Não foi de todo profícuo o arranque da segunda volta para as equipas bairradinas. O Oliveira do Bairro, em casa, registou o mesmo resultado da primeira volta, ao empatar a um golo com o Avanca, num jogo onde foram visíveis algumas lacunas depois da saída de três jogadores habitualmente titulares. Sem rotinas, a equipa sentiu algumas dificuldades, perante um adversário que foi melhor em alguns períodos, mas que mostrou a razão de colecionar tantos empates (10).
Em casa, o Águeda não foi além de um nulo diante do Esmoriz, não tendo, por isso, aproveitado o empates de Bustelo e Alba para reforçar a liderança. O primeiro, que está a dois pontos dos Galos, deixou dois em Calvão, o segundo no terreno do Soutense. Calvão que beneficiou, tal como o Mealhada e Cucujães de três pontos, por uma eventual participação irregular de um jogador (Paulo Moreira) do Canedo.
Quem mais lucrou nesta jornada foi o União de Lamas, que subiu ao terceiro lugar e ficou a três pontos do Águeda.
Em casa, o Mealhada perdeu excelente oportunidade para ascender ao sexto lugar, após a derrota com o Mourisquense, um triunfo importante para os Pilatos na luta pela manutenção.
2-Pelo bom momento que atravessa – cinco vitórias consecutivas -, o União de Lamas, em casa, não vai ser pêra doce para o Oliveira do Bairro. A equipa de Santa Maria de Lamas está motivada, quer subir de divisão. Os bairradinos tudo farão para contrariar o favoritismo dos locais.
O Águeda é a única equipa que ainda não perdeu fora, mas, em Avanca, terá que ser igual a si própria para não ser surpreendida. Empate em perspetiva!
No terreno do Alba, o Mealhada também não vai ter tarefa fácil, embora as suas oscilações exibicionais possam conferir algum crédito aos bairradinos para discutirem o resultado de princípio ao fim.
O Mourisquense recebe o Cucujães, adversário bem classificado. A ver vamos se a equipa de Mico dá sequência à vitória na Mealhada.

II DIVISÃO

SÉRIE C. 1-Oiã e Famalicão ficaram mais sós na frente da classificação. O primeiro, em casa, goleou o Antes e manteve os três pontos de avanço para o segundo que, também em casa, levou a melhor sobre o Luso, que assim ficou mais longe dos dois primeiros. E viu o terceiro lugar ameaçado após a vitória do Couvelha frente ao seu vizinho Paredes do Bairro.
Quem não aproveitou foi a LAAC que, em casa, desperdiçou dois pontos diante do Ribeira/Azenha.
Em Vagos, o CRAC, em clara subida de forma, venceu o Mamarrosa, enquanto o Sosense, de novo em casa, derrotou o Aguinense.
VN Monsarros e Carqueijo dividiram os pontos, resultado que interessou mais aos forasteiros.
2-O jogo de cartaz é sem dúvida o Couvelha – Oiã, quarto contra primeiro. Os locais atravessam excelente momento com seis vitórias consecutivas, o seu adversário é líder e ainda não perdeu, naquele que será um teste muito complicado para o conjunto de Mico. Jogo para tripla. O Famalicão joga na casa do Sosense, adversário que atravessa o seu melhor momento da época com três triunfos seguidos. As mais-valias dos famalicenses deverão fazer a diferença.
A LAAC não deverá ter problemas de maior na visita a Antes, um dos últimos classificados.
O equilíbrio poderá ser a nota dominante no Águas Boas – Luso. O primeiro pretende recuperar terreno, os lusenses querem conservar o terceiro posto.
O VN Monsarros volta a jogar em casa, agora frente ao Mamarrosa, adversário que não sabe o que é pontuar há seis jogos. Os vilanovenses também não sabem o que é ganhar há oito jogos, numa partida em que quem cometer menos erros poderá chamar a si os pontos, ou um ponto.
O Ribeira/Azenha também sorriu poucas vezes (duas) em matéria de vitórias. Na receção ao Carqueijo, os pupilos de Rui Santiago vão procurar ser bem sucedidos, num jogo entre duas equipas longe daquilo a que nos habituaram nas últimas épocas.
O Paredes do Bairro folga.