Conhecida a decisão do Conselho de Disciplina da AFA, que puniu o União de Lamas com derrota, o Águeda, que nesta jornada venceu em casa o Milheiroense com relativa facilidade, apanhou o Bustelo na liderança. Com a derrota do Alba, que está agora a oito pontos e o União de Lamas a cinco, à partida, a luta pela subida ao CNS irá resumir-se às duas equipas.
No fundo da tabela classificativa, o Oliveira do Bairro, frente a um adversário direto na luta pela manutenção, o Soutense, alcançou importante vitória e, com Nuno Pedro, começa a recuperar, tendo saído dos últimos três lugares que dão a descida automática.
O Mealhada, que já não vencia há 11 jogos, trouxe do terreno da Ovarense três preciosos pontos, mas continua mergulhado nos lugares de descida.
Quem também lá está é o Mourisquense. No regresso de Carmindo Dias como treinador, depois da saída de Mico, os Pilatos perderam em casa com o Esmoriz, voltando assim a adiar uma possível recuperação na tabela classificativa.
Em casa, o Calvão não aproveitou a cem por cento o fator casa, tendo empatado com o Cucujães.
2-Pode ser um jogo decisivo para as duas equipas. O Mealhada – Oliveira do Bairro assume contornos de grande relevância, pois quem sair vencedor do encontro poderá dar um passo importante rumo à manutenção. Os mealhadenses têm perdido pontos em catadupa em casa, sempre com adversários com a corda na garganta. Se voltar a perder, corre sérios riscos de dizer adeus à principal competição do futebol distrital aveirense.
Tratando-se de um dérbi, apostamos numa tripla.
No reduto do Esmoriz, o Calvão não irá ter tarefa fácil, pois o seu adversário, posicionado na quinta posição, está tranquilo na tabela e espreita ainda o quarto lugar.
O mesmo se aplica ao Mourisquense na curta viagem ao terreno do Alba, adversário que está obrigado a ganhar para não perder de vez o rasto aos dois primeiros classificados. O favoritismo pende para o lado dos albergarienses.
O Águeda joga na casa do Soutense, proibido de perder pontos, tal como o seu opositor. Quem acusar menos a pressão, poderá tirar dividendos rumo aos pontos.

II DIVISÃO

SÉRIE C. 1-Sem ter feito uma exibição deslumbrante, o Famalicão venceu em casa o Carqueijo e manteve os três pontos de avanço sobre o Oiã que, no teste mais complicado que tinha até ao final do campeonato, ganhou no terreno do Luso.
Com a derrota dos homens das águas, o Couvelha regressou, isolado, ao terceiro lugar, depois de bater fora o CRAC, que já não perdia há seis jogos.
Em casa, o Águas Boas derrotou a LAAC, que deste modo não aproveitou o desaire da formação de Parada de Cima para chegar ao quinto lugar. Quem está lá perto (um ponto) é o Aguinense, que derrotou em casa o Mamarrosa.
O Paredes do Bairro foi surpreendido no terreno do Sosense, enquanto o VN Monsarros, 17 jogos depois, voltou a vencer, agora em casa, contra o Antes.
2-Prevê-se uma jornada tranquila para os dois primeiros, onde um dos fatores mais importante é tentar marcar mais golos, pois, em caso de igualdade pontual, o primeiro fator de desempate é os golos. O Famalição desloca-se a Bustos para defrontar o Mamarrosa. A última posição dos mamarrosenses dá total favoritismo à equipa de Pedro Moniz.
O Oiã joga em casa com o Sosense. Se nada de anormal acontecer, os oianenses têm tudo para somar os três pontos.
O Couvelha, em casa, diante do VN Monsarros, não deverá ter problemas de maior para garantir a vitória. Duelo interessante será a LAAC – Luso, onde o equilíbrio poderá ser a nota dominante.
O Águas Boas volta a jogar em casa, com o Carqueijo, e tem tudo para continuar na senda dos bons resultados, enquanto o Ribeira/Azenha tem boas hipóteses de trazer pontos de Antes.
O Paredes do Bairro vai tentar contrariar uma possível supremacia do CRAC, isto olhando para a classificação, num jogo talhado para a divisão dos pontos.
O Aguinense folga nesta ronda.