Nos dérbis, nem sempre quem está melhor posicionado, ou aquele que tem mais argumentos, leva a melhor. Foi o que aconteceu no dérbi que continua, embora sem a auréola de outros tempos, a mover paixões, jogos de resultado imprevisível. Não foi o caso e até apetece dizer que, com ferros matas, com ferros morres, numa analogia àquilo que se passou na primeira volta. Se aí o Oliveira do Bairro goleou por 4-1, desta vez, o Águeda fez o mesmo, ao vencer por 4-2.
Augusto Semedo estudou o adversário ao pormenor. A sua equipa foi pressionante, tirou espaço ao adversário, aproveitou muito bem os erros, sobretudo as perdas de bola no meio campo do adversário. Marcou e fez a gestão correta do jogo quanto já tinha uma boa almofada no que diz respeito à marcha do marcador. O Águeda mostrou atributos e pode chegar mais longe do atual 5.º lugar. O Oliveira do Bairro mostrou muito pouco e caiu para o 3.º lugar, por troca com o Gafanha, que venceu com relativa facilidade no terreno do Mourisquense.
No reduto do Valonguense, a Sanjoanense não esteve com meias medidas e deu chapa seis e mantém confortável avanço para os seus mais diretos perseguidores. O Oliveira do Bairro já está a cinco pontos e na próxima jornada desloca-se a São João da Madeira. Um jogo que pode decidir muita coisa nas contas pela subida de divisão.
Mealhada e Famalicão dividiram os pontos, num jogo em que a arbitragem foi a pior equipa em campo, tendo prejudicado a formação da casa.

II DIVISÃO

SÉRIE C. 1-Jornada calma para os cinco primeiros classificados. O líder Fermentelos brindou os seus adeptos com mais uma goleada na receção ao Aguinense.
Também em casa, o Oiã venceu pela margem mínima o Couvelha, num jogo em que esteve melhor na primeira parte.
O Calvão não esteve com cerimónias e deu 7 ao Carqueijo, tal como o Luso frente ao VN Monsarros (6-2).
Mais dificuldades teve a LAAC na casa do último classificado, o Antes. O Águas Boas reforçou a 6.ª posição ao somar a segunda vitória consecutiva fora de casa, em Couvelha, frente ao Paredes do Bairro. A equipa de Adriano Vasconcelos está a um ponto do Luso.
O Ribeira/Azenha continua numa má fase ao empatar em casa com o Mamarrosa. Foi o primeiro ponto alcançado por Rui Santiago enquanto treinador dos ribeirenses. E foi também o primeiro empate no campeonato para a formação comandada por Alfredo Neves.
Em casa, o Sosense averbou a terceira derrota consecutiva, com o CRAC a vencer por esclarecedores três golos sem resposta.
A próxima jornada terá um confronto que promete, com o Águas Boas a receber o Fermentelos.

TAÇA DISTRITO

Os principais campeonatos da AFA sofrem mais uma paragem para dar lugar à 4.ª eliminatória da Taça do Distrito de Aveiro.
Em competição estão apenas três clubes bairradinos e, um deles, o Oiã, já tem presença assegurada na ronda seguinte, pois ficou isento desta eliminatória.
O destaque vai para o Mourisquense – Águeda. Trata-se de um dérbi concelhio, que traz sempre uma adrenalina suplementar, não só para os intervenientes, como também para os adeptos. Os Galos, que para o campeonato venceram em casa, atravessam a melhor fase da época, têm aspirações na prova e vão apresentar-se em campo com ligeiro favoritismo. Mas, dérbi é dérbi, não há vencedores antecipados.
Curioso é que as duas equipas, oito dias depois, voltam a encontrar-se, no mesmo palco, para o campeonato. Será que vão esconder algumas fichas no jogo da taça!
Nas restantes partidas, o Alba, em casa, não deverá ter dificuldades de maior para ultrapassar o Milheiroense, tal como o Carregosense diante do secundário Alvarenga. Equilíbrio prevê-se nos jogos Soutense – Fiães e Paivense – Esmoriz. Isso ficou bem patente nos jogos para o campeonato onde se registaram empates.