Parafraseando uma letra do cantor Jorge Palma, “enquanto houver estrada para andar, a gente vai continuar”, Carlos Dias, presidente do Moita Rugby Clube da Bairrada, diz que o clube está bem e recomenda-se, mesmo com o rombo provocado pela pandemia de COVID-19, que afetou todos os escalões, desde a formação aos seniores e a organização de alguns torneios internacionais. Em junho deixa a presidência, há já uma lista em formação e, como tal, não teme o futuro do único clube em Portugal que pertence a uma aldeia.

Leia a entrevista na edição impressa