No jogo de cartaz da jornada 22, o Oliveira do Bairro perdeu no terreno do líder Sanjoanense e ficou a oito pontos da liderança e a quatro pontos do segundo classificado, o Gafanha, acabando por ser apanhado no 3.º lugar pelo Alba. Tudo mais difícil numa eventual subida de divisão, a 12 jogos para o final do campeonato.
O jogo teve escassas oportunidades de golo e foi decidido na sequência de uma falha de concentração da defesa bairradina.
No início de segunda volta, em cinco jogos, o Oliveira do Bairro perdeu três vezes (na primeira só tinha perdido um, na Gafanha), saltando à vista que a equipa começa a perder gás. Algumas unidades nucleares parecem em sub-rendimento e isso reflete-se na produção global da equipa.
Depois de 11 jogos em casa, onde apenas tinha registado cinco empates, o Famalicão alcançou a sua primeira vitória frente ao Carregosense, deixando cada vez mais último o Valonguense, que foi goleado em Avanca (7-2).
Depois de ter vencido para a Taça de Aveiro há oito dias, o Águeda voltou à Mourisca mas desta foi derrotado, quebrando uma série de oito jogos sem perder.
O Mealhada conquistou um precioso ponto em Fiães, mas continua na zona de perigo.
2-O Oliveira do Bairro recebe o Avanca, adversário que tem menos cinco pontos. Uma das curiosidades é saber como a equipa irá reagir a duas derrotas consecutivas e ao facto de estar mais longe do primeiro lugar. O seu opositor tem vindo a fazer uma recuperação notável, por isso não se perspetiva um jogo fácil para os Falcões.
Jogo grande em Águeda, com o Recreio a receber a Sanjoanense. Se a equipa de Augusto Semedo sonha com mais qualquer coisa na tabela classificativa só tem um caminho, ganhar. Três equipas (Gafanha, OBSC e Alba) desejam que os Galos vençam para encurtar distâncias para o líder da prova. Jogo para tripla.
O Famalicão joga no terreno do Paivense, que vem de três derrotas consecutivas. Os bairradinos estão moralizados pelo primeiro triunfo em casa e podem tirar partido do período menos bom dos homens de Castelo de Paiva.
O Mealhada, que já não vence há quatro jogos, fará a receção ao Canedo. Pela sua posição (14.º) não pode voltar a desperdiçar pontos em casa. Jogo de aflitos no Cucujães-Mourisquense. As duas equipas estão separadas por apenas um ponto. Prevê-se um jogo equilibrado. Vida complicada para o Valonguense. A equipa recebe o Soutense, que já não perde há seis jogos, e se quer dar a volta por cima, terá que ganhar.

II DIVISÃO

SÉRIE C. 1-Sem contemplações. O Fermentelos foi a Águas Boas e goleou o seu adversário e reforçou a sua liderança, pois o Oiã, a exemplo do que aconteceu na época passada, não passou no terreno do CRAC. A equipa de Mico foi mesmo ultrapassada no 2.º lugar, por troca com o Calvão, que venceu em casa a LAAC, adversário que ficou praticamente arredado da subida de divisão. A vantagem do Fermentelos é de 4 pontos.
Com a vitória na Mamarrosa, o Luso manteve o 5.º lugar, logo seguido do Aguinense que, na estreia de Carlos Cardeira como treinador, venceu em casa o Sosense.
Em casa, o Couvelha não teve a mínima dificuldade para bater o Antes, enquanto o VN Monsarros não desperdiçou o fator casa e derrotou o Paredes do Bairro, enquanto Carqueijo e Ribeira/Azenha dividiram os pontos.
2-Na receção ao Paredes do Bairro, o Fermentelos é claramente favorito. O Calvão volta a jogar em casa frente ao Couvelha. Se for igual a si próprio, tem tudo para somar mais três pontos. O mesmo se aplica ao Oiã, que recebe o Aguinense. A LAAC joga na Azenha. O mau momento dos ribeirenses confere algum favoritismo aos aguadenses. No dérbi mealhadense, o Luso deverá levar a melhor sobre o Carqueijo. O Águas Boas joga no terreno do Sosense e tem boas condições para não vir de mãos a abanar. O fator casa poderá ser determinante no Mamarrosa – VN Monsarros.
Em Antes, o CRAC tem tudo para discutir os três pontos.