A procissão ainda vai no adro mas já se começa a desenhar quem são os candidatos. Um deles, o Alba, foi à Mealhada vencer o conjunto local, num jogo em que os pupilos de Luís Simões mereciam melhor sorte.
O conjunto de Albergaria-a-Velha é um dos líderes, a par com o Bustelo, União de Lamas e Cucujães. Os dois últimos fizeram mossa a duas equipas da Bairrada. O primeiro venceu em Oliveira do Bairro, o segundo em casa o Mourisquense. Depois de uma época imaculada em casa na época passada, onde conquistou 15 vitórias e dois empates, o Oliveira do Bairro, com um plantel todo novo, não teve arte nem engenho para evitar a derrota, num jogo em que não criou uma verdadeira oportunidade de golo. Pela amostra não é candidato, mas tudo está no início.
Em casa, o Águeda não foi além de um empate frente ao Avanca. Quem fugiu dos maus resultados foi o Calvão, que não desperdiçou o fator casa e derrotou o Carregosense.
2-Teste super complicado para o Oliveira do Bairro na casa do Bustelo. Também o era em Avanca, outra das equipas candidatas à subida, e os jovens portaram-se bem. Todos sabemos que não há jogos iguais. Uma das curiosidades é saber como os jogadores irão reagir à pobre exibição realizada diante do União de Lamas. A turma de Oliveira de Azeméis parte como favorita e, aos bairradinos, uma das primeiras medidas é contrariar essa possibilidade.
O Mealhada joga no terreno do Fiães, adversário que contabiliza dois empates. Não se perspetiva um jogo fácil para os bairradinos.
Ainda sem qualquer ponto, o Mourisquense recebe o Calvão. Jogo entre duas equipas da mesma igualha, que têm os mesmos objetivos, onde a maior responsabilidade está do lado dos Pilatos, pois jogam perante os seus adeptos.
O Águeda, em virtude do jogo da Taça de Portugal com o Freamunde, adiou o seu jogo,com o União de Lamas, para dia 1 de outubro.

II DIVISÃO

SÉRIE C. 1-No arranque da segunda competição mais importante da AFA, os candidatos não deixaram os seus créditos por pés alheios e venceram com relativa facilidade. Tal não aconteceu com o Famalicão, que só marcou o golo da vitória a cinco minutos do final, em casa, frente ao Águas Boas. Ganhou quem marcou, como sói dizer-se. Também em casa, o Oiã despachou o Ribeira/Azenha com três golos sem resposta.
Mais robusto foi o triunfo da LAAC em casa perante o Vila Nova de Monsarros, enquanto o Luso foi ao terreno do Aguinense dar-lhe chapa cinco. Depois da Taça do Distrito, os guinatos voltaram a sofrer uma goleada em casa. Vida difícil para António Castanheira e seu grupo de trabalho.
O Mamarrosa também entrou com o pé direito, ao vencer em casa (Bustos) o Sosense pela margem mínima (2-1).
Depois das excelentes indicações no jogo da taça (4-0 ao Requeixo), o Paredes do Bairro, na condição de anfitrião, cedeu dois pontos, ao empatar com o Antes.
Oito dias depois, Carqueijo e CRAC voltaram a encontrar-se. Se no jogo da taça, a equipa de Parada de Cima levou a melhor, agora, na casa do primeiro, registou-se um empate a um golo.
2-Jogo de candidatos entre Luso e Famalicão. O jogo promete e os pratos da balança podem pender para qualquer dos lados.
O Oiã não deverá ter dificuldades na visita a Antes. A LAAC, na Azenha, vai encontrar uma equipa ferida no seu orgulho e que pretende apagar os dois resultados negativos. Outra equipa que tentará erguer-se é o Aguinense, que joga de novo em casa com o Sosense, em virtude da colocação do relvado sintético no Campo dos Lagos.
Couvelha, que folgou na primeira jornada, recebe o vizinho Paredes do Bairro. Como se trata de um dérbi, o nosso prognóstico é reservado.
No terreno do CRAC, o Mamarrosa tudo fará para dar sequência aos bons resultados, num jogo que se prevê equilibrado.
O VN Monsarros, frente ao Carqueijo, tudo fará para não desperdiçar o fator casa.