Há muitos anos, tanto quando disputava os campeonatos nacionais, como distritais, o Oliveira do Bairro nunca teve um início de época tão confrangedor. Cumpridas que estão seis jornadas, o clube bairradino ainda não ganhou (é a única equipa nessa situação), contabiliza apenas três empates e ocupa, isolado, a última posição. A situação não é totalmente preocupante, mas dá para pensar.
Na época passada, os bairradinos fizeram da sua casa uma fortaleza, onde não perderam um jogo. Agora conquistaram apenas um ponto e somam duas derrotas, a última diante do Alba. Os albergarienses, que não justificaram neste jogo atributos de candidatos, acabaram por ser mais felizes, num jogo de fraca qualidade de ambas as equipas.
Uma das surpresas veio de Águeda onde a equipa de Augusto Semedo perdeu com o vizinho Mourisquense, naquela que foi a primeira derrota no campeonato.
O Mealhada voltou a escorregar em casa frente ao Milheiroense, enquanto o Calvão, também em casa, conquistou preciosa vitória perante o Paivense.
2-Em Fiães, o Oliveira do Bairro vai ter pela frente mais um adversário complicado. Na temporada passada, os Falcões não conseguiram desfeitear o seu opositor e, pelo andamento da carruagem, as contas não serão fáceis de fazer.
Um dos grandes jogos da jornada é o Alba – Águeda (o outro é o Esmoriz – Bustelo). Com cinco pontos de atraso para o seu adversário, que lidera juntamente com o Bustelo, os Galos, que têm como objetivo a subida, estão proibidos de perder. Jogo para tripla.
O Mealhada joga no terreno do Soutense, adversário que também vem de uma derrota caseira. Pela prestação das duas equipas, prevê-se um jogo equilibrado.
O mesmo se poderá dizer do prélio entre Canedo e Calvão. Um pontinho para os vaguenses já não seria mau de todo.
Embalado pela excelente vitória em Águeda, o Mourisquense, na receção ao Avanca, pretende dar continuidade aos bons resultados. Acreditamos que poderá ser bem sucedido.

II DIVISÃO

SÉRIE C. 1-Como se previa, visto que o Oiã folgou, houve mudança de líder, com o Famalicão a assumir esse desiderato de forma isolada. Na receção ao VN Monsarros, a equipa de Pedro Moniz não teve contemplações com o seu vizinho e aplicou-lhe chapa seis. Logo atrás vem a LAAC que, em casa, não teve problemas de maior para vencer o Paredes do Bairro, tal como o Luso, que goleou em casa o Sosense.
No Parque de Jogos do Barroca, o Águas Boas somou a segunda vitória consecutiva diante do CRAC. O Aguinense também não desperdiçou o fator casa e levou a melhor sobre o Ribeira/Azenha.
Em casa, o Mamarrosa foi surpreendido pelo Antes nos últimos minutos e sofreu a segunda derrota, num jogo em que criou oportunidades suficientes para vencer. Ao invés, o Couvelha, no reduto do Carqueijo, alcançou a primeira vitória no campeonato.
2-O primeiro grande teste para duas equipas candidatas à subida joga-se na 6.ª jornada, com o Oiã a receber a LAAC. As duas equipas ainda não sofreram golos, os oianenses, com menos um jogo, só sabem ganhar, num jogo que pode ou não mostrar quem tem mais argumentos para lutar pela subida. Sem favoritismo, apostamos numa tripla. O Famalicão joga na Azenha. A Ribeira tem metido alguma água e é crível que possa levar mais.
O Águas Boas joga na casa do VN Monsarros, num jogo em que o estado de espírito das duas equipas é completamente diferente. Saber como os vilanovenses vão reagir à goleada do jogo anterior e avaliar o bom registo dos canarinhos estará na cabeça dos intervenientes. Jogo que poderá ser decidido nos detalhes.
Mais confiante, o Couvelha é bem capaz de destronar em casa o Mamarrosa.
O Paredes do Bairro parte como favorito frente ao Carqueijo, assim como o Luso contra o CRAC.
No Antes – Aguinense, prevê-se um encontro equilibrado e onde os guinatos têm capacidade para conquistar pontos.
O Sosense folga nesta jornada.