Depois de perder a liderança para o Sporting de Espinho, o Águeda tinha uma prova de fogo na casa do Alba, onde em jogo estava o acesso à final da Taça do Distrito. A equipa de Augusto Semedo deu excelente resposta, resolveu o jogo (2-0) muito antes da meia hora de jogo e garantiu assim a terceira final consecutiva, tendo ganho as duas últimas edições da Taça do Distrito. Irá fazer-lhe companhia o Beira-Mar, que venceu em casa o Esmoriz por 3-1, e volta a uma final, depois de em 16 de junho de 1999 ter ganho a final da Taça de Portugal diante do Campomaiorense.
A final está marcada para 5 de junho, em local a designar. O Estádio Municipal de Vagos ou o Municipal de Aveiro são duas possibilidades.

I DIVISÃO

1-Faltam nove finais para muitas das equipas, não todas, pois algumas já têm a sua situação clarificada relativamente à manutenção.
Em casa, o Águeda joga com o Paços de Brandão, um dos penúltimos classificados, e só por uma hecatombe é que não conseguirá somar os três pontos, ficando à espera do que possa fazer o Sp. de Espinho na deslocação a Esmoriz, onde os Galos deixaram lá dois pontos.
E ninguém se pode esquecer do Fiães, que está a apenas quatro pontos da liderança e ainda não atirou a toalha ao chão e que irá receber na penúltima jornada o Águeda.
Jogo grande na Bairrada com o Famalicão a receber o Oliveira do Bairro. Trata-se de um jogo de reencontros, jogadores e treinador, num dérbi em que a equipa de António Flávio está mais obrigada a pontuar do que os Falcões, isto tendo em conta a sua posição na luta pela manutenção. Por isso, a pressão está toda do lado dos famalicenses, numa partida que poderá ser decidida nos detalhes.
O Calvão fará a receção ao Milheiroense, que também está na corda bamba. Bem pior estão os calvonenses, que estão em último lugar e com uma diferença substancial para a zona da linha de água. Embora matematicamente ainda seja possível, só um milagre poderá salvar o Calvão da descida. E para continuar a acreditar nessa possibilidade, terá que vencer o seu adversário, o que já não acontece há 15 jogos.
O Valonguense joga no terreno do S. João de Ver. Pela posição do seu opositor, que ainda luta por chegar ao quarto lugar, o jogo não será fácil para os canarinhos.

II DIVISÃO

SÉRIE B. 1-O Fermentelos – Oiã, pela rivalidade entre as duas equipas, pelo bom campeonato que ambas estão a realizar, o jogo promete em todos os sentidos. Os oianenses ocupam o terceiro lugar, têm outros objetivos, mas neste tipo de jogos ninguém quer perder, por isso apostamos numa tripla.
O Mourisquense joga no Requeixo e é favorito, enquanto o Macinhatense folga.

SÉRIE C. 1-Em casa, o líder Mealhada, frente ao Mamarrosa, terá de ser igual a si próprio, caso queira somar mais três pontos em seu pecúlio.
O Anadia B, segundo classificado, joga no terreno do Luso, numa partida que se prevê equilibrada e que poderá ser decidida nos detalhes.
Firme na terceira posição e à espreita do segundo (está a 5 pontos), a Juve Force, em casa, não deverá ter problemas de maior para levar de vencida o VN Monsarros.
O Carqueijo volta a jogar em casa, agora com o Couvelha. A equipa de José Rocha ainda não se adaptou totalmente ao relvado sintético, mas tem boas hipóteses de vencer.
No histórico entre as duas equipas, o Águas Boas tem levado a melhor sobre o CRAC. Será que irá suceder o mesmo neste jogo?
Atuando diante dos seus prosélitos, a LAAC não deverá desperdiçar o fator casa frente ao Sosense.
O Paredes do Bairro, que continua sem saber o que é ganhar, defronta em casa o Antes. Apesar do seu adversário vir de três derrotas consecutivas, não é obstáculo fácil. O Ribeira/Azenha folga.