Sem ganhar há sete jogos e tendo averbado a terceira derrota consecutiva, o Oliveira do Bairro continua metido no labirinto da classificação, ou seja, nos lugares de descida de divisão. A equipa de António Flávio perdeu no terreno do Carregosense, com o golo da vitória a surgir já em período de descontos, resultado que mantém os bairradinos na 16.ª posição.
Numa partida onde se discutia a liderança, o Águeda perdeu no terreno do Bustelo, naquela que foi a primeira derrota fora. Os locais venceram pela margem mínima (1-0), num golo que foi muito contestado pelos aguedenses. Os Galos, apesar de terem menos um jogo, parecem que estão a perder gás, acabando, com esta derrota, por descer para a quarta posição.
Em Castelo de Paiva, diante do Paivense, o Mealhada veio de mãos abanar, tendo sido ultrapassado na classificação pelo Mourisquense que, em casa, goleou a Ovarense.
Fora de casa, o Calvão manteve a sua sina, ao perder com o Alba por escasso 1-0. A boa réplica dada não lhe garantiu pontos.
2-O Oliveira do Bairro tem de arrepiar caminho. A equipa recebe o Mourisquense, adversário direto na luta pela manutenção, e que atravessa a sua melhor fase da época. Por isso, tratando-se de um dérbi, não se perspetiva um jogo nada fácil para os Falcões, que estão obrigados a vencer para encurtar distâncias.
O Águeda fará a receção ao Carregosense obrigado a conquistar os três pontos para exorcizar eventuais fantasmas que possam apoderar-se da equipa, agora que está a seis pontos da liderança, embora com um jogo a menos.
Em casa, o Mealhada, perante o aflito Canedo, tem excelente ensejo para regressar às vitórias e estabilizar um pouco mais na tabela classificativa. Se isso não acontecer, as coisas começam a piorar.
O mesmo se aplica ao Calvão na receção ao Fiães. Os vaguenses têm feito pela vida em casa, onde já conquistaram 20 pontos. Será com esse espírito que a equipa de Luís Pinho irá encarar o jogo, sabendo que terá pela frente um adversário bastante experiente.

II DIVISÃO

SÉRIE C. 1-Com o Oiã de folga, era expectável que o Famalicão, em condições normais, apanhasse o seu principal opositor na classificação. Assim aconteceu. A equipa de Pedro Moniz venceu folgadamente em Vila Nova de Monsarros e ficou com os mesmos 52 pontos do Oiã.
O Luso conservou o terceiro lugar após o triunfo no terreno do Sosense, tendo o Couvelha na peugada, que também venceu, em casa, o Carqueijo.
Quem se atrasou foi a LAAC, que em Anadia, dividiu os pontos com o Paredes do Bairro. Com este empate, a equipa de António Liberal ficou a seis pontos do terceiro lugar, longe daquilo que nos tem habituado nas últimas épocas.
O Águas Boas continua sem acertar o passo. A formação orientada por Adriano Vasconcelos perdeu na casa do CRAC, adversário que, com esta vitória, subiu ao sexto lugar, por troca com o Aguinense, que empatou no reduto do Ribeira/Azenha a dois golos.
Num jogo recheado de golos (5), o Antes, em casa, levou a melhor sobre o Mamarrosa.
2-Em Aguada de Cima, diante da LAAC, o Oiã terá de ser igual a si próprio, caso não queira ser surpreendido. É que, aparentemente, o Famalicão, em casa, mesmo tratando-se de um dérbi, não deverá ter problemas de maior para se desenvencilhar-se do Ribeira/Azenha.
O Luso tudo fará, em casa, para levar a melhor sobre o CRAC, ao passo que o Couvelha, no terreno do Mamarrosa, se jogar aquilo que sabe, poderá ser bem-sucedido frente ao laterna vermelha.
Vindo de quatro derrotas consecutivas, o Águas Boas, em casa, frente ao VN Monsarros, pretenderá deixar para trás das costas o mau momento que atravessa. Para que isso seja uma realidade, terá de regressar às vitórias.
Em casa, o Aguinense não deverá ter problemas de maior para levar de vencida o Antes.
Mais equilibrada prevê-se a partida entre o Carqueijo e o Paredes do Bairro. Empate em perspetiva!
O Sosense folga nesta jornada.