Assinar


Águeda // Anadia // Cantanhede // Mealhada // Oliveira do Bairro  

Alerta de mau tempo

O Comando Distrital de Operações de Socorro de Aveiro colocou em alerta laranja todas as suas unidades de protecção de socorro, devido à previsão de um agravamento do estado do tempo no continente a partir da madrugada deste sábado em Portugal Continental.

De acordo com as previsões disponibilizadas e actualizadas pelo Instituto de Meteorologia (IM), tendo em conta a passagem de uma depressão muito cavada, próxima do continente durante o dia de amanhã, Sábado, 27 de Fevereiro, salienta-se:

• Vento excepcionalmente forte (até 85 km/h), com rajadas da ordem dos 160 km/h, do quadrante sul rodando para oeste no final da tarde, no litoral e terras altas, em especial nas Regiões do Norte e do Centro;

• Agitação marítima com ondas de sudoeste, podendo ser superiores a 7 metros na Costa Ocidental e superiores a 4 metros na Costa Sul;

Períodos de chuva por vezes forte, em especial a Norte do sistema montanhoso Montejunto-Estrela, não estando, no entanto, afastada a hipótese de ocorrerem aguaceiros pontualmente fortes a Sul, passando gradualmente a regime de aguaceiros a partir da tarde.

No dia 28, Domingo, espera-se um desagravamento geral da situação.

INFO HIDRO

De acordo com a informação actualizada e disponibilizada pelo Instituto da Água (INAG), tendo em conta a precipitação observada e prevista para os próximos dias, salienta-se a previsibilidade dos níveis hidrométricos se manterem elevados, com potenciais implicações do bacia do Vouga em Águeda.

EFEITOS

• Cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
• Inundações nas zonas historicamente mais vulneráveis;
• Possível galgamento das margens em cursos de água;
• Aumento do número de acidentes de viação, devido à existência de piso escorregadio e eventual formação de lençóis de água ou ao arrastamento de materiais sólidos para a via;
• Efeitos torrenciais em linhas de água de resposta rápida;
• Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associada à saturação dos solos;
• Danos em estruturas montadas ou suspensas e quedas de árvores;
• Danos nas linhas de comunicações e de energia eléctrica,
• Possibilidade de sobre-elevação da maré, provocada pela baixa-pressão atmosférica;
• Possíveis fenómenos de erosão na linha costeira;
• Eventuais dificuldades com embarcações e possibilidade de acidentes junto à costa devido à agitação marítima

MEDIDAS DE PROTECÇÃO

Nestes níveis de Alerta, nomeadamente no nível de Alerta Laranja, poderão ocorrer fenómenos que configuram possíveis situações de perigo, com condições para a ocorrência de fenómenos invulgares que podem causar danos a pessoas e bens, colocando em causa a sua segurança.

As pessoas devem manter-se vigilantes e informar-se permanentemente sobre a situação, inteirando-se dos possíveis perigos. Devem adoptar as medidas de prevenção, precaução e auto-protecção indispensáveis e adequar os seus comportamentos de modo a não se colocarem em risco, cumprindo escrupulosamente as indicações das Autoridades.

A ANPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução e especial atenção:
• Às informações da Meteorologia e às indicações da Protecção Civil transmitidas pelos órgãos de comunicação social;
• À desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes que possam ser arrastados;
• À adequada fixação das estruturas exteriores para evitar que caiam por força do vento;
• À condução de veículos, nomeadamente nas vias propensas à formação de lençóis de água aumentando o perigo de acidentes rodoviários, pelo que se aconselha velocidades baixas – REDUZINDO AS DESLOCAÇÕES AO ESTRITAMENTE INDISPENSÁVEL;
• Às zonas de cheia das bacias dos rios, procurando, nomeadamente, colocar o gado e equipamento agrícola ou outro tipo de equipamentos em zonas seguras;
• NÃO PRATICAR actividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos, passeios à beira-mar e estacionamento de veículos na orla marítima;
• EVITAR estacionar viaturas em zonas onde possam existir estruturas exteriores que possam cair, nomeadamente árvores de grande porte.