Diz o ditado popular, novo ano, novos hábitos, por vezes não é assim que acontece, mas muita gente quer mudar resultados e mentalidades. Transportando isso para o futebol, é isso que muitos clubes pretendem, principalmente aqueles que estão mal classificados desejam para 2018. Que os resultados sejam melhores e os objetivos traçados no início da temporada concretizados é aquilo que pedem para o que resta desta época. E falta muito!
No Campeonato Safina faltam quatro jornadas para o fecho da primeira volta e toda uma segunda  (mais 17 jogos) para disputar.
Muita coisa está em jogo, principalmente para os clubes da Bairrada, onde um deles, o Famalicão, aposta as fichas todas na manutenção, o que, a concretizar-se, seria um feito histórico, pois o clube tem vivido no sobe e desce.
A equipa vai entrar no novo ano a jogar em casa e com um adversário complicado, o União de Lamas, que apostou na subida de divisão, já andou na liderança, mas ultimamente tem claudicado e está há seis jogos sem ganhar. Mesmo assim não deixa de ser um osso duro de roer, adversário que quer limpar a imagem dos últimos jogos do ano velho e voltar a aproximar-se dos lugares de decisão de subida (está a 10 pontos do líder Lourosa e menos um jogo). O Famalicão, sobretudo em casa, tem que fazer pela vida, pois reparte o último lugar com o Carregosense, equipa que trocou de treinador, com a saída de André Teixeira e a entrada de Miguel Rapinha.
Também em casa, o Pampilhosa joga com a Ovarense, que está mal classificada, e a vitória pode ser uma realidade e a possibilidade de subir um pouco na tabela.
 
I DIVISÃO
 
1-O Oliveira do Bairro foi afastado da Taça de Aveiro pelo Avanca nas grandes penalidades. Em nada foi inferior ao seu opositor e teve várias situações para evitar os penalties. No início do novo ano vai tentar manter o percurso imaculado no campeonato. Fará a receção ao Mansores, equipa que pratica bom futebol e está bem classificada. Mas candeia que vai à frente alumia duas vezes e os Falcões são favoritos.
Pelo percurso das duas equipas, o Fermentelos, em casa, não deverá ter dificuldades de maior para levar de vencida o Calvão, apesar das duas vitórias consecutivas dos vaguenses e que continuam na cauda da tabela classificativa.
O Oiã também joga em casa, frente ao Valecambrense, e pretende retomar as vitórias, depois das derrotas com o Mealhada, para a taça e campeonato.
Mais complicada será a vida do Mealhada na deslocação ao reduto do segundo classificado, ACRD Mosteirô. Mais fácil de vencer nos parece o Mourisquense, que recebe o intranquilo Mosteirô FC.
A Juve Force desloca-se a Cucujães, e o facto de os locais estarem na zona de despromoção pode ajudar a formação de Ponte de Vagos.
Num jogo de aflitos, o Carqueijo tentará encurtar distâncias frente ao Paços de Brandão. As duas equipas estão em zona de descida.
 
II DIVISÃO
 
SÉRIE B. 1-O Valonguense recebe o Beira-Vouga, que tem mais um ponto, e só a vitória lhe interessa para se aproximar do segundo lugar.
Já o Macinhatense joga fora, na casa do Estarreja B, e tem francas possibilidades de trazer pontos.
SÉRIE C. 1-Os dois primeiros jogam no concelho de Vagos. O Antes frente ao Santo André e o Bustos, já sem Amorim Nunes, no reduto do Sosense. Ambos terão de dar o melhor de si para não serem surpreendidos.
O Águas Boas, na receção ao Ribeira/Azenha, vai estar à espreita, pois em caso de perda de pontos dos dois, ficará perto da liderança. Para isso terá de ganhar, tal como a LAAC (está a 5 pontos) na receção ao intranquilo Aguinense.
O Luso é favorito em casa perante o CRAC, vislumbrando-se o mesmo com o VN Monsarros frente à Juve Force B, num jogo entre os dois últimos da classificação.
Interessante será o duelo entre Mamarrosa e Paredes do Bairro, num jogo em que apostamos na divisão dos pontos.