De novo em casa, o Oliveira do Bairro voltou a vencer e pelo mesmo resultado (2-1), desta vez o Alba. A equipa manteve o oitavo lugar e vê cada vez mais a manutenção ser uma realidade.
Em casa, o Pampilhosa dividiu os pontos com o Estarreja (2-2) e a luta pelo segundo lugar começa a ser uma miragem para os ferroviários. Tal como a manutenção para o Mourisquense, que sofreu derrota (5-0) pesada em São João de Ver.
 
I DIVISÃO
1-O Mealhada perdeu no terreno do Canedo, adversário direto nas contas pelos quarto primeiros lugares, acabando por descer para a sexta posição.
Sem perder há oito jogos, o Oiã viu essa série ser interrompida no reduto da ACRD Mosteirô.
O Fermentelos também não aproveitou, apesar do empate alcançado no terreno do Valecambrense.
Quatro jogos depois, o Antes regressou às vitórias, em casa, frente ao Gafanha B. Já a Juve Force continua a fase negativa ao perder fora com o Argoncilhe.
Esteve quase, mas o Famalicão acabou por não somar qualquer ponto diante do Paços de Brandão.
 
II DIVISÃO
ZONA SUL. 1-Os dois primeiros, LAAC e CRAC, não foram além de empates, no Bom Sucesso e Paredes do Bairro, respetivamente.
O Calvão, terceiro da geral, foi copiosamente derrotado em Bustos.
O Mamarrosa perdeu no reduto do Sosense, e o VN Monsarros continua a sua excelente série, ao vencer em casa o Pessegueirense.
O Águas Boas trouxe um ponto da casa do Valonguense, ao contrário do Aguinense que perdeu no terreno da Juve Force B.
O Azenha foi goleado em casa pelo Luso (4-0), o mesmo resultado verificado na vitória do Vaguense no Carqueijo.
2-Prevê-se jornada tranquila, a começar já sábado (16h), com o Bustos a defrontar fora o Aguinense. É favorito.
A LAAC mede forças com o Carqueijo e é favorita.
O equilíbrio poderá marcar os jogos Águas Boas-Bom Sucesso e Mamarrosa – Paredes do Bairro.
Por jogar em casa, mesmo sendo um dérbi, o Calvão deverá levar a melhor sobre o Santo André, sucedendo o mesmo ao Vaguense na receção ao Azenha e ao Pessegueirense diante da Juve Force B.
A seguir com atenção o Luso-VN Monsarros, num jogo entre vizinhos e que pode cair para qualquer dos lados.
O Sosense folga.
 
TAÇA DISTRITO DE AVEIRO
1-Este fim de semana joga-se a 4.ª eliminatória da Taça do Distrito de Aveiro. Depois de na última quinta-feira ter disputado a eliminatória em atraso, onde venceu em casa o Santo André por 1-0, o Oiã volta a jogar no seu terreno frente ao Alvarenga, do Campeonato SABSEG, equipa que luta pela manutenção, que se reforçou no mercado de inverno para alcançar esse objetivo.
A diferença de andamento poderá fazer-se sentir, ou talvez não, num jogo que poderá ser decidido nos pormenores. O fator casa também poderá ter o seu peso nas contas finais.
À partida, ao Fermentelos calhou-lhe o adversário teoricamente mais fácil, o Grupo Desportivo de Ronda, que milita na Liga de Futebol Popular de Espinho e que lidera o campeonato.
Sem participar nos campeonatos distritais, é verdade que o clube da aldeia de Guetim, no concelho de Espinho, é o grande tomba-gigantes da Taça de Aveiro, tendo eliminado o Sanguedo e Santiais (da 2.ª Divisão – Zona Norte) e Vista Alegre, do Campeonato SABSEG. Como tal, todo o cuidado é pouco, cautelas e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém, e o Fermentelos jamais poderá menosprezar o seu adversário. Terá de ser igual a si próprio para seguir em frente.
Outra equipa da Bairrada ainda sobrevivente na Taça é o CRAC, que lhe calhou o adversário mais complicado, o Beira-Mar, detentor do troféu e que lidera destacado o Campeonato SABSEG. A equipa de Parada de Cima, que joga no seu terreno, sob  comando técnico de Luís Santos, está a realizar um excelente campeonato, é segundo na Zona Sul da 2.ª Divisão, e tudo irá fazer para contrariar o favoritismo dos aurinegros.