Depois de ter perdido com o Gafanha, o Fermentelos voltou a derrapar em casa frente ao Carregosense. Este resultado conduziu os Leões da Pateira ao último lugar da tabela classificativa, a par com o Mourisquense, que perdeu na deslocação a Calvão. Com esta vitória, o conjunto do concelho de Vagos trepou na classificação seis posições, dando boa resposta ao afastamento da Taça do Distrito e da goleada sofrida (9-1) para o campeonato em São João da Madeira.
O Mealhada sofreu a primeira derrota fora de casa frente ao Milheiroense, enquanto o Águeda conquistou a segunda vitória consecutiva na receção ao Gafanha.
2-Mealhada – Águeda. Dois históricos do futebol português vão medir forças no próximo domingo. As duas equipas já andaram pelas divisões nacionais, mas não deixam de ser referências no panorama distrital. Antevê-se um jogo interessante, nivelado por cima, e com resultado imprevisível, pois trata-se de um dérbi bairradino.
Ainda sem pontuar fora, o Fermentelos, que é a equipa com mais derrotas (5) no campeonato, viaja até Paços de Brandão com a firme disposição que o seu adversário não lhe troque os passos. Não será um jogo fácil para os pupilos de Fernando Silva, aliás como não é nenhum. Mas como a falta de pontos escasseia, a pressão aumenta.
O Calvão volta a jogar em casa, agora contra o S. Roque, e de novo com uma excelente oportunidade para somar os três pontos, pois o seu adversário está no fundo da tabela.
Em branco no que diz respeito a vitórias, o Mourisquense recebe o Alba B, que tem mais um ponto. O adversário é da sua igualha, daí que se torne imperioso começar a fazer o pleno de pontos para os Pilatos.

II DIVISÃO

SÉRIE C.1-Há tardes assim. Oiã, LAAC e Águas Boas partiram para a 4.ª jornada todos empatados na liderança e, concluída a ronda, continuam na frente, com a particularidade de todos terem empatado os seus jogos. A exemplo do que aconteceu na época passada, o Oiã não passou no Requeixo, de novo um pouco por culpa própria.
De forma algo surpreendente, o Águas Boas viu fugir dois pontos no reduto do Sosense, que neste jogo conquistou o primeiro ponto.
Pior esteve a LAAC, que em sua casa, diante de um adversário teoricamente mais acessível, o Ribeira/Azenha, também esbanjou dois pontos. Resumindo, dos três da frente, apenas o Oiã tinha jogo mais complicado.
E quem aproveitou para se colar ao trio da frente foi o Famalicão, que não teve grandes dificuldades para ir vencer à Mamarrosa.
No dérbi anadiense, o Couvelha não desperdiçou o fator casa e derrotou o Paredes do Bairro, que esteve em vantagem até ao intervalo.
O CRAC voltou a surpreender fora, ao ir vencer ao terreno do Carqueijo. O Luso venceu em casa pela margem mínima o Aguinense.
2-Os líderes jogam todos em casa. O Oiã recebe o Couvelha. A equipa de José Carlos Tentativa terá que ser igual a si própria perante um adversário que tem bons valores.
O Águas Boas joga com o CRAC, adversário que só sabe ganhar fora de casa. Prevê-se um jogo difícil para os canarinhos.
A LAAC, na receção ao Carqueijo, também não pode oscilar, tal como o Famalicão, em casa, frente ao Ribeira/Azenha, que já mostrou que é capaz de complicar a vida aos candidatos.
O Paredes do Bairro é anfitrião do Mamarrosa. As duas equipas procuram a melhor forma, num jogo em que o fator casa poderá ser determinante.
No Sosense – Luso prevê-se um jogo equilibrado. Empate em perspetiva!
Em clara subida de forma, o Requeixo é bem capaz de complicar a vida ao Aguinense, equipa que tarda a encontrar-se. Três pontos é o pecúlio da equipa comandada por Luís Pedro Bandarra.