Já com a sua situação definida no que toca à manutenção, o Anadia, na Gafanha, cujo adversário antes do jogo ainda não tinha garantido a permanência, encarou a partida com tranquilidade. A maior pressão estava do lado dos gafanhotos. A equipa fez pela vida, foi melhor na primeira parte, na segunda, o jogo foi mais repartido e, no melhor período do Anadia, os locais chegaram à vantagem que conservaram até final. Falta apenas um ponto para que a equipa comandada por Carlos Miguel garanta a manutenção.
Face aos outros resultados, a derrota da Sanjoanense, em casa, frente ao aflito Gouveia, o Anadia manteve a liderança com dois pontos de avanço sobre a formação de São João da Madeira e do Estarreja.
Na Série E, o Pampilhosa, em casa, ao vencer a Naval pela diferença mínima (2-1), deu um passo importante rumo à manutenção. Três pontos de ouro que deixaram a equipa de Fernando Niza no segundo lugar, isolada, com mais cinco pontos do lugar do play-off, ocupado atualmente pela equipa da Figueira da Foz.
2-O Anadia joga em casa, não na habitual, mas sim no Campo dos Olivais, o que acontece 20 anos depois. O adversário é o Marítimo C, que está com a corda na garganta, que precisa de somar pontos. Sem essa pressão e pelo simbolismo do que representa regressar ao Pequito Rebelo, o Anadia tudo fará para somar mais três pontos.
O Pampilhosa joga na casa do Mortágua, que tem feito um excelente percurso nesta fase, mas começa a perder terreno. Jogo de tripla.