A oito jornadas para o final do campeonato, o Oliveira do Bairro disse praticamente adeus ao regresso aos campeonatos nacionais. Os bairradinos perderam, sem apelo nem agravo, em Fiães e ficaram a 10 pontos do primeiro lugar e a 9 do segundo, lugar que pode dar a subida através de possíveis desistências de clubes em outras associações distritais.
Nesta segunda volta, o Oliveira do Bairro tem vindo a perder gás e isso tem sido fatal, sendo ameaçado pelo Alba (têm os mesmos pontos) no 3.º lugar, e pelo Águeda, que perdeu excelente oportunidade de ficar a apenas um ponto. A equipa de Augusto Semedo esteve a ganhar no terreno do Milheiroense por 3-1, mas permitiu a reviravolta, sofrendo uma derrota inesperada.
O líder Sanjoanense teve que aplicar-se a fundo para vencer na casa do Famalicão. Os bairradinos até estiveram na frente do marcador, mas a capacidade dos forasteiros acabou por falar mais alto.
Num jogo entre aflitos, o Mourisquense, em casa, levou a melhor sobre o Mealhada e ficou a respirar um pouco melhor, ao invés do seu adversário.
O Valonguense, praticamente condenado à descida, sofreu a 21.ª derrota na prova e continua em último lugar apenas com 9 pontos.
2-Com os dois primeiros lugares quase perdidos, como motivar os jogadores para que o resta do campeonato. Este poderá ser um ponto chave para os jogadores do Oliveira do Bairro que parecem a estar a dar sinais de que nada mais faz sentido. A receção ao Canedo poderá, ou não, testemunhar esse eventual estado de espírito.
Em casa, o Águeda, se for igual a si próprio, não deverá ter problemas de maior para se desenvencilhar do Soutense e continuar na luta pelo 3.º lugar.
O Famalicão joga em Avanca onde mora um adversário que leva quatro derrotas consecutivas. As duas equipas querem remotar os bons resultados, principalmente os bairradinos que estão em zona de risco. Quem errar menos poderá tirar partido desse fator.
Agora em casa, o Mealhada volta a ter pela frente um adversário na mesma situação, a lutar pela manutenção. O Cucujães tem mais quatro pontos, por isso a grande responsabilidade do jogo é da equipa de Tó Miranda, que já não vence há oito jogos e contabiliza quatro derrotas consecutivas.
O Mourisquense desloca-se ao terreno do Carregosense. Não se prevê um jogo fácil para os Pilatos. O seu vizinho Valoguense mede forças em casa com o Esmoriz e está sujeito a terminar mais um jogo com as mãos a abanar.

II DIVISÃO

SÉRIE C. 1-Sem espinhas. O Fermentelos desforrou-se com uma goleada ao Oiã, única equipa que venceu os Leões da Pateira, e deixou a equipa de Mico mais longe da liderança e até do playoff, sendo ultrapassada no 2.º lugar pelo Calvão, que venceu por números (3-0) confortáveis em Águas Boas.
Com algumas dificuldades pelo meio, LAAC, em casa, diante do Carqueijo, e o Luso, no terreno do CRAC, venceram e continuam no 4.º e 5.º lugares, respetivamente.
No dérbi anadiense, o Ribeira/Azenha venceu no reduto do Aguinense. A equipa de Rui Santiago já não perde há 6 jogos.
O Mamarrosa voltou a ser goleado, desta vez em Couvelha. O Paredes do Bairro tirou a barriga de misérias e deu chapa cinco ao Antes, enquanto o VN Monsarros foi surpreendido em casa pelo Sosense.
2-Os extremos tocam-se, com o Fermentelos a visitar o Antes. A dúvida é saber por quantos ganha…
Em casa, o Calvão não deverá ter grandes problemas para vencer o Paredes do Bairro, tal como o Oiã na receção ao Sosense e a LAAC frente ao VN Monsarros.
Interessante será o duelo entre Ribeira/Azenha – Águas Boas. A recuperação na tabela e a confiança redobrada pelos recentes resultados, faz acreditar num final feliz para os ribeirenses.
Promete também o Luso – Aguinense, com mais responsabilidades para os guinatos, se ainda querem chegar ao 5.º lugar. Sem vencer há três jogos, o Mamarrosa, em casa, tudo fará para regressar aos triunfos frente ao CRAC.