Sói dizer-se que nem sempre quem está melhor na classificação é que consegue ganhar. Foi o que aconteceu ao Águeda que, no dérbi eterno, com o Oliveira do Bairro, perdeu dois pontos. O jogo foi sensaborão e com poucas oportunidades de golo. Os Galos tiveram mais, mas os Falcões foram irrepreensíveis na forma como defenderam. Mesmo com o empate verificado, o Águeda mantém a liderança com mais dois pontos do Bustelo, sendo o campeão da primeira volta.
Em casa, o Mealhada, cinco jogos depois, regressou às vitórias frente ao Carregosense, num golo obtido no período de descontos.
Quem começa a perder terreno é o Calvão, que sofreu em casa a terceira derrota aos pés do União de Lamas. Em jogo de aflitos, o Mourisquense foi goleado no terreno do Soutense.

II DIVISÃO

SÉRIE C. 1-Tudo na mesma na frente da classificação com Oiã e Famalicão separados por três pontos. Na Azenha, o líder Oiã (única equipa que ainda não perdeu) não teve a mínima dificuldade em bater o Ribeira. Mais complicada foi a tarefa do Famalicão em Águas Boas, mas, no final, foi o primeiro que sorriu.
O Luso, em casa, não deu a mínima hipótese ao Aguinense, vencendo por três golos sem resposta, mantendo o terceiro lugar, com mais quatro pontos do Couvelha, que folgou nesta jornada.
A LAAC saiu vitoriosa de Vila Nova de Monsarros, tendo vencido pela margem mínima, falhando ainda uma grande penalidade.
Sem perder há cinco jogos, naquela que é a sua melhor série, o Paredes do Bairro, tal como tínhamos previsto, foi a Antes derrotar o conjunto local.
O Sosense não podia desejar melhor inauguração do seu relvado sintético do Campos do Lagos com uma vitória. A vítima foi o Mamarrosa, naquele que foi o quinto jogo sem pontuar dos pupilos de Jorge Rameiras, que continua a dividir a última posição com Ribeira/Azenha e Antes, todos com nove pontos.
O CRAC, em Vagos, casa emprestada, empatou com o Carqueijo e perdeu boa oportunidade para ascender ao sexto lugar isolado.

TAÇA DO DISTRITO

1-No próximo domingo disputa-se a 3.ª eliminatória da Taça do Distrito de Aveiro. O Oiã, depois de eliminar a ACRD Mosteirô, de Arouca, joga agora com o Mosteirô FC, de Santa Maria da Feira, atual segundo classificado da Série A da 2.ª Divisão, desta vez fora de casa. Não se prevê um jogo fácil para os bairradinos, pois todos conhecem a forma de jogar das equipas nortenhas, muito aguerridas e que dão tudo em cada lance, principalmente quando jogam em casa.
O sorteio ditou um dérbi de outros tempos, com o Águeda, detentor do troféu, a deslocar-se ao vizinho Macinhatense, com o favoritismo a pender para o lado dos Galos do Botaréu.
Das outras equipas da região ainda em prova, a LAAC fará a receção ao Paredes do Bairro. O equilíbrio poderá ser a nota dominante, com ligeiro ascendente para os locais. O mesmo se aplica no Couvelha – São Roque, embora aqui os bairradinos defrontem um adversário que luta pela subida de divisão na Série B, e que por certo, lhe irá causar bastantes problemas.
O VN Monsarros recebe o Mourisquense, de outro escalão, com outro andamento e mais experiência. Compete aos vilanovensescontrariar esses aspetos.
Em casa, o Calvão joga contra o Carregosense, para quem ganhou para o campeonato. Será que a história se repete?
O Valonguense, líder da Série B, joga em casa com o Alvarenga e não deverá ter problemas em passar à eliminatória seguinte.
Jogos: Calvão – Carregosense. LAAC – Paredes do Bairro. Paços de Brandão – Milheiroense. Valonguense – Alvarenga. VN Monsarros – Mourisquense. Soutense – Cucujães. Bustelo – Paivense. Mosteirô FC – Oiã. Macinhatense – Águeda. Vista Alegre – Ovarense. Fiães – Macieirense. Couvelha – São Roque. Furadouro – União de Lamas. Alba – Mansores. Valecambrense – Canedo e Beira-Vouga – Sanguedo.