silva cessaria funções em setembro desse mesmo ano, sendo transferido para Oiã. E seria no tempo do seu sucessor, Pe. Manuel Teixeira das Neves, que parte do sonho da comunidade católica vaguense se haveria de concretizar.
Aproveitando a sua presença em Vagos, para celebrar a eucaristia e o sacramento da confirmação, foi o próprio bispo, D. António Marcelino a dar por inaugurada a referida igreja, adiantando que a dedicação da mesma “se faria em cerimónia condizente, em data a escolher”. Por sugestão do pároco, publicada em artigo de opinião no mensário “Terras de Vagos”, propriedade da paróquia, a data mais apropriada “seria a 25 de Julho de 1987, sábado, festa de S. Tiago, padroeiro da freguesia”.

Arrepio das normas. O que acabaria por não acontecer, ao arrepio das normas promulgadas no Código de Direito Canónico de 1983, as quais determinam que “a nova igreja seja dedicada ou benzida quanto antes”, considera agora o atual pároco de Vagos, Pe. Manuel Carvalhais.
A cerimónia está, finalmente, marcada para 26 de julho, e conta com a presença do bispo de Aveiro. D. António Moiteiro estará em Vagos nessa data, para presidir aos ritos de bênção e sagração da igreja matriz, que curiosamente ainda continua em obras.
A última empreitada, já concluída, diz respeito à aplicação de seis portas de freijó brasileiro, fixação do crucifixo do Senhor da Agonia, e mudança da peanha que suporta a imagem do padroeiro, S. Tiago (século XVI). Para breve vai avançar o tratamento do soalho do coro, pintura de portas exteriores e melhoramento da iluminação elétrica.

Eduardo Jaques/Colaborador

Posted in Por Terras da Bairrada, VagosComments (0)

Arcos: Concerto de Natal na Igreja Matriz


Decorreu no passado sábado dia 13 de dezembro, pelas 21h15, na Igreja Paroquial S. Paio de Arcos, em Anadia mais um concerto de Natal, promovido pela Associação “O Coral da Bairrada”.
Este evento contou com a participação do grupo Coral Stella Maris (Colégio Nossa Senhora da Assunção), dirigido pelo maestro Celestino Ortet, o grupo Coral de Santa Marinha da Costa (Guimarães), dirigido pelo maestro Ricardo Frade e o grupo Coral da Bairrada (Anadia), dirigido também pelo maestro Celestino Ortet.
Foram centenas de pessoas que encheram quase por completo a igreja matriz de Anadia, para ouvirem e apreciarem os seis temas que cada grupo coral interpretou maravilhosa e melodiosamente, muito do agrado de todos os presentes, pela forma como aplaudiram entusiasticamente os coralistas e as suas vozes.
Esperamos que mais concertos aconteçam ao longo do ano na nossa região, pois felizmente, verifica-se que existe qualidade e público.
Paulo Cardoso

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Noite de Fados reverte a favor das obras da Igreja


Vai realizar-se no próximo dia 22 de novembro, uma Grande Noite de Fados, que visa a angariação de fundos para restauro e reabilitação da Igreja Matriz de Oliveira do Bairro.
O evento terá lugar no Quartel das Artes Dr. Alípio Sol, às 21h30.
Conta com a participação das fadistas Mónica Jesus e Maria do Rosário, acompanhadas, à Guitarra portuguesa, por João Mário Grave e à viola por Armando Lopes.
Pode comprar o seu bilhete antecipadamente no Centro Paroquial, ou reservar através dos contactos 965263136 / 916942117.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da BairradaComments (0)

Musical encerra comemorações dos 80 anos da Igreja Baptista do Troviscal


O drama musical “Terra Prometida” sobe ao palco do Quartel das Artes Dr. Alípio Sol em Oliveira do Bairro, no próximo dia 9 de novembro, pelas 16h, para encerrar as comemorações dos 80 anos da Igreja Evangélica Baptista do Troviscal, que se estenderam ao longo de todo o ano.
Teotónio Cavaco, Pastor da Igreja Evangélica do Troviscal, espera que o musical seja um momento de grande relevância para toda a comunidade.
Explica que se trata de um musical que, aberto a todas as pessoas com mais de 12 anos, “envolve 46 pessoas, todo ele original e feito em português e com um elenco português”.
Teotónio Cavaco refere que o musical é o último evento que faz parte da programação dos 80 anos da Igreja Evangélica Baptista do Troviscal e que, ao longo, “de todo o ano tivemos momentos altos, nomeadamente a inauguração de um monumento à bíblia e a oferta do Novo Testamento a mil lares, numa área geográfica contígua ao Troviscal”.
O Pastor destaca ainda a realização da Feira Evangélica e o projeto Troviscal Sobre Rodas, que é composto por cinco bicicletas e por equipas jovens que andam pela vizinhança a partilhar os valores cristãos. “Este projeto é inédito, assumindo uma forma de evangelizar, diria que é uma abordagem diferente que fazemos”, refere o Pastor Teotónio Cavaco.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da BairradaComments (0)

Palhaça: Alegria e inovação marcam os dois dias de consagração da Igreja Matriz


A população da Palhaça recordou e comemorou, nos dias 14 e 15 de agosto meio século de aniversário sobre a sagração da sua igreja matriz. Segundo o Padre João Gonçalves, administrador paroquial da Palhaça, foi uma oportunidade de congregar as pessoas para viver a alegria de comemorar 50 anos da Sagração da Igreja da Palhaça.

Leia mais na versão digital do seu JB.

Posted in Oliveira do Bairro, Palhaça, Por Terras da BairradaComments (0)

Sangalhos:Igreja Matriz em obras de restauro


Há já alguns anos que se verificavam infiltrações de águas na igreja Matriz da paróquia de São Vicente de Sangalhos.
De ano para ano a situação vinha a agravar-se. A urgência de uma intervenção eficaz no templo fazia-se sentir.
Com o temporal que atingiu, no inverno, todo o nosso país, a situação agravou-se bastante. Apesar de se encontrar há pouco tempo na paróquia, o pároco, Padre Manuel Melo, com a colaboração pronta da Fábrica da Igreja, avançou para as obras. Apesar da situação económica difícil da paróquia, pois estava a avançar com as obras de restauro da Residência Paroquial e a proceder a algumas obras de manutenção, também urgentes, no Centro Paroquial, avançou-se para uma intervenção profunda na parte exterior do templo.
Apesar dos gastos totais das obras realizadas na paróquia rondarem os cem mil euros, a Câmara Municipal de Anadia concedeu apenas um subsídio de cinco mil euros. Mesmo assim, as obras na igreja Matriz foram feitas e concluídas.
Agora, pároco e Fábrica da Igreja apelam, uma vez mais, ao apoio da comunidade cristã. Por isso, a cada família está a chegar um envelope solicitando uma colaboração. Este é mais um desafio que certamente será vencido.
“Contamos com a colaboração de todos, pois a igreja Matriz é a Casa de todos!”, conclui o pároco Padre Manuel Melo.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, SangalhosComments (0)

Sangalhos:Restauro Igreja Matriz ultrapassa 35 mil euros


O restauro da Igreja Matriz de Sangalhos ultrapassa os 35 mil euros. As obras, que podem ser iniciadas durante o mês de junho, podem prolongar-se por dois ou três meses, e vão pôr cobro a um grave problema de infiltrações e humidade que está a degradar os altares em talha dourada este centenário templo.

Degradação evidente. Embora a Igreja, datada do século XVII, tenha na década de 80 do século XX sofrido um restauro completo, com recuperação de todos os altares em talha dourada e mais recentemente, na década de 90, também do século XX, sido alvo de uma pintura exterior e limpeza da pedra exterior, a verdade é que são visíveis os efeitos do tempo, da má impermeabilização e das infiltrações. “A cara da Igreja já foi lavada, mas os problemas de fundo não foram debelados”, acrescentou.
Para o Padre Manuel Melo esta é uma obra urgente e que há muito se impunha: “não podemos permitir que outro inverno rigoroso continue a provocar estragos na Igreja Matriz”.
Por isso, a obra, que já foi adjudicada a uma empresa da freguesia, visa rever o telhado do templo, substituir os rufos, assim como o beiral, uma vez que existem dois beirais sobrepostos que estão a causar graves problemas de infiltrações, lavar e retificar a pedra exterior, com impermeabilização da mesma, retificação das paredes exteriores e pintura.
Por outro lado, será ainda inspecionado e recuperado o telhado da casa mortuária, sacristia e sanitários. O pároco da freguesia confirma que o temporal de janeiro pôs a descoberto várias fragilidades do templo, para além de ter causado e agravado os danos.

Apelo à solidariedade e generosidade. Para fazer face a tão avultada obra, o padre Manuel Melo espera poder contar com a colaboração da Junta de Freguesia e da Câmara Municipal de Anadia, já contactadas.
Durante a intervenção todos os espaços estarão abertos e a funcionar normalmente até porque as obras são todas ao nível do exterior.
Ciente de que os paroquianos atravessam um período de grandes dificuldades sócio-económicas acrescenta que desta feita não vai ser pedida a colaboração da população, pois esta ainda agora foi chamada a ajudar para as obras da residência paroquial. Contudo revela que em setembro, após as férias, a Igreja vai organizar dois ou três eventos para angarição de fundos para a obra, devendo aí a população ser chamada a colaborar.

Catarina Cerca
catarina@jb.pt

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Malhapão: Concerto da Primavera na Igreja


Vai realizar-se o 22.º Concerto da Primavera, no dia 27 de abril (sábado), pelas 21h, na Igreja de Malhapão.Vão particpar neste evento cultural e musical, o Coral de Oiã, os coros convidados, Coral Brigantino de (Bragança) e Coro do Círculo Cultural Scalabitano de Santarém. Fica pois, aqui, uma óptima oportunidade para ouvir as obras que têm para interpretar estes mais que reconhecidos corais, que não deixaram experiências vãs aos amantes coralistas, sendo o Círculo Scalabitano de Santarém uma das associações mais prestigiadas do país.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da BairradaComments (0)

Igreja Paroquial de Agadão vai ter Zona Especial de Proteção


Foi já publicado em Diário da República o “Projeto de Decisão relativo à fixação da zona especial de proteção (ZEP) da Igreja de Santa Maria Madalena, Paroquial de Agadão, no lugar da Lomba, freguesia de Agadão, concelho de Águeda, distrito de Aveiro”.

De acordo com a publicação em Diário da República, a 6 de março de 2013, da responsabilidade da Diretora-Geral do Património Cultural, Isabel Cordeiro, “com fundamento em parecer da Secção do Património Arquitetónico e Arqueológico do Conselho Nacional de Cultura (SPAA — CNC), de 7/11/2011, é intenção da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) propor a S. Ex.ª o Secretário de Estado da Cultura a fixação de zona especial de proteção (ZEP) da Igreja de Santa Maria Madalena, Paroquial de Agadão, no lugar da Lomba, freguesia de Agadão, Agadão, concelho de Águeda, distrito de Aveiro, que se encontra em vias de classificação como monumento de interesse público por despacho de 2 de junho de 2003, do Titular da Pasta da Cultura, exarado sobre parecer aprovado em reunião de 7 de maio de 2003, do Conselho Consultivo, do então Instituto Português do Património Arquitetónico e Arqueológico”.

O processo de consulta pública que decorre, nos termos da lei, terá a duração de 30 dias úteis, terminando a 18 de abril próximo. As observações dos interessados deverão ser apresentadas junto da Direção Regional de Cultura do Centro, em Coimbra, que se pronunciará num prazo de 15 dias úteis.

De sublinhar que “caso não sejam apresentadas quaisquer observações, a ZEP será publicada no Diário da República, (…) data a partir da qual se tornará efetiva”, sendo que “os imóveis incluídos na ZEP ficarão abrangidos pelo disposto nos artigos 36.º, 37.º e 43.º da Lei n.º 107/2001, de 8 de setembro, e no artigo 43.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, de 23 de outubro”.

O processo administrativo original está disponível para consulta (mediante marcação prévia) na Direção Regional de Cultura do Centro, Rua Olímpio Nicolau Rui Fernandes, 3000-303 Coimbra. Para além disso, “nos termos do artigo 46.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, de 23 de outubro, os elementos relevantes do processo estão disponíveis nas páginas eletrónicas dos seguintes organismos: a) Direção Regional de Cultura do Centro, b) Direção-Geral do Património Cultural e c) Câmara Municipal de Águeda.

Posted in Águeda, Por Terras da BairradaComments (0)

24000 fósforos e 350 horas dão vida a igreja


António Maria perdeu a conta ao número de palitos de fósforo que utilizou para construir a maquete da Igreja Matriz de Oliveira do Bairro, mas o JB fez as contas e chegou à módica quantia de 24 mil fósforos. No entanto, o tempo despendido está devidamente contabilizado: 350 horas, o equivalente a trabalhar 14 dias e meio sem parar. É obra! conta António Maria, um serralheiro reformado, residente em Montelongo da Areia, que decidiu aceitar o repto de uma pessoa amiga que já o tinha visto, quando era rapaz novo, a construir um barco, mas de reduzidas dimensões.
António Maria diz que a “obra” reproduz, praticamente, a Igreja Matriz de Oliveira do Bairro, apesar de não ter sido feita à escala. “Penso que o resultado está à vista e é bastante agradável”, sublinha António Maria, explicando que os custos da obra são reduzidos e que – tirando o telhado -, o grau de dificuldade foi semelhante em todas as partes da igreja.
O projeto mostra uma riqueza de detalhes impressionante. Desde a iluminação, janelas, portas, sinos, altar, santos e até uma imagem do atual pároco Francisco. A maquete esteve algum tempo exposta na igreja de Oliveira do Bairro, servindo de grande atração a miúdos e graúdos. “Todos gostaram de a ver, particularmente os pequenos que adoravam puxar as cordas dos sinos”, sublinha.
Novas obras a caminho. Depois do prazer que teve em “construir” a igreja de Oliveira do Bairro, António Maria já está a pensar noutros desafios. “Ainda não tomei uma decisão, mas estou a pensar em construir as nove capelas que fazem parte de Oliveira do Bairro, nomeadamente Vila Verde, Serena, Lavandeira, S. Sebastião, Murta, Cercal, Repolão, A. do Repolão e Sr. dos Aflitos”. “Ainda não fiz bem as contas do tempo necessário para fazer as nove capelas, mas acredito que depois de iniciar a empreitada, não paro mais”.
António Maria não pensa em comercializar a maquete e muito menos vendê-la. Diz que ainda não tomou nenhuma decisão em relação ao rumo que vai dar à sua grande obra, mas garante ter algumas esperanças que as suas filhas fiquem com ela.
PFC

Posted in Destaque, Oliveira do Bairro, Por Terras da BairradaComments (0)

Ad Code

Pergunta da semana

Acredita na Astrologia?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com