Acabaram as experiências, agora é a doer com o regresso do principal escalão do futebol distrital aveirense e da 1.ª eliminatória da Taça de Aveiro, onde estão englobados todos os clubes que vão participar no distrital da 2.ª Divisão. A grande maioria dos clubes teve um mês para preparar da melhor maneira o arranque da época, alguns com expetativas redobradas em relação à temporada passada.
O principal objetivo da maior parte deles passa pela manutenção na 1.ª Divisão, outros sonham com o ingresso (alguns será regresso) às competições nacionais, no caso particular ao Campeonato Nacional de Seniores. O Bustelo é uma das equipas que desceu e, por certo, apetrechou-se para lá regressar no ano seguinte. Apesar de nesta fase da época o nosso conhecimento do valor da maior das equipas ser muito vago, a formação do concelho de Oliveira de Azeméis é uma das candidatas a regressar aos nacionais. Pelo seu passado, Oliveira do Bairro e Alba, terceiro e quarto classificados, respetivamente, que lutaram por esse objetivo praticamente até ao fim, para a generalidade dos adversários, são apontados de novo como candidatos à subida de divisão.
Os bairradinos vão começar do zero, pois do plantel da época passada, a debandada foi geral, o que vai obrigar o seu treinador (Mário Júlio) a iniciar um novo processo num grupo totalmente novo.
O conjunto de Albergaria-a-Velha, apesar de algumas saídas, investiu de novo para os lugares cimeiros e será sempre um adversário a ter em conta.
O Águeda, que com Augusto Semedo teve identidade própria e que ficou em 5.º lugar, na nossa opinião, é um dos fortes candidatos. A espinha dorsal da equipa manteve-se e o plantel foi reforçado com jogadores com experiência de campeonatos nacionais.
Depois da má experiência, depois da descida aos distritais, o Avanca, na época anterior, desiludiu, mas esta tem grandes possibilidades de ser um candidato real.
Depois há aquelas equipas que lutam pelo meio da tabela e que complicam sobremaneira, casos de Esmoriz, Fiães, Carregosense e Paivense, e as outras que vão lutar pela manutenção, sendo uma incógnita o que podem valer os regressados ao principal escalão, nomeadamente Ovarense, União de Lamas e Calvão, sobretudo os dois primeiros.
Mealhada e Mourisquense vão tentar não passar pelos sobressaltos da última época, onde só no final asseguraram a permanência, muito à custa da subida do Gafanha como segundo classificado e da manutenção do Estarreja no CNS.
O Oliveira do Bairro inicia esta sua segunda aventura consecutiva nos distritais em Avanca. Ainda sem os automatismos no ponto, a equipa vai tentar contrariar ao máximo o favoritismo caseiro, num jogo que se antevê deveras complicado para os Falcões do Cértima.
Dérbi bairradino no Mourisquense – Mealhada. Prevê-se um jogo equilibrado e decidido nos pormenores.
O Águeda joga em Esmoriz. Na última época, os Galos venceram na Barrinha. Será que a dose se repete? O Calvão, tem, à partida, um jogo complicadíssimo, em Bustelo.

TAÇA DE AVEIRO

1-Na zona Sul alguns jogos curiosos entre equipas bairradinas, belo aperitivo para o que vem a seguir.
Desde logo com o dérbi concelhio entre Aguinense e Couvelha, sempre de diagnóstico reservado, e para o reencontro de Famalicão e Valonguense depois da descida de divisão. Favoritismo para Oiã, LAAC, Águas Boas, Paredes do Bairro e Luso, na receção ao Sosense, Santiais, Beira Vouga, Requeixo e Rocas do Vouga, respetivamente.
O Ribeira/Azenha recebe o Vista Alegre, adversário que se reforçou para altos voos, por isso nada acessível nesta fase da época. Mas atenção, a bola é redonda.
Jogos completos: Mamarrosa – VN Monsarros. Famalicão – Valonguense. Luso – Rocas do Vouga. Oiã – Sosense. Aguinense – Couvelha. LAAC – Santiais. Macinhatense – Antes. CRAC – Carqueijo. Águas Boas – Beira Vouga. Paredes do Bairro – Requeixo e Ribeira/Azenha – Vista Alegre.