A seis jornadas para o final do principal campeonato, o Águas Boas disse adeus ao principal campeonato do futebol distrital aveirense. Foi uma época atípica e a estrutura inicial de como foi moldada a temporada poderá ter pesado para a descida de divisão.
Em Águeda, os canarinhos começaram o jogo a ganhar, mas os Galos deram a volta ao resultado e aplicaram chapa cinco ao seu adversário.
A viver dias complicados, com greve aos treinos e subsídios em atraso, o Macinhatense voltou a claudicar no terreno do 3.º classificado, o Lourosa, e continua mergulhado na zona de descida e, aparentemente, sem grandes hipóteses de salvação, pois os problemas extravazam para além das quatro linhas.
O Mealhada trouxe um ponto do reduto do Milheiroense, resultado alcançado já em período de descontos, mas continua em zona aflitiva, tal como S. Roque e Cucujães.
O Mourisquense continua a dar cartas. Os Pilatos venceram na receção ao Gafanha e estão a quatro pontos da 4.ª posição, numa jornada em que o Estarreja caminha a passos largos para o regresso aos nacionais depois de vencer fora o Paços de Brandão.
2-Separados por quatro pontos, o Águas Boas, lanterna vermelha, recebe o Rio Meão. As duas equipas já têm o destino traçado, o regresso de novo à 2.ª Divisão. O aliciante do jogo é saber quem ficará na última posição. Para fugir dela, o Águas Boas terá que ganhar para encurtar distâncias.
O Macinhatense, em casa, joga uma cartada decisiva diante do S. Roque, outra das equipas que ainda não está a salvo da descida. Sete pontos separam as duas equipas. Caso os aguedenses percam pontos, a descida poderá ser um ato consumado.
O Mealhada, outro dos aflitos, também joga em casa, frente ao Paços de Brandão, e está obrigado a vencer. É que está confirmado que descem quatro equipas (três, mais uma, para já da terceira nacional, pois o Valecambrense já desceu, e até podem ser cinco, dado que a Sanjoanense luta pela manutenção), e nesta altura os mealhadenses estão no quarto lugar a contar do fim.
O Mourisquense poderá dar uma ajuda, pois joga em Cucujães, adversário que ainda não tem a sua situação resolvida.
O Águeda joga em Canedo. Apesar da boa segunda volta dos nortenhos, os Galos têm boas hipóteses de trazer pontos na bagagem.

II DIVISÃO

SÉRIE C.1-No jogo que podia decidir a subida de divisão, a LAAC venceu pela margem mínima o Fermentelos e deixou tudo adiado para a última jornada. A equipa de Aguada de Cima esteve a perder, conseguiu dar a volta ao jogo nos últimos 20 minutos, sabia que tinha que ganhar por uma diferença de dois golos, marcou dois e, contas feitas, o Fermentelos ficou com um golo de vantagem no confronto direto, num jogo com alguns casos e com o Fermentelos a queixar-se de algumas decisões da equipa de arbitragem.
Com alguma dificuldade, o Oiã venceu em casa o Gafanha D’Aquém, ao passo que o Valonguense foi surpreendido no reduto do Bom Sucesso.
Com o empate do Oliveirinha na Carregosa, o Bustos recuperou o 5.º lugar, depois de vencer em período de descontos o Nariz. Requeixo e Sosense dividiram os pontos.
2-Ambas as equipas partem empatadas no 1.º lugar. O Fermentelos recebe o Bom Sucesso e a vitória dar-lhe-á a subida de divisão. A LAAC também terá que ganhar na Gafanha D’Aquém e esperar que o Fermentelos não vença. Será uma jornada de emoções fortes. O Bustos vai tentar pontuar para segurar o 5.º lugar em Oliveirinha, duas equipas que lutam por essa posição. O Oiã é favorito em Nariz, assim como o Valonguense na receção ao Requeixo. Equilíbrio no Sosense – Troviscalense.